Por que Linux não roda Apps em .exe?

Boa Tarde…
Sou um usuário do Windows todavia gosto bastante do Linux.
Vira e mexe estou instalando o Linux no computador.
O que me bato muito é sempre as instalações de programas no Linux. Não tem uma vez se quer que não me bato horas e horas para instalar um simples programa.
Mais isso tudo bem minha pergunta é simples, mais uma duvida.
Pq o Linux não instala o arquivo “.exe”. Pq tem que utilizar o Wine como uma “gambiarra” para instalar arquivos do Windows…
Pq o linux não torna isso mais fácil para usuário como eu que todas as vezes me bato para instalar algo nele.

Um exemplo. Instalei o Linux Mint por ser fácil de usar e por vídeos que vi no youtube.
Meu inferno começou quando conectei o hdmi do meu notebook na tv… Não existia cristo que fazia duplicar a imagina do notebook na tv… Foram longos 20 dias exaustivos de pesquisa e de como eu iria fazer isso funcionar no linux…
Quando achava uma solução me batia com o problema de instalar o programa hahahahaha
Mais depois de algumas horas eu conseguia instalar, mesmo assim não conseguia passar a imagem do not para a tv…

Resumindo, não precisava nem deixar isso longo.
Pq o Linux não usa arquivo .exe? Pq tem que usar o wine sempre.
Pq o linux não torna mais facil as instalações de arquivos.
Windows vc conecta o cabo hdmi no not na tv derrepente ele passa a imagem e o som.
No linux foram 20 dias seguidos tentando ate eu dessitir.

1 Curtida

Boas vindas ao fórum!

Em primeiro plano, Linux não é um SO, mas sim um Kernel. Existem diversos SO’s os quais utilizam este Kernel, por exemplo: Ubuntu, Manjaro, openSUSE, SolusOS, entre outros.

Isso que você acabou de falar é a mágica e a treva do mundo Linux, pois aqui existem N formas de instalar um programa. Por exemplo, enquanto só existem “um” Windows, e o mesmo instala programas através de um .exe ou .msi, em uma distribuição Linux, Ubuntu por exemplo, pode ser feito de diversas maneiras, o que chamamos de “empacotamento”, o mais “clássico” é o .deb, algo equivalente a um .exe ou .msi, quando tratamos de distribuições baseadas no Debian ou no Ubuntu. No openSUSE e no Fedora, instalamos programas, geralmente, empacotados como .rpm, mas todas as distribuições, tecnicamente, aceitam pacotes universais, como por exemplo: flatpak, snaps e appimage (sendo este último como um portable do windows).

Ai já não é o problema do Linux em si, mas costume. A quanto tempo você usa Windows e a quanto tempo você usa alguma ditribuição do pinguim? Quando falo com uns amigos meus mais open-minded, sempre os explico que é como sair do Android e usar o IOS pela primeira vez, ou caminho contrário. Para duplicar a tela é bem simples até.

Porque o Linux não é o Windows, simples assim. Como dito anteriormente, isso é a benção e a treva do pinguim para usuários mais leigos. Te deixo uma pergunta, o Mac OS seria ruim ou difícil por não existir um .exe também, ou seria por que ele usa um formato escolhido pela apple?

De qualquer forma, eu entendo sua frustação, mas é questão de costume. Não se aprende a usar algo novo em um piscar de olhos. Por exemplo, uso distribuições Linux desde 2014, por isso tenho certa facilidade, mas ainda encontro dificuldade em outros ponto até hoje.

Convoco o Mago do Manjaro, @Rodrigo_Chile e o @Natanael.755 para essa discussão.

8 Curtidas

Gostei de sua resposta!!!
Atualmente estou usando windows 10…
Porem eu não sei pq sempre tem algo que me puxa para o lado do linux . hahahahahahha
Eu to querendo fazer um dualboot no meu hd!
Ja para ter o linux e windows neles…
Qual linux recomenda ? Qual eu não teria problemas para um dualboot do grub hehehehee
Qual seria o mais fácil.
Ou eu aprendo a usar o Linux de uma vez ou eu aprendo hahahahaha
Nao tem outra alternativa! hahahaa

3 Curtidas

Então, eu recomendo você a usar alguma distribuição, ou simplesmente “distro”, baseada no Ubuntu, pois tendem a ser mais fáceis e são bem consolidadas, e que tenham uma cara mais similar ao Windows. Como você mesmo disse que chegou a instalar o Linux Mint, acho que é um bom caminho. O fórum está sempre de portas abertas para tirar dúvidas e ensinar. Lembre-se, não existe pergunta idiota. Nós começamos sempre de algum lugar e não sabemos de tudo logo de início.

Vida longa e próspera :lizard: :vulcan_salute:

4 Curtidas

Hahahaha… o apelido pegou

Então, ao migrar de um sistema a outro, sempre tem a tal curva de aprendizado - ou seja, se acostumar com o novo, pesquisar, fuçar, procurar e/ou descobrir soluções. Quando comecei, justamente com Linux Mint, também apanhei com congelamentos aleatórios (até descobrir o que era swap), com espelhar outro monitor via HDMI e por aí vai. Pra isso tem os sites de busca e fóruns como este e outros tantos. Mas é menos difícil do que parece - acostumar-se a usar a loja ao invés do esquema “baixa-install-next-next-finish” (nisso, parece esquisito mas Android usa isso e acaba sendo mais fácil - desde que não se use Ubuntu e a sua sempre-bugada-SnapStore), procurar as configurações de sistema.

O que eu recomendo pq foi o que fiz: deixar o Windows como seu “lugar de trabalho” (a gente fala “sistema de produção”) por um tempo; fiz isso por uns meses. E, nas horas vagas, abrir a distro Linux, fuçar, instalar, desinstalar, atualizar, olhar as configurações, testar. Procurar alternativas aos programas que você usa no Windows (algumas são ótimas, outras nem tanto; umas exigem mudar a forma de trabalhar - no meu caso, que uso Photoshop e Illustrator, tive de me habituar ao Gimp e ao Inkscape), testar essas alternativas em ambiente Windows e Linux, brincar. Se quebrar algo, relaxa - o sistema Linux tá ali pra testes mesmo. Mas sempre ter backups das suas coisas é fundamental.

Alguma hora você domina a distribuição Linux e fica pronto pra largar o Windows aos poucos e/ou em definitivo. E pode até achar que o Mint já não é mais suficiente, quer algo mais incrementado ou poderoso. No meu caso, achei o Manjaro. Mas pode ser o OpenSUSE, o Fedora, o Arch, o Regata. Uma vantagem do universo GNU/Linux é essa: escolhas. E elas vem com consequências e responsabilidades. Por isso que não há caminho fácil. Mas há recompensas, isso há!

3 Curtidas

Eu preciso que você seja honesto comigo, você abriu um post aqui no fórum ou em outro lugar? Reportou os desenvolvedores da distro? Mês passado (sim, não sou de assistir filmes) eu assisti um filme direto do meu notebook na TV via HDMI usando Linux (sim no meu perfil está que eu uso Windows mas pra consumo multimídia e desenvolvimento eu prefiro Linux) e não tive problemas… o que indica que isso não é um problema do Linux mas de suporte ao seu notebook, sem reports não tem como saber se o problema com seu hardware existe

Por que usar .exe não ajuda, na verdade atrapalha o formato MZ é muito inferior ao ELF dos sistemas Linux, rodar .exe nunca foi problema nos sistemas Linux nos tempos recentes, o problema está nas bibliotecas do Windows que são fechadas, uma prova disso é o ReactOS ele usa .exe e nesse ponto enfrenta os mesmos problemas que os sistemas Linux pra rodar programas do Windows

Mas já é mais fácil, nos sistemas Linux nem instalar você precisa, só dar 2 cliques e o programa abre, experimenta baixar no formato .AppImage

Muito simples de explicar, o Windows tem muito mais usuários, vamos supor que de cada 1000 pessoas com esse tipo de problema 1% reporta para os devs do sistema operacional (e isso é uma estimativa utópica), nos sistemas Linux só existiriam reports a nível estatístico (0,00285 usuários a nível de curiosidade, nem dá pra falar vai ter report) no Windows são 10 reports

Sem reports = sem ter como resolver

Um detalhe importante, é que linux é o kernel, logo isso engloba muita coisa que não deveria por exemplo, porque eu iria querer suporte a plug and play de um cabo HDMI numa distro para servidor?

4 Curtidas

Em primeiro lugar, como já foi dito, o Linux em si não é um sistema operacional completo. Ele é apenas o núcleo do sistema. E existem vários sistemas operacionais que usam ele, como o Ubuntu, Fedora, Android…

A forma como as distros Linux são desenvolvidas, especialmente as de desktop, é muito diferente da forma como o Windows é desenvolvido. O Windows é um SO completo, desenvolvido por uma empresa, a Microsoft. Enquanto que uma distribuição Linux típica de desktop é uma junção de vários componentes que são desenvolvidos por várias empresas e comunidades que trabalham de forma independente.

As distros Linux também não tem obrigação de rodar programas do Windows. Da mesma forma como o Windows não tem obrigação de rodar programas do Linux. Cada sistema tem o seu formato de programa.

O Dio fez um vídeo muito esclarecedor sobre esse assunto. Dê uma olhada:

4 Curtidas

cara desculpa te falar… Eu nem imaginava que o linux existia esse tipo de suporte cara…
Se eu soubesse que tinha este suporte para o meu caso do hdmi… Jamais teria abandonado o linux… hahahhahaha
Cara e olha que pesquisei cara… Meu deus do céu. Fiquei 20 dias a fio cara tentando e correndo atras… Cheguei a publicar em um forum (onde resolvi problema de audio nele) cara…
Os cara nem imaginavam como… Chegaram a me oferecer uma parada que vc criava tipo um “ip para conectar na net” hahahahha
Algo assim para se ter ideia eu nem sei como explicar ahahhaha

1 Curtida

Windows é padrão de mercado, então as coisas são feitas para ele (ironicamente, a Microsoft experimentou a posição de marginal quando tentou competir com a Google nos sistemas de celulares).

Ainda assim, para um sistema com essa enorme vantagem, o Windows nos deixa na mão mais do que deveria.

Tenho um computador “manhoso” em sua ligação HDMI com a TV, e o Windows falha tanto ou mais que as duas distros Linux com que divide o controle da máquina.

De todo modo, nas duas distros, configurar vídeo é tão fácil quanto no Windows, só são “caminhos” diferentes. Conseguir que o som saia na TV nas distros não é automático como no Windows, mas é coisa de três cliques.

Finalmente: instalar programas em distribuição do Linux pode ser muito fácil. Nas distros com loja de software, estando o programa de interesse lá, é facílimo. Mas por terminal ou Synaptic não é aquela complicação toda, não. Depois que a gente entende como instalar por Terminal, fica até achando Synaptic e loja de aplicativos uns luxos, desnecessários.

2 Curtidas

O que é fácil e o que é difícil é uma questão de perspectiva, mas a um consenso no brasil que o povo diz que o Mint é o fácil, mas como tem muitos usuários do Mint talvez as pessoas estejam sendo influenciadas pelo favoritismo ao invés de ser técnico.

Eu por exemplo gosto do Lubuntu e se você me perguntar qual sistema eu recomendo, é claro que vou indicar o Lubuntu porque eu gosto dele.

O porque .exe não roda em Linux é porque o binário não foi construído para rodar no Linux, ele foi construído pelo compilador para rodar no Windows.

Mas existe uma API(Wine) que foi construída para rodar .exe, mas essa camada de compatibilidade não é de 100% por isso é melhor evitar de usá-lo caso possível.

Eu vou baixar e instalar o Ubuntu.
Vou fazer um dualboot aqui.
Andei dando uma pesquisada também, alguns jogos da steam estão rodando tranquilamente no Linux hehheheh. Eu gosto de alguns jogos dali.
O Windows eu estava até achando interessante a maneira de trabalho dele porém os updates deles nunca acabam. O que me incomoda bastante é que você pode formatar, configurar, acender uma vela, fazer de tudo, da 30 dias o sistema começa a travar usar 100% do HD vira uma porcaria.
Vou começar a me Costumar com o Ubuntu, asssisto bastante vídeos no YouTube sobre e parece ser uma distribuição bem popular e com bastante suporte caso algo aconteça.

Considere os link’s a seguir como um material de apoio de como preparar o ambiente Linux, no seu caso a distro Ubuntu, para jogar.

https://www.protondb.com/

https://lutris.net/

Qualquer dúvida, busque por tópicos antigos do fórum ou crie um tópico novo.

  • Wine: é um acrônimo para Wine Is Not An Emulator. Uma camada de tradução para rodar programas do Windows no GNU/Linux;

  • Proton: wine modificado pela Valve que auxilia a instalação de jogos via Steam;

  • Lutris: interface gráfica para o wine, facilitando a criação de bottles e certos parâmetros/refinamentos necessários para rodar algumas aplicações, com foco em jogos e emuladores;

  • ProtonDB: site que serve como um banco de dados onde as pessoas dão seu report se o jogo tal roda no Linux bem ou não.

Não apenas alguns, mas a maioria. Basta ir nas configurações, Steam Play e ativar o Proton para todos os jogos. A maioria esmagadora dos jogos de Windows irá funcionar, sendo as exceções os jogos que usam anti-cheat invasivo.

Faz mais de um ano que migrei para o GNU/Linux. Sou jogador assíduo e Pop_OS!, que é meu único sistema, atende extremamente bem.

Porque é um sistema diferente, assim como o MacOS só usa mais o .dmg

Aproveitando a deixa!!! Claro caso alguém que esteja respondendo aqui saiba, obvio!
Eu tenho um notebook inspiron 15 serie 3000 ( dell).
Tenho um windows 10 instalado. Quero fazer um dualboot.
Onde na tela inicial aparece Windows ou Ubuntu!!
Assisti um video onde se fala do grub porem alguns não usa o tal grub.
O ubuntu seria este grub? Existe algum segredo que eu possa fazer para dar tudo 100%. Uma vez que fiz com o mint ele não apareceu como dual boot!

Uma boa prática de proceder é pesquisar em fóruns em sua língua materna (e.g. esse aqui) se não achar (essa pesquisa geralmente dura cerca de 30 min) você abre um tópico (recomendo aqui, o VoL é muito tóxico) e quando e se receber a solução você manda para distro Linux assim mais ou menos assim:

Olá, eu vim reportar que [o que está querendo fazer] não está funcionando corretamente

[Insira aqui os detalhes técnicos + seu hardware relacionado]

A solução eu encontrei nesse fórum aqui está o link [link pro post] poderia por gentileza incluir essa solução no sistema?

2 Curtidas

Não, Ubuntu é uma distribuição completa que usa o GRUB, o GRUB é um software que permite inicializar vários sistemas operacionais

Alguns usam o systemd-boot no geral não recomendo, só pesquisar “qual gestor de boot a distro X trás”

  • Desative o Fast Boot, pra isso abra o cmd como administrador (Tecla com a logo do Windows + X te dá essa opção) e digite o comando:
powercfg -h off
  • *Desabilite a hibernação", ainda no terminal como administrador, digite:
powercfg.exe /hibernate off
  • Durante a instalação não altere onde o bootloader vai ser instalado

E só, no geral tem a opção “instalar ao lado” pode ser a melhor opção

Olá @oliveiraadas, seja bem vindo a comunidade.

Eu não sei exatamento o que é .exe de forma técnica, eu só o conheço como popularmente dito “uma extensão de executáveis Windows”.
Fiz uma breve pesquisa na página Wikipedia do .EXE, e em poucas palavras, lá diz:

“EXE é uma extensão de arquivos que podem ser executados por computadores que estejam executando algum sistema operacional Microsoft Windows.”
Desenvolvido por: Microsoft

Este “Desenvolvido por Microsoft” me leva a crer que esta extensão seja “proprietária e código-fechado” (corrijam-me se estiver errado).

Pelo fato do EXE ser proprietário e de código-fechado, nenhum outro sistema operacional que não seja Windows pode executá-lo, por esta razão, MacOS possui seus próprios softwares e extensão, assim como Distribuições Linux também possuem seus próprios softwares (também chamados de pacotes) e extensões.

Wine

O Wine se encontra em constante desenvolvimento há decadas, com o objetivo de “tentar contornar isto”, e até funciona em alguns casos, mas você precisa entender que Wine é apenas uma “Cortesia”, um “Quebra-Galho”.

Se você está gostando de usar alguma Distribuição Linux, você precisa se adaptar aos softwares desenvolvidos para Linux, e tentar reduzir o máximo possível dos softwares EXE, caso contrário, sua jornada será muito frustrante, além do fato de não haver sentido usar Linux, visto que teus softwares são EXE, e para eles existe o próprio Windows.

Distribuições Linux e Derivados

Aproveitando que você está começando agora, gostaria de lhe apresentar o que são Distribuições Linux.

Distribuições Linux oferecem a “distribuição de pacotes” (softwares) por meio de “repositórios”, cujos pacotes de sistema são hospedados em “servidores”.

Existem “Distribuições”, e existem “sistemas baseados em distribuições”, você é livre para escolher qual usar.

Abaixo, apenas algumas das distribuições e baseados mais populares (Clique para expandir):

Ubuntu

Ubuntu
Linux Mint
Pop!_OS
KDE Neon
Zorin OS
Elementary OS

Debian

Debian
LMDE
MX Linux
Deepin

Fedora

Fedora
Red Hat Enterprise Linux

ArchLinux

Arch Linux
EndeavourOS
Garuda

Manjaro

Manjaro

Solus

Solus

openSUSE

openSUSE
Gecko

Mageia

Mageia

OpenMandriva

OpenMandriva

Slackware

Slackware

Gentoo

Gentoo

Com o tempo, você começará a perceber que, embora haja diversas distribuições, todas elas são praticamente a mesma coisa, pois todas elas utilizam o mesmo Kernel Linux, a maior diferença entre elas são os Gerenciadores de Pacotes (Ex.: apt, dnf, pacman, eopkg, zypper, urpmi, portage, entre outros.)

Referência: Linux dicas e suporte: Liberdade do software livre ( free software ) e distribuição de pacotes.

Instalei o Ubuntu aqui! Até o momento está tudo 90% hahahahhahah aqui 10% e arrumar os ícones onde gosto e tal.
Já quase chorei de emoção quando quando instalou um baita de uma atualização e não reiniciou o sistema para atualização! Hahhhahahha

2 Curtidas

Não exatamente, o ReactOS usa, o FreeDOS usa, o Wine usa…