Qual a Distro Ideal pra você? Tópico para compartilhar tabelinha do DIO


essa é a minha, algumas areas estão em branco pois não consigo ter uma base.

===

5 Curtidas

"Qual o sentido da vida, do universo e tudo mais?”

A resposta é 42 Arch Linux.

4 Curtidas

Tabela meio tendenciosa ou sem sentido, se for comparar o Fedora e o Pop por exemplo é estranho haver diferenças em interface e instalação, a instalação do pop é chata, única distro que me obrigou a formatar minha partição EFI (estava como fat16 e utilizei diversas distros sem problemas, Arch, Debian, Ubuntu, Mint etc…), e a interface é a mesma do Fedora, ainda acho o Adwaita mais coeso que o tema “amarelo do Pop_OS!”, logo não faz sentido notas diferentes.
A instalação do Fedora chega a ser mais simples que muitas outras que utilizam calamares ou outros instaladores.
Seria o tema? tentando compreender, não vejo diferenças gritantes no gnome-shell em diversas distros que utilizo.

4 Curtidas

Acho que não é uma tabela que vai fazer você escolher o melhor entre um e outro, tabelas funcionam para certas coisas, mas PARA MIM, não para escolher uma distro

3 Curtidas

Quero comentar algumas das notas que o @Dio deu ao Arch Linux, elas não fazem sentido algum para mim, ele claramente não conhece a distro bem o suficiente para avaliá-la.

Interface: 5
Não existe interface padrão, logo o usuário vai instalar a que ele gostar mais.

Codecs: 5
A instalação de codecs no Arch Linux é totalmente transparente, basta instalar os aplicativos que você deseja utilizar e os codecs necessários serão instalados automaticamente.

Drivers: 5
Por ser rolling release o Arch Linux tem a melhor compatibilidade de hardware possível.

Instalar programas: 5
pacman -S vlc é tão simples quanto apt install vlc ou dnf install vlc.

Estabilidade: 5
Como o Dio disse, vai depender do workflow da pessoa, mas acho 5 demasiado baixo, tive mais problemas com o Ubuntu, Linux Mint e Fedora do que tive com o Arch Linux.

Tempo/Suporte: 7
Como uma distro que é suportada indefinidamente recebe menos que 10?

Updates: 6
Mais uma vez, a distro é rolling release, ela simplesmente recebe todos os updates, não faz sentido nota inferior a 10.

3 Curtidas

Acho que não cabe esse tipo de julgamento. A tabela é feita para análise individual, não para mostrar para os outros o que escolher, é para mostrar para você mesmo, qual você gosta mais, de forma mais analítica. :slight_smile:

8 Curtidas

Entendo, porém não faz sentido as notas em interface, tanto o Fedora quanto o Pop_OS! trazem o gnome-shell padrão, a diferença é que o pop traz um tema personalizado, enquanto o Fedora mantem o Adwaita, tenho ambos instalados aqui no momento, logo não vejo o porque a diferença gritante na nota .

1 Curtida

Entendo o lado do @Dio, assim como para mim o Debian nao tem nada de estável, e por ser o único que eu quebro apenas instalando meu driver de video, é um sistema que ja tentei usar 3x e todas as vezes ocorreu o mesmo problema, acabei desistindo.

Eu acabei escolhendo o Kde neon para ser meu sistema principal por vários fatores, e fazendo testes de uma semana como fiz com todas as outras, e ele foi o ÚNICO PARA MIM que nao deu problema nenhum nessa semana de uso. Instalando tudo e ainda fuxicando, os demais sempre davam algum bug.

1 Curtida

Também não faz sentido a nota do instalador do Fedora ser 7, o Fedora tem o instalador gráfico mais simples que já utilizei.

Pois é, o Anaconda é muito simples “ao meu ver”.
As diferenças do Pop para o shell padrão “neste caso modifiquei o tema padrão”
Pop4


Adwaita Creamy

Não achei isso tudo, o instalador do mint e deepin parece muito mais simples porém mais capado em comparação do Fedora, acho que não adianta ficar reclamando da visão de outros, achei interessante a ideia de pontuação embora não de como criar uma base concreta mas ajuda a organizar suas ideias na hora de escolher uma distro. achei que seria interessante ver outros compartilhando suas visões e experiências entre si.

1 Curtida

O instalador do fedora Workstation é o mais simples que já ví, pois as configurações são feitas pós-instalação via gnome-initial-setup, seleção de idioma, configuração de usuários etc…
No Pop até rola o gnome-initial-setup também, mas fiquei chateado por ter que formatar minha partição EFI que é reconhecida por qualquer distro.

Oi Drako, foi só um exemplo, eu falei no vídeo que os números são estavam super ponderados.

Mas veja como são opiniões, o que você vê como vantagem, eu não vejo necessariamente, quer ver?

Exato, por não existir interface, nem receberia nota, poderia ser zero, poderia ser 10, por isso coloquei 5. Não existe algo por padrão.

Depende o software, isso só se aplica para softwares que fazem uso do FFMPEG e do GStreamer, ou softwares que já vem com codecs, como o VLC.

