Oque os "novatos" no GNU/Linux precisam saber?

#21

uma coisa muito importante e saber e o terminal e os comandos o que eles faz, antes de digitar qualquer comando no terminal, entre nesse site https://explainshell.com/ e digite nele ele te informara o que cada comado faz, mesmo o site sendo em inglês da pra traduzir com o tradutor.


6 Likes

#22

Esse é um ótimo site mesmo :slight_smile:

3 Likes

#23

Assisti os (unicos) dois documentarios existentes no Youtube pra poder entender melhor o sistema que uso, e tudo me deu a entender que o GNU era a base do Linux, como se (usando aquela velha analogia) o materia usado pra montar as pessas do motor fosse o GNU, bem, estou meio confuso nesse momento mas vou atras de mais informação, e bem, simplesmente achei estar certo na minha nomiação, e muito obrigado por me esclarecer isso!

2 Likes

#24

Caramba, essa ferramenta vai ser de grande ajuda, muito obrigado!

0 Likes

#25

AppImage e os FlatpakRef não são basicamente isso?

É só instalar as fontes, concordo que não é tão intuito mas não é taaaaaaao difícil o Ubuntu e Mint trazem a opção a um clique

3 Likes

#26

Te mandei uma mensagem no privado.

1 Like

#27

O AppImage eu não conheço, mas sim, o Flatpak e Snappy ja ajudam bastante nessa questão de baixar os pacotes.

0 Likes

#28

Esse debate da nomenclatura é igual debate de religião… Então deixando ele de lado e apenas apontando que o Debian ainda é Debian Gnu/Linux.

1 Like

#29

@Natanael.755 'cê tem que lembrar que pra poder utilizar tanto o Snap quanto o Flatpak é necessario a adição dos repositorios, mesmo que o Discover do KDE tenha a opção integrada, muita gente tem medo de mexer nas configurações, ou simplesmente não sabe da existencia, ja que meu projeto é dedicado pra pessoas completamente leigas o mundo Linux.
E infelizmenete não conheço nem um gestor *.tar.xx, ja que é muito facil confundir com um arquivo compactado, nem sempre o GDebi vem instalado nas distros, muito menos um gestor de repositorios User Friend (Bem, não conheço nenhum).
Já as fontes do sistema, se todos que tem capacidade de instalar um OS (Que nem sempre é algo tão simples assim) cnão conseguir instalar algumas fontes, ai né kkk
Mas pra quem levou num “tecnico” (O sobrinho mesmo) e o dito cujo não tem a paciencia de por ao menos os programas basicos pra compatibilidade (tais como o WPS que pra um usuario do Office é muito mais amigavel e com bom suporte aos formatos do super estimado Office) não vai ter muita noção do que fazer pra sanar isso.

0 Likes

#30

Eu simplesmente pus por questão de achar mais imponente e bonito, alem de que, acreditava ser o mais correto. Simplesmente acho que podiamos chamar de Uindolos Difente, é nossa paixão.

0 Likes

#31

Kkkk normal cair no meio desse tiroteio, pra evitar os “Isso non ecziste”, seria melhor manter os nomes oficiais… Open Source, Debian Gnu/Linux, Linux Mint, Fedora, etc…
Pq realmente essa discussão sobre gnu, não gnu, é infinita.

2 Likes

#32

Quando comprei o DVD do Debian na banca de jornal a vários anos atras e coloquei GNU na google fiquei na cabeça que a GNU era a principal organização por traz do desenvolvimento linux e que o Debian era o linux pai e por isso de GNU Linux (GNU Crio o linux).
Agora eu volto pro linux e alem da surpresa do amadurecimento da plataforma e a mudança de postura em relação a aplicações pagos ou de terceiros vejo essa treta com a GNU e a galera do OpenSource.
Preciso pesquisar ainda e entender melhor algumas coisas. como a fundação Linux, quem é e o que é
Linus Torvalds, seus envolvidos no projeto e etc.

1 Like

#33

Sem dúvida, realmente é uma questão que muito se discute e não traz nada de produtivo. Como comentei antes, o Debian (assim como outros) deixou de se proclamar como “GNU/Linux”, se você for ver o site deles atualmente está algo (bem legal) como “Debian - O sistema Universal”, porque o Debian tem esse viés de funcionar até mesmo sem o Linux, usando Kernel BSD no lugar por exemplo, podendo usar algum software GNU ou não, etc.

3 Likes

#34

GNU e Linux são projetos completamente separados à princípio. A ideia do projeto GNU era criar um sistema operacional completo (lá nos anos 80) que fosse completamente software livre, mas eles nunca conseguiram publicar um Kernel realmente funcional (pesquise sobre o GNU Mach e o GNU Hurd), sendo GNU mesmo uma acrônico para “GNU is Not Unix”.

Já o Linux teve seu desenvolvimento completamente paralelo, sendo derivado do Minix, com raízes no Unix e que foi publicado usando as licenças de software livre criadas pelo GNU. Sendo o Linux software livre e um Kernel mais funcional que as iniciativas do GNU (Mach/Hurd), pode-se combinar as ferramentas do GNU com o Linux e criar um sistema operacional 'GNU", que o Stallman mesmo chamada de “GNU/Linux” e não apenas “GNU” por acreditar que seria algo transitório até o Kernel do GNU estar pronto, o que no fim das contas nunca aconteceu.

