Perguntas freguentes sobre Linux, Leia e esclareça

Tem dúvidas sobre o Linux? Continue lendo e esclareça!

Quem criou o Linux?

Linus Torvalds com a ajuda de hackers do Minix.

O que é Linux?

É o Kernel, núcleo do sistema operacional, por isso apelidei de coração do sistema, assim como o coração fornece vida para nós seres humanos, o Kernel dá vida ao sistema operacional.

O que é GNU?

É um projeto criado por Richard Stallmam no final de 1983, com a ambição de criar um sistema operacional de código aberto e livre. GNU foi baseado no Unix, mas seu nome é um acrônimo para “GNU NOT UNIX”, que traduzido para o português é “GNU NÃO UNIX”, ou seja, mesmo que seja baseado, a ideia era criar algo diferente.

O que são patches?

Como se fossem “remendos” nas feridas do sistema, ou seja, são correções de falhas no sistema.

Por que o GNU/Linux tem o coração (Kernel) mais saudável?

O mais provável é porque foi criado com Kernel monolítico e modular, o monolítico executa melhor desempenho, torna o sistema mais leve, e faz com que o mesmo sistema fique mais seguro, e o modular carrega módulos para tornar o sistema mais enxuto/leve/compacto.

Qual o GNU/Linux é indicado para leigos?

Ubuntu.

Qual o programa que facilita a instalação de programas no GNU/Linux?

Synaptic, que foi criado pelo Brasileiro Alfredo Kojima.

Por que o GNU/Linux não tem código malicioso se todo mundo pode contribuir?

Porque o código do kernel é avaliado, se ocorrer de haver algo malicioso, o que é raro, o código é rejeitado.

Porque devo adotar Linux na minha empresa?

  • Porque é leve, robusto, seguro, estável, transparente, confiável, flexível, personalizável, gratuito, intuitivo, dedutivo e sem falar que a maioria das distros oferecem privacidade.
  • O Código é aberto para aperfeiçoar o sistema.
  • Não tem crack e é livre o que evita a pirataria de software.
  • Não tem número de serial para verificar a integridade do programa, já que o checksum é a verificação do programa por um código especifico.
  • O Firewall IPTABLES te dá total liberdade para você criar sua própria regra de segurança.
  • Não tem desfragmentador de disco para organizar os arquivos do HD,pois a estrutura de diretórios já organiza.
  • A empresa sabendo que o Linux é gratuito,irá investir apenas em qualificação do funcionário,ao qual chamamos essa qualificação de LPI(Certificado de profissional em Linux). É um preço muito baixo comparado ao DVD original do Windows que custa muito caro.
5 curtidas

quando você fala Kernel GNU/Linux você diz o do Debian em especifico? mas não é uma característica do próprio Linux ser monolítico e modular? por que especificamente GNU/Linux?

Ele está (pelo que eu entendi) falando das distribuições gue usam o toolkit GNU como a famigerada glibc

2 curtidas

Não acho que nada que tenha “gnu” esteja nas perguntas frequentes… Talvez em grupos sobre gnu apenas…

2 curtidas

Opa, blz? Tem vários pequenos problemas aqui.

Explicando melhor, dentro de uma estrutura de um sistema operacional, a camada do Kernel seria a que contém os drivers para funcionamento de todos os dispositivos contidos no computador. É o Kernel que faz a interface entre o hardware e os demais software, gerenciando memória, cpu e tudo mais. O Kernel Linux hoje em dia tem seu próprio terminal, seu próprio bootloader também, entre outras coisas, comparar com o corpo humano é complicado, talvez a comparação com o coração esteja mais relacionada a importância dele, mas acho que o cérebro do sistema operacional seria uma associação interessante, é um orgão vital, que gerencia o restante e faz conexões nervosas com todo o sistema.

Na verdade é " GNU’s Not Unix", ou seja “GNU não é o Unix”, a ideia era fazer um sistema compatível com Unix mas completamente livre, porque era o sistema que se usava primariamente na época, nas universidades.

“GNU/Linux” não é algo que exista de fato, é apenas uma denominação que a FSF usa porque… sim. O Stallmam mesmo vinha chamando recentemente de GNU+Linux, mas a verdade é que GNU é uma coisa e Linux é outra, e eles não andam juntos sempre, é bom não confundir. Não existe uma “GNU/Linux Foundation”, mas sim uma Linux Foundation e uma Free Software Foundation. Essa briga de nomenclaturas é antiga e eu às vezes evito comentar porque as pessoas sempre são ásperas sobre isso, mas como este é um artigo QA, acho importante clarificar.

Acho que isso está muito ligado ao objetivo do projeto, 'saudável" não é um termo, por mais que seja uma analogia, muito bom para designar software. O que deixa o Linux mais interessante é o fato dele ter código aberto especialmente eu diria. O modo de funcionar dele, sem dúvida é muito legal.

Altamente discutível, apesar de ser uma excelente distro e uma das minhas favoritas.

“Linux” não é um sistema, e o Ubuntu não é o único Linux, e nem mesmo o Debian. o Synaptic é geralmente usado com distros que trabalham com ‘.deb", não funcionando com rpm por exemplo, ou no arch. Logo, não, ele não se aplica nessa categoria. "O Software’ que facilita a instalação, seria a loja de aplicativos ou gerenciador de pacotes de cada distribuição, GNOME Software, KDE Discover, Mint Install, Pamac, etc.

Um dos principais motivos do Linux (não são os mesmos softwares que o GNU) terem um nível alto de segurança, é o fato de ter código aberto e ser um projeto com milhares de pessoas utilizando e avaliando. Não existe, de forma geral, propriedade sobre ele e nem interesse de que ele seja vulnerável.

Na verdade até tem.

A distros em si geralmente não mesmo, mas existem softwares que a empresa pode usar que possuem. O serial e o Checksum servem para coisas muito diferentes. Checksum é uma verificação de integridade do arquivo, para ver se o arquivo baixado é o mesmo que estava no servidor, o serial seria uma forma do fabricante validar o software para o comprador, é como um chave e uma fechadura.

Ele é bem popular, mas hoje em dia existem outros Firewalls bastante usados também.

Na verdade existe fragmentação, só que ela é mega rara e só acontece em condições específicas, e sim, existem softwares de desfragmentação de disco no Linux.

Na real, isso é relativo a empresas, cada empresa investirá no que lhe trará lucro. Certificação LPI é uma qualificação de proficiência em Linux com vários níveis e é bem mais cara do que uma licença do Windows, a comparação não é muito boa porque não são as mesmas coisas. Fazer LPI não deixa alguém bom em Linux, estudar para ela talvez.

Abraços :slight_smile:

4 curtidas