Quais as interfaces gráficas para sistema operacionais são as mais exóticas, esquecidas ou desconhecidas?

Nos últimos meses tenho pesquisado muito sobre “interfaces gráficas” (vou utilizar o termo para ser mais didático e englobar tudo em uma mala só: ambientes de trabalho, gestor de janelas, etc), e tenho me deparado com algumas bem desconhecidas ou esquecidas do grande público. Para os mais experimentados, quais as interfaces mais diferentes que vocês conhecem e que acreditam que muitos não tem o conhecimento sobre a existência das mesmas?
A última que tomei conhecimento por exemplo foi a ZappWM:


3 Curtidas

Esse ZappWM combina com aquele tópico sobre o ROX. Parece ser um facilitador para quem quiser um desktop levinho em torno do ROX-Filer. Eu não conhecia.

Um site jurássico para descobrir gerenciadores de janelas é o http://www.xwinman.org. Quando eu comecei no Linux, ele ficava em outro endereço ainda. Alguns dos gerenciadores de janelas abordados ainda são mantidos, outros pararam no tempo. Nele descobri wmx, wm2, ctwm e outros.

2 Curtidas

Eu já aguardava uma resposta sua, rsrs. Muito obrigado por corresponder as expectativas!
Sim, eu cheguei até esse DE por causa do Rox, seria uma versão modernizada e melhorada dele.
Não conhecia esse site, vou “surfar” por ele agora mesmo.

2 Curtidas

Essas DE e WM doidas eu acabo descobrindo aqui mesmo, como o TDE e esse ROX. A que descobri por acaso, no YouTube, foi o Sway (nem é tão novidade), que é o I3 portado pra Wayland
EDIT: esqueci de falar do Enlightment, achei por acaso quando descobri o Elive

1 Curtida

Também esperava uma resposta sua como sempre, rsrs. Não conhecia até agora essa Sway.

1 Curtida

Ah, velharia é comigo mesmo! Tem também aquela reencarnação do lendário CDE (Common Desktop Environment, uma tentativa de unificar os desktops dos sistemas Unix comerciais, cujo código também foi aberto), recriada a partir do FVWM. Acho que pouca gente conhece, até porque não tem muito apelo para quem é mais jovem e começou com um Plasma todo bonitão. O nome do projeto é NsCDE.

O projeto tem uns vídeos no YouTube mostrando o funcionamento. Para quem gosta de muitas opções para gerenciar janelas e curte esse visual antiquado (é baseado nas ideias do Motif, ou seja, coisas do fim dos anos 1980), é um prato cheio.

1 Curtida

Off-topic
Ando testando o Reborn OS, ele tem um instalador que nunca tinha visto, o Cnchi. E uma customização do Cinnamon pra se parecer com o Pantheon

1 Curtida

As do Windows 95 e 3.11, exemplo, o MS Bob:

Ele tras uma metáfora ainda análoga a um cômodo da casa como a do desktop, mas era focada em users não corporativos, pena que nasceu antes do tempo:

2 Curtidas

CDE eu conheci nas antigas revistas “Informática Exame” que um dia ganhei quando menino para utilizar em um trabalho. Instalei-a e o FVWM no ArcoLinux, mas, ficaram bugadas por falta de alguns pacotes.

Eu gostava desse estilo “CD-ROM Interativo” a Microsoft descontinuou esses assistentes porque o povo reclamava demais, vá lá se saber o motivo.

Usava todos os recursos da máquina (por vezes até o que em tinha) e faltava pros programas

Ah, está explicado. Existiam também os assistente do Office, o Mago (Merlin?), o Cão e o Clipe de Papel

1 Curtida

@Rodrigo_Chile Esse aqui:
ANTERGOS 18.6 - AINDA COM ERRO NO CNCHI (MÉTODO PARA INSTALAR KDE SEM ERROS) - YouTube
?

1 Curtida

Esse ae, o Reborn é o continuador do Antergos

É bem capaz que eu tenha visto telas do CDE na Informática Exame também! Era uma das poucas revistas de informática do mercado nos anos 1990. A Informática Exame até tinha algumas reportagens falando de Macs ou do OS/2, mas eram mínimas. Eu ainda tenho algumas edições da revista no meu acervo, algumas em melhor estado do que outras.


Uma outra interface gráfica que fez história no mundo Unix foi o Indigo Magic Desktop da Silicon Graphics (SGI). A maioria das pessoas já viu pedaços dela filmes como Jurassic Park, mesmo sem saber.

O IMD não era unificador como o CDE, na verdade, ele era exclusivo do sistema operacional Irix das workstations da SGI, mas foi importante para mostrar outras ideias e possibilidades para um ambiente amigável, principalmente porque as máquinas da SGI eram utilizadas para trabalhos criativos.


Fonte da imagem

Ele foi um dos primeiros (talvez o primeiro) a ter ícones vetoriais escaláveis. Depois de um tempo, renomearam o IMD para Irix Interactive Desktop.

O projeto MaXX Interactive Desktop tenta proporcionar uma experiência parecida em sistemas operacionais baseados no Linux. O MaXX também utiliza o ROX-Filer, que, apesar de muito legal, não guarda semelhanças com o gerenciador de arquivos original do Interactive Desktop.

2 Curtidas

Conheci o OS/2 WARP e o NeXT através das páginas dessa revista.
Essas workstations eram coisas de outro mundo e tinha uma interface fantástica para época, algo à sua altura.

1 Curtida

Ss, teve os assistentes e uma série de tentativas prematuras demais de matar a metáfora do desktop o que as tornam bem exóticas, mas o mais curioso (na minha opinião) eram as que que tentavam recriar a metafora desktop de maneira mais humana:

Desktop normal
mcapdesktop

Menu de apps estilo “others”

mcapaccessories

Olha como era navegar nas pastas

mcapfiles

2 Curtidas

Nessa época a “onda” era tentar reproduzir a realidade ipse litteris no setor de tecnologia, teve aquela onda em que tudo era cyber, a realidade virtual era como um filme, etc.

1 Curtida

Tem um vídeo do Dio falando sobre essa metáfora:

2 Curtidas

A interface gráfica do NEXTSTEP (e depois OpenStep) era algo incrível para a época e continuou fazendo a cabeça de muita gente, até um brasileiro chamado Alfredo Kojima decidiu ir além do AfterStep e criar o gerenciador de janelas Window Maker. Chegamos a ter alguns esforços do GNUstep para a criação de um ecossistema em torno das ideias do NEXTSTEP, mas só o Window Maker realmente vingou. Eu até achei que o projeto Étoilé tinha potencial para dar um novo impulso ao GNUstep, mas acabou não acontecendo.


Captura de tela extraída do site oficial

Acho que o Window Maker é bem conhecido, apesar de ter perdido muita popularidade, mas o Étoilé é meio obscuro, imagino eu.

Uma curiosidade é que o Synaptic nasceu pelas mãos do mesmo Kojima e, originalmente, tinha a cara de um programa feito nos moldes do NEXTSTEP/GNUstep. Não achei nenhuma captura de tela na Internet, mas eu tenho uma do meu manual do Conectiva Linux 7:

2 Curtidas