A grande questão é que o Linux passou a ser utilizado para muitas outras coisas fora do projeto GNU, mas como lá no início, as ferramentas GNU que compunham o sistema era funcionais e relevantes, muitas vezes a única opção por conta da licença usada, as distros Linux começaram a se estabelecer usando ferramentas GNU também, como compiladores, gerenciadores de boot, interpretador de comandos, coisas do tipo (algo que hoje possui diversas alternativas, inclusive nativas do Linux mesmo), e esse tipo de coisa, as pessoas chamando de “Linux” apenas acabou incomodando o pessoal do GNU pela “falta de reconhecimento”, o que não faz muito sentido, afinal, as ferramentas deles, não só são substituíveis, como não estão presentes em muitos casos de sucesso do Linux (Kernel), expliquei mais disse no outro comentário.

Oque os "novatos" no GNU/Linux precisam saber?

Esclarecendo. A entendide oficial por trás da manutenção do desenvolvimento do Linux é a “The Linux Foundation”, sendo que a Free Software Foundation, associada ao GNU, ainda existe e continua sendo algo diferente, inclusive, desaprovando a maior parte das distros Linux por dizer que elas não são realmente “livres” por usarem partes proprietárias de softwares para fazer os computadores funcionaram, como certos drivers e firmwares, que eles chamam de “blobs”.

O Open Source foi um movimento iniciado mais tarde em relação ao GNU e ao próprio Linux, justamente para usar a tecnologia de código aberto de uma forma dissociativa em relação a tantas filosofias e política, que o GNU empregava, sendo fortemente marcado pela publicação " a catedral e o bazar" do Eric Raymond, que fala justamente da relação entre open source e software livre.

Atualmente as ferramentas GNU efetivamente representam uma quantidade muito pequena de ferramental nos sistemas operacionais que usam o Kernel Linux como base, sendo que alguns Linux por aí não possuem ferramentas GNU de forma alguma.

Provavelmente as ferramentas mais populares provindas do GNU que existem e são usadas e maior escala pelas distros são o GCC (compilador), o GRUB (bootloader) e o BASH (Interpretador de comandos).

Atualmente o Linux é mantido primariamente por um conjunto grande de empresas que faz parte de Linux Foundation, como a Microsoft, IBM (Red Hat), Google, Intel, etc.

6 Likes

#35

Realmente, por isso não entro nessa discussão, afinal é direito de quem ¨produz¨ chamar como quer. Sendo errado incluir GNU onde não tem, da mesma forma que é errado retirar o GNU de onde tem.
Mas o Debian com kernel Linux ele continua sendo Debian Gnu/Linux, assim como o Debian Gnu/KFreeBSD e Gnu/Hurd. São as nomenclaturas oficiais dos sistemas Debian e que são apresentadas nas instalações.
Somente Debian é o nome do Projeto, por isso o nome do site “Debian – O Sistema Operacional Universal”.

0 Likes

#36

Exatamente, leia e interprete as frases acima, ele estão simplesmente dizendo de onde são originários tais nomes, não que devam ser chamados assim.

Em tradução livre:

" Os sistemas Debian atualmente usam o kernel Linux ou o kernel FreeBSD. O Linux é uma peça de software criada inicialmente por Linus Torvalds com a ajuda de milhares de programadores espalhados por todo o mundo. O FreeBSD é um sistema operacional incluíndo um kernel e outros softwares.

No entanto, há trabalho em andamento para fornecer o Debian com outros kernels, principalmente com o Hurd. O Hurd é um conjunto de servidores que rodam no topo de um micro kernel (como o Mach), os quais implementam diferentes características. O Hurd é software livre produzido pelo projeto GNU.

Uma grande parte das ferramentas básicas que formam o sistema operacional são originadas do projeto GNU; daí os nomes: GNU/Linux, GNU/kFreeBSD e GNU/Hurd. Essas ferramentas também são livres."

Mas tem um fato curioso sobre isso, ninguém usa um sistema com somente Linux e somente ferramentas GNU, talvez em servidor isso se aproxime um pouco mais, mas até aí, provavelmente o app servidor seja completamente à parte.

Meu ponto é, nesse caso, se GNU está ali porque é importante e você usa o Debian com KDE por exemplo, existe muito mais software KDE no sistema do que GNU (muito!) e nem por isso é KDE/GNU/Linux Debian, ou pior Qt/KDE/GNOME/GNU/Linux Debian, no caso de existirem ferramentas mistas, etc.

Dentre as distros, o Debian é uma das mais tradicionais e “puristas” por assim dizer, sistemas mais “jovem guarda” mal mencionam o Linux muitas vezes, o que dira o resto das tecnologias usadas para compor pequenas aprtes do sistema, afinal, o sistema operacional é um conjunto muito amplo de coisas atualmente para ser reduzido somente a um Kernel ou ferramentas, com a diferença de que o Kernel é o que todas as distros Linux tem em comum, ainda que ele mesmo não seja exatamente o mesmo em todas.

4 Likes

#37

Um ponto interessante é que a própria GNU não aprova a maioria das distros comