Qual a Distro Ideal pra você? Tópico para compartilhar tabelinha do DIO

Espero mesmo que sejam mantidas, já presenciei descasos em atualizações, por isto sempre recomendo desativar extensões ou modificar a opção de compatibilidade no dconf em uma atualização do shell, pois a mesma nas últimas versões vem desabilitada, causando problemas.

Pessoal vi a discussão acima, acho que não entenderam muito a proposta do vídeo, a tabela é para ser pessoal, e a que o Dio fez é pessoal dele, cada um faça a sua.

Eu mesmo ja fiz isso mas de forma menos organizada, mas da muito certo. No fim fiquei no Ubuntu com GNOME.

6 Curtidas

Sim, é exatamente essa a intenção! Caso contrário, é como discutir a nota de alguém sobre um wallpaper. Definitivamente algo pessoal.

1 Curtida

O mesmo do Fedora, seria necessário instalar os codecs necessários manualmente. Mas desde que você tenha um player de música, um player de vídeo e um navegador instalados, você provavelmente já tem todos os codecs no sistema.

Se uma instalação manual for necessária seria uma questão de instalar o ffmpeg, o gstreamer e seus pacotes.

sudo pacman -S ffmpeg gstreamer gst-libav gst-plugins-bad gst-plugins-base gst-plugins-good gst-plugins-ugly

Acho que é perfeitamente possível fazer uma análise pessoal e ao mesmo tempo manter a objetividade, se houverem favoritismos você estará mentindo para si mesmo ao não ser imparcial. Seus viewers do YouTube certamente levarão suas notas a sério e as tomarão como base para formar suas próprias opiniões.

Sim, mas no caso são extensões mantidas por quem faz o sistema. É exatamente por isso, por exemplo, que o Ubuntu criou um fork da Dash To Dock para o Ubuntu (Ubuntu Dock), e não usou a própria. Para poder ter esse controle.

Os codecs no fedora são instalados sob demanda através do plugin packagekit do gstreamer, desde que você tenha os repositórios do RPMFusion habilitados, no arch e nos derivados do debian acontece da mesma forma, se o programa não reconhece a mídia, uma solicitação é enviada ao packagekit que abre o software responsável pela instalação dos pacotes, gnome-software, pamac etc…

Uma coisa legal no Fedora/Ubuntu e distros que usam GNOME Software, acesse a loja, categoria complementos e depois “Codecs”. Esse é um jeito que avançados e leigos entendem o processo. No Fedora não tenho certeza, mas por exemplo, ao tentar reproduzir um vídeo que não tenha o codec no Ubuntu e no Mint, ele de mostra na hora a opção de instalar o codec faltante. Isso é o tipo de coisa que eu valorizo mais, porque instalar pelo terminal todas permitem.

Só se não prestarem atenção no vídeo, mas isso não é algo que eu possa controlar. Deixei absolutamente claro como funcionava a tabela e os números só estão presentes no vídeo, não nela em si, quando compartilhada.

No vídeo de 2015 eu não coloquei distros e não coloquei notas, e a principal reclamação dele é justamente a ausência da minha opinião.

Entenda, esse é o tipo de situação que você estar certo, Drako, não me faz estar errado, não é como se existisse apenas uma “verdade”, é como fazermos um concurso de notas para Wallpapers ou qualquer outra coisa subjetiva.

Mas eu sei que, se alguém chegar no canal para experimentar Linux pela primeira vez, Ubuntu, Mint, Fedora e Manjaro, fazem uma recepção muito mais calorosa do que um Arch puro. Inclusive, posso estar errado, mas acho que se eu tivesse tirado o Arch da lista porque é difícil categorizá-lo e os usuários são extremamente apaixonados por ele, possivelmente a gente nem teria essa conversa, pois, não seria um assunto tão sensível para você. Estou errado? haha

Abraços!

2 Curtidas

Na verdade você nem precisa ativar primeiro o RPM Fusion, ele estão todos em “complementos” na GNOME Software por exemplo. No Fedora (GNOME) os repositórios são ativados sob demanda, o que é muito legal.

1 Curtida

No Fedora o Gnome Videos exibiu um alerta pedindo para instalar os codecs, mas pelo menos comigo isso nunca funcionou, ao abrir a Gnome Software os codecs não eram encontrados, por isso acabava instalando manualmente.

1 Curtida

Eu estou até pensando no futuro sem packagekit, creio que a RedHat/Fedora terá uma solução pois depende do packagekit para upgrade de versões, mas e os outros softwares? Espero que ele continue mantendo, pois o packagekit faz o que todo leigo nem precisa saber.
https://blogs.gnome.org/hughsie/2019/02/14/packagekit-is-dead-long-live-well-something-else/

Como disse, no Fedora não tenho certeza, mas nos outros sistemas sempre funcionaram. Esse é o legítimo caso de como a tabela é subjetiva a sua experiência.

Se você fosse dar nota por essa característica que você nunca teve uma boa experiência, você naturalmente daria uma nota baixa. Outra pessoa que usou isso e funciou daria uma nota mais alta, considerando esse único quesito.

O que acontece muito na comunidade Arch em específico, e você é um dos caras mais exceção que eu conheço até, é que eles pensam que é inadmissível o Arch não ser “perfeito” ou muito próximo disso, porque se você acha isso é porque não conhece o suficiente ou não sabe usar. Talvez eles nunca tenham entendido o quão prejudicial é essa postura justamente, o que fez muita gente correr pro Manjaro, por exemplo.

O KDE Neon vem usado ele também, realmente parece interessante.

Por isto, falei sobre ativar o RPMFusion, eu costumo ter o gnome-packagekit instalado, apesar de ele hoje não ter muitos recursos, para instalar pacotes de forma gráfica ele dá conta, prefiro 1000 vezes, pensa num cara que odeia o dnfdragora? sou eu kkkk.

1 Curtida

Muita gente não conhece ou explora essa parte da GNOME Software:

2 Curtidas

Talvez eu seja exceção, mas nunca utilizei esse método, eu não utilizo software stores para instalar ou remover pacotes, utilizo apenas para atualizar o sistema.

Nunca subestime a capacidade (ou falta dela) das pessoas não prestarem atenção.

Eu não sou o tipo de pessoa que recomenda Arch Linux para iniciantes, mas eu também não recomendaria o Manjaro, pois ele tem diversos problemas estruturais.

Acho que a lista como um todo não foi objetiva, apenas aconteceu das notas do Arch Linux serem particularmente “estranhas”, me passou a impressão que você não conhece o sistema muito bem.

Estes codecs “quase sempre” dão conta do recado, porém aí não mostra os codecs do gstreamer 0.10 que algumas aplicações precisam.

Para mim não existe software perfeito, porque são humanos que os escrevem e humanos não são perfeitos. Toda distro tem prós e contras, o Arch Linux não é exceção, tem algumas coisas que eu acho que poderiam ser melhores, mas nesses 20 anos utilizando Linux, foi a distro que mais me agradou.

1 Curtida

Não subestimo, mas chegando a quase 1500 vídeos publicados, se tem uma coisa que eu aprendi é que não adianta mediar, desenhar, se isentar, porque sempre haverá alguém achando que você foi tendencioso, ou está em cima do muro e mesmo que você desenhe, há que não entenda.

É o mesmo tipo de crítica que do ponto de vista do Ubuntu eu faria ao Mint, mas assim como o Ubuntu foi com o Debian, o tempo dos dirá que a estrutura empregada funcionará.

Eu conheço o Arch, mas provavelmente não conheço tão bem quanto você :slight_smile: Assim como me arrisco a dizer, que eu conheço mais Ubuntu do que você. Mas minha intenção não é me aprofundar no Arch como fiz com o Ubuntu, porque ele simplesmente não é muito útil para mim, pois não me entrega o que eu busco (ao menos por enquanto), o que não quer dizer que não possa ser para muitas outras pessoas, você inclusive.

Eu gosto de distros midiáticas, que criam coisas novas, e não só empacotam e debugam, sistemas que tentam dar passos além do óbvio (as vezes errando inclusive, mas tentando fazer algo), no fim, o meu trabalho depende disso. Meu objetivo de levar Linux para mais pessoas e atingir novos mercados está mais perto com Ubuntu, do que com Arch (mas isso não tem a ver com suas qualidades técnicas necessariamente).

Abraços! :slight_smile:

Show, concordo 100% :slight_smile:

Aliás, o simples fato de haverem tantas distros é a prova de que as pessoas nunca estão satisfeitas com um sistema em específico. O Arch mesmo teria muito potencial de ser mais popular, mas parece que não é isso que o projeto busca, ele tem um nicho, um ideal e um público bem definido e quer continuar sendo bom nisso.

É uma pena, mas é assim que as coisas são, o grande problema desse estado imutável, é que em algum momento alguém vai ter uma ideia que a maioria considere “melhor” e o projeto fica ainda mais nichado.

Fico imaginando se o Debian tivesse uma versão focada em Desktop, baseada no Testing, que trouxesse as facilidades que o Ubuntu se propôs entre 2004 e 2010, provavelmente o impacto do Ubuntu teria sido muito menor, mas eles seguiram o seu viés de trabalho e continuaram fazendo esse bom trabalho, mas até o bom trabalho acaba tendo certas consequências.

Eu vejo que é exatamente isso que vem acontecendo agora com Manjaro e Arch. Hoje o Manjaro pode ter vários problemas técnicos do ponto de vista do usuários de Arch, mas se hoje eles conquistam usuários e evoluem melhorando o projeto e minimizando esses problemas estruturais que você comentou anteriormente, no futuro, será uma distro ainda mais forte talvez.

Não sei quanto tempo de Ubuntu você tem, eu utilizei todas as versões entre 11.10 e 18.04, quando reclamo do Ubuntu é justamente por conhecer bem o sistema :joy:

Para mim o que torna o Arch Linux interessante é a abordagem faça você mesmo, eu não gosto de distros “prontas” porque para mim estão todas cheias de bloatware e eu nunca concordo com a seleção de pacotes, creio que a maioria dos usuários do Arch Linux pensam de maneira semelhante. Se o Arch Linux tivesse um instalador gráfico e uma seleção de pacotes pré-definida ele seria apenas mais uma distro, ele deixaria de ser único.

Nós temos percepções bem diferentes a respeito do Arch Linux e do Manjaro, talvez isso se dê por conta das comunidades que nós participamos. Eu vejo o Arch Linux crescendo em popularidade e o Manjaro em declínio, nas comunidades que participo no Reddit o Arch Linux é sem sobra de dúvidas muito mais popular que o Manjaro, a maioria dos usuários do Manjaro tendem a migrar para o Arch Linux quando passam a conhecer melhor o sistema.