Então, não duvido, mas o que eu analisei por drivers é: Preciso instalar algum driver depois da instalação? Tenho uma interface para fazer essa instalação facilmente sem terminal? O Arch poderia nem ser julgado nessa categoria, mas veja que é muito relativo. Enquanto no PopOS eu tenho um compatilidade de hardware que não me causa problema e não preciso nem sequer instalar um driver. Entenda, tudo depende do que você espera, por isso é uma análise individual, se você não tiver internet por exemplo, você não instala o Arch.

Depende de novo, e se eu estiver falando de instalar softwares como Snaps e Flatpaks? Se são estes os softwares que eu quero, se eu não curtir muito o AUR por ser da comunidade e não do desenvolvedor oficial? A Gnome Software ou o KDE Discover, por consequência não vem instalados. A loja ou distro traz os softwares que eu quero com facilidade e suporte oficial? Eis a questão. No Arch eu preciso instalar todos manualmente, e eu quero algo pronto para usar, hoje não tenho mais tempo de brincar customizar, nem troco mais o papel de parede por exemplo, meu objetivo é colocar o meu trabalho em dia, e pode afirmar que não tem nada que você faça no Arch, que eu não possa fazer no Ubuntu, só que de formas diferentes, claro, no fim, o resultado do trabalho é o mesmo, mas no Ubuntu, eu ganho tempo, além de estar usando a distro padrão do mercado.

De novo, são só números aleatórios, mas desde que o Arch não tenha interface e me consome de 15 a 20 minutos para instalar sem um script, workflow não é o forte, poderia ser 10, poderia ser 0, de novo. Depois do ambiente instalado, eu poderia julgar, mas veja, que não tem citação de ambientes. E em termos de estabilidade, bleeding edge pode ser estável em algumas experiências específicas, mas assim como pra você foi mais estável, pra mim não foi, e cada qual terá uma experiência diferente, mais uma vez, por isso de ser uma análise pessoal.

O Arch tem Kernel LTS, mas ele em si não é. Mas imagine outra situação, e se o que eu busco é suporte profissional por parte do desenvolvedor? Onde eu possa pagar por suporte? Ou recomenda ruma distro que tenha esse tipo de coisa, Red Hat, Ubuntu e SUSE são mais interessantes. No Arch Documentação para leigos é escassa também, ainda que a Wiki seja incrível. De novo, tudo depende do que se espera, de forma geral, eu gosto de uma base estável e testada por mais tempo, não é a toa que as principais distros em mercado não são bleeding edge.

Concordo, mas depende do que você está falando. Ao falar sobre updates, não me referia a frequência ou “super atualização”, mas sim em como esse processo é feito, a menos que eu instale um utilitário, terei de usar o terminal, não tenho notificações nativas de atualização, a menos que eu configure também, etc.

O método de update do Linux Mint é um dos mais completos e fáceis de usar, com até backups embutidos, por exemplo.

Por fim perceba, se tudo o que você busca em uma distro são características que o Arch te entrega, ele será a melhor escolha pra você, mas as pessoas não esperam as mesmas coisas do sistema e não veem ele como tal, dependendo do contexto.

A ideia não é fazer com que os meus números façam sentido na SUA cabeça, mas sim na minha. Faça a sua tabela também e compartilhe se quiser a sua forma de ver as coisas. :slight_smile:

Abraços

4 Curtidas

E aí brother, blz?

O vídeo tem a ver com a sua percepção sobre a coisa, foi o que eu falei, se você acha que é diferente, você dará pontuação diferente.

Mas o que a interface do Pop!_OS teria de diferente do Fedora?

Certo, começamos pelo tema, é claro que ele pode ser instalado no Fedora também, mas ele não vem, se eu gostar mais dele, o Pop ganha um voto. Mas não é tudo, o PopOS já vem por padrão com configurações específicas no Shell, como ativação de dark mode, auto-switch para placas intel+nvidia em notebooks, opção de “não perturbe” nas notificações, além de otimizações técnicas que eles fazem no GNOME padrão.

Temos um desktop ativo também, e um loja de aplicativos diferente, em fim. Acho que fiz o meu ponto.

Agora, se tudo isso foi “bullshit” para você, não tem problema, na sua análise você dará a mesma pontuação ou mesmo abaixo.

Não estou tentando dizer qual é o melhor ou pior para cada um de vocês, estou simplesmente compartilhando uma forma de vocês mesmos descobrirem os seus sistema favoritos :slight_smile:

(e claro, eles não precisam ser iguais aos meus)

3 Curtidas

É isso mesmo brother, são experiências individuais.

Não precisa ir muito longe para encontrar pessoas que vão dizer que o Debian não quebra nunca, mas você, como indivíduo, pode não ter presenciado isso.

Assim como tem gente que diz que o Neon quebra se você não acompanhar as atualizações dele com uma certa frequência, etc.

3 Curtidas

Vejo isso da mesma forma que a galera que reclama do feed do Twitter ou do Facebook, você define quem você segue, ou no caso do Arch Linux o que instala, se a pessoa não estiver satisfeita a culpa é inteiramente dela.

Não, ao instalar o Firefox ou o Chromium os codecs apropriados também são instalados, isso vale para qualquer software nos repositórios oficiais. Nunca precisei instalar codecs manualmente no Arch Linux, ao contrário do Ubuntu e derivados.

Só será necessário instalar manualmente drivers proprietários, no caso Nvidia e chipsets wireless da Broadcom, o restante está no kernel e Mesa.

Para mim isso do Ubuntu ou qualquer distro “pronta” economizar tempo é mito, ontem mesmo resolvi fazer uma instalação limpa do Arch Linux, estava utilizando o Gnome e decidi voltar para o Plasma, instalei o sistema e customizei tudo a meu gosto em 1 hora e 21 minutos, o mesmo tempo que levo para ajustar o Ubuntu ou o Fedora.

Empresas que utilizam suporte profissional compõe uma parcela ínfima do mercado, a maioria das grandes empresas tem funcionários próprios para isso. Eu não considero o Ubuntu uma distro estável, o fato de ser uma distro LTS não significa absolutamente nada na prática, o Ubuntu e outra distros baseadas nele já me causaram muita dor de cabeça, pessoalmente jamais utilizaria o Ubuntu em uma empresa.

Só para encerrar, concordo com o @Xterminator achei a tabela tendenciosa, entendo que refere-se a suas experiências pessoais, mas faltou objetividade, muitas coisas ali não fazem sentido, e não estou falando apenas do Arch Linux, não acho que foi um vídeo particularmente bom.

2 Curtidas

Bom testei varias distro, e me adaptei no Arch Linux, e legal ficar mexendo e trocando as coisas do sistema. E bom para aprender só o mundo Linux.
Testei varias interface e gostei do KDE, não curti o gnome.

Só acho que depender de extensões por padrão e PPAS não seria a melhor forma de obter recursos, você pode até gostar, mas em um update do gnome-shell a extensão do not disturb
Do Not Disturb - GNOME Shell Extensions pode quebrar, daí as pessoas culpam o shell por algo que não tem nada a ver com ele, eu convivo com estas coisinhas no shell faz muito tempo é considero péssima a ideia de ativar extensões “não oficiais”, existem extensões oficiais que fazem parte do shell e são atualizadas de acordo com cada nova versão.

Sem dúvida. Mas existem pessoas que não querem ter esse trabalho, ou não querem ter essa responsabilidade. A maior parte das pessoas quer “favores” do sistema, e não “trabalhar” para ele. Mas de novo, não é isso que todo mundo quer também, você parece ser um desses que prefere o controle total e você definir o que vai, o que fica, e como fica, é bacana, mas não é pra todo mundo, aliás, é para uma minoria.

Sim, softwares relacionados. Mas instale um DaVinci Resolve, ou um Reaper por exemplo, isso não faria diferença. Mas além disso, como é o processo de instalação de codecs para leigos? (minha grande preocupação). No Ubuntu você pode instalar eles marcando uma caixa durante o Boot, no Mint, você pode instalar direto de ícone no painel multimídia, são soluções diferentes para a mesma coisa, cabe a cada um julgar o método que gosta mais.

Uhum. A maior parte das distros é assim.

Então, no caso do Ubuntu e Fedora, bastaria baixar um Flavor/Spin e preservar a home, no mundo Linux tem muitas formas de fazer as mesmas coisas. Eu faço essa troca em muito menos tempo que isso, mas talvez eu tenha mais experiência em um sistema e você tenha mais em outro, naturalmente será mais simples no que temos mais experiência de uso.

Verdade, mas ainda assim é importante tê-lo. LTS não significa estabilidade por si, simplesmente significa garantir de atualizações de segurança por tantos anos, assim como Red Hat faz. O nosso forum aqui está rodando em um Ubuntu Server por exemplo.

Naturalmente ela seria tendenciosa, se trata da minha opinião sobre as coisas que eu gosto, ela vai tender para o que eu gosto. Faça uma tabela sua e tende não ser tendencioso pelo que você gosta, é impossível.
Se eu estivesse fazendo uma análise para outras pessoas, eu colocaria valores diferentes, certamente, porque o que eu vejo como problema, você pode ver como solução e vice e versa.

1 Curtida

Tudo no Linux pode ser customizado, é difícil imaginar algo que uma distro tem que de uma forma ou de outra não possa ser implementado em outra distro. Por isso, só podemos analisar o que vem por padrão.

Concordo com você, não é a “melhor forma”, mas não é a pior também. Acho que a pior seria ter que compilar tudo ou pior, nem ter o software ou recurso. No caso das extensões do Pop e no Ubuntu, elas são mantidas pelos desenvolvedores da distro, e eles estão ali justamente para garantir a compatibilidade.

Sobre PPAs, é só a forma de instalar softwares da comunidade, como AUR e o RPM Fusion. Você pode preferir um ou outro, mas no fim das contas, todos fazem a mesma coisa, que é deixar o software disponível pro seu sistema.

Atualmente a necessidade de usar repositórios Extra oficiais é bem menor que antigamente em todas as distros praticamente também.

3 Curtidas