Red Hat erradica "linguagem problemática"

O código aberto nos proporciona a oportunidade de compartilhar as ideias, resolver os problemas e inovar as ferramentas que já existem. Todos podem contribuir com seus projetos favoritos e a comunidade é receptiva a mudanças.

A Red Hat, empresa por trás da distribuição Red Hat(e apoiadora do Fedora) se reuniu nas últimas semanas para falar sobre a injustiça sistêmica e o racismo em andamento.

Durante uma recente reunião da empresa, Demetris Cheatham, líder global da Red Hat para Diversidade e Inclusão, lembrou que manter o espaço para ouvir e aprender é sobre genuinamente ouvir um ao outro com empatia e sem debater ou questionar a experiência de outra pessoa, e reconhecer que muita dor é sentida por pessoas em todo o mundo, incluindo a comunidade Red Hat. Ela disse que “serão as milhares de conversas que acontecerão continuamente ao longo do ano entre colegas e em equipes que realmente farão a diferença”.

Simultaneamente, surgiram perguntas sobre linguagem problemática em comunidades e códigos de código aberto, e especificamente sobre o uso de terminologia como “mestre” e “escravo”, porém isso deve mudar, pois se o código é inclusivo, deve ser acolhedor para todos. Com isso, a Red Hat se comprometeu a revisar o uso dessa linguagem problemática e o que pode fazer para erradicá-la das práticas e vocabulário.

Se qualquer pessoa ou grupo de pessoas se sentir indesejado por causa do idioma usado em uma comunidade, código ou documentação, as palavras deverão mudar. Essas mudanças levarão tempo. Eles exigirão muitas conversas dentro das comunidades e entre fornecedores para serem totalmente ativados. Mas essas ações e conversas valem a pena e estamos comprometidos com elas.

As conversas continuarão na Red Hat sobre o que podemos fazer, individual e coletivamente, para promover mudanças reais. E enquanto trabalhar para erradicar a linguagem problemática do código-fonte aberto e da documentação é apenas uma ação, esperamos que você se junte a nós e continue com os esforços para tornar o código aberto mais inclusivo e acolhedor para todos.

Espero que essa atitude da Red Hat possa alterar a comunidade como um todo, não apenas o Red Hat mantendo essa conduta, mas ver outras empresas colaborando ao erradicar estes termos de suas documentações, e até mesmo os desenvolvedores de softwares. Essa é uma mudança que leva um certo tempo para ocorrer, mas pode levar menos tempo se for praticada desde já. Se você acha que é apenas um termo, e que não afeta em nada, lembre-se do que Demetris falou: “ouvir as pessoas com empatia não é debater ou questionar a experiência de outra pessoa.”

O que você achou dessa atitude da Red Hat? Deixe nos comentários, mas um pouco antes disso, gostaria de pedir que tenhamos uma discussão saudável nesse post para que não haja necessidade de ser trancado.

Bem, é isso, até a próxima notícia, dica ou tutorial!

7 Curtidas

Eu fiquei feliz real com essa notícia. Cada vez a comunidade open source se torna um pouquinho mais diversa e acolhedora :heart:

4 Curtidas

Meu Deus do céu…

1 Curtida

Issoaê! Os tempos mudam, a humanidade avança e a tecnologia precisa acompanhar a sociedade!!

1 Curtida

Tá bom então.