Quais a vantagens de usar /Home separada?

Uma dúvida que eu tenho é em relação ao fedora já que a partir de agora usa o btrfs
Se o sistema vir que uma partição está sem espaço essa mesma partição faz diminuir o tamanho da Home (separada e aumentar o tamanho do sistema) ?

Sim faz anos isso ja, hj eu limpo os caches tbm

Se ficar com muito cache na partição do ponto de montagem, é capaz de nem dar boot gráfico. Já aconteceu comigo duas vezes na época em que usava Ubuntu. Quando vi, eram resíduos de internet e programas, por isso o uso de BleachBit ou Stacer para mim é quase que obrigatório, principalmente porque algumas distros como o Ubuntu permitem que o disco se encha a revelia. Sempre achei isso um ato falho do sistema.

1 curtida

Caramba… Foi bom lembrar.

Só no Arch limpei quase 10 GiB.

1 curtida

É uma boa ideia.

2 curtidas

A ideia por trás de usar a /home separada é de manter seus dados pessoais “isolados” do sistema. Mas como proprietário de HD mecânico, os meus motivos são outros:

1 curtida

Não quero parecer rude (NÃO estou sendo, por favor, não me interpretem mal!), mas essa pergunta me parece estranha uma vez que os motivos são óbvios, não sei se estou deixando de considerar alguma coisa. A não ser que o OP seja iniciante no Linux e não saiba a função da partição /home

É literalmente a mesma coisa que você perguntar por que se deveria separar uma unidade D: no Windows. Ou seja, a razão porque alguém cria uma partição /home no Linux é praticamente a mesma porque alguém criaria uma unidade D: no Windows.

A partição /home ou unidade D: é o local onde seus arquivos pessoais deveriam ser armazenados, se você formatar o sistema operacional, você pode ficar tranquilo que seus arquivos pessoais continuarão lá.
Imagine que está tudo concentrado na partição raiz ou unidade C:, já pensou se você tem um computador com gigas e gigas de arquivos pessoais e você, por algum motivo, precisa formatar o sistema operacional? Você perderia tudo!

Há milhares de motivos que lhe motivariam a formatar seu computador: você quer atualizar o sistema através de uma formatação limpa, você quer mudar de distribuição Linux, o sistema quebrou, pegou um vírus que não quer sair, etc. Se tudo estiver numa partição só, seus arquivos pessoais serão todos perdidos (é claro que você pode ter um backup, mas você ainda teria o trabalho de colocar tudo de volta…), se você tiver o sistema com partições separadas, seus arquivos pessoais continuarão lá e você apenas terá o trabalho de reinstalar alguns programas e talvez fazer algumas configurações básicas para deixar o sistema operacional do seu jeito.

É lógico que isso não é uma regra absoluta, mas mesmo as situações onde seria mais interessante tudo junto, isso seria óbvio para o indivíduo que está fazendo a formatação, mesmo para os menos entendidos de informática. Citarei um exemplo que consigo pensar agora:
Digamos que você tem um computador em dualboot de Windows com Linux. Seu sistema operacional principal é o Windows, mas você usa o Linux para umas pequenas tarefas bem específicas. Praticamente todo o espaço é ocupado pelo Windows e é numa partição do sistema operacional da Microsoft onde estão seus arquivos pessoais. Você dedica um pequeno espaço do HD/SSD para o Linux (apenas a partição raiz e talvez mais alguma partição obrigatória como EFI), no Linux você não armazenará nenhum grande volume de arquivos pessoais e todos eles ou não serão importantes, ou terão um backup constante. Nesse caso, o Linux não necessita de uma partição /home porque praticamente não há nenhum arquivo pessoal que você precisaria fazer backup antes de uma eventual formatação.




Então, qual é a divisão ideal?

Sei que o pessoal já respondeu, mas deixarei minha contribuição.

LINUX

/boot_efi =500MB está de bom tamanho. Pode ser que essa partição seja necessária ou não, pesquise por “UEFI Linux partição”.
/ = 40GB está de bom tamanho, eu instalo muitos programas e só consegui ocupar 25GB
/swap = se você usa notebook no qual existe a possibilidade que precise hibernar, ponha a mesma quantidade de memória RAM. Nos demais casos, computador de mesa ou notebook que não será posto para hibernar, creio que a metade da memória RAM está de bom tamanho. Você pode optar por um arquivo swap em vez de uma partição, pesquise mais a respeito.
/home = você põe o resto do espaço para esta partição, pois será nela onde você guardará seus documentos pessoais.

WINDOWS

C: = o artigo da WIkipédia em inglês sobre o Windows 10 diz que a quantidade mínima de espaço é de 32GB, então se você é o tipo de pessoa que instala poucos programas e o que você instala não é muito pesado, creio que 60GB seja o suficiente. Mas se você costuma instalar muitos programas e até mesmo jogos, procure calcular o quanto você precisará. Mas não se esqueça que você geralmente pode instalar programas e jogos em outra partição que não seja a principal.
D: = você põe o resto do espaço para esta partição, pois será nela onde você guardará seus documentos pessoais.

8 curtidas

Só foi uma discussão que quis abrir…pra ver os pontos de cada um mesmo

3 curtidas

E como se faz para apontar o / á home?

No deepin

Não entendi muito bem a pergunta, de qualquer forma, ainda não conheço o Deepin.

Se você está se referindo a “reutilizar a /home já existente”, seria apenas selecionar o /dev/sdX (referente a /home) e escolher o ponto de montagem como “/home”, e NÃO marcar a opção de formatar.

Eu nunca fiz isto, mas acredito que seja este o procedimento.
Se é possível fazer isto no instalador do Deepin, eu não sei.

1 curtida

Usar /home separada não seria equivalente( para quem praticamente nunca muda de distro) fazer backup da /home para uma futura reinstalação?

Sinto que fazer /home separada envolve uma certa perda de espaço pois geralmente nunca se consegue prever o quanto a /home vai precisar e o quanto o sistema vai precisar.

ai vai de vc saber utilizar o espaço
minha / e de 10GB e esta em uso metade ou seja 5GB
pra mim home separada representa a segurança máxima em caso de problema.

1 curtida

Não é considerado backup porque é na /home onde estão os arquivos que você usa no dia a dia, não é uma cópia de segurança, por mais que numa formatação para instalar uma nova distribuição (ou fazer uma atualização limpa da distro existente, como do *ubuntu 18.04 para o *ubuntu 20.04), seus arquivos pessoais serão preservados se estiverem na /home.

Tudo bem que você não pretende mais formatar a sua máquina (acho muito difícil…) porque você usa uma distribuição rolling release, mas e se der algum problema que você não consiga resolver e precisa recorrer à formatação?


Por acaso sua unidade de armazenamento tem apenas 40GB ou menos? Cara, na boa, não há “perda” significativa de espaço, ponha uns 40GB para a partição raiz / que já estará de boooom tamanho, talvez uns poquíssimos GB para outro tipo de paertição como EFI ou SWAP e o resto você deixa para a /home.



Você sabe é o que faz na sua situação, mas são raras as situações onde não ter uma partição /home separada é boa ideia.

Isso depende muito, como você falou, de cada caso. Só para ter uma ideia, tive que fazer uso de um programa que tinha uma biblioteca de componentes com mais de 2 GB. Recentemente tive que baixar um outro que era mais de 2 GB. Digamos que o Ubuntu use 10 GB. Uma partição de 40 GB seria 4x o Ubuntu, entretanto, se escolhesse deixar 20 GB, poderia faltar.

Para quem tem um armazenamento pequeno, como num SSD, cada GB conta. Mas aí vai de cada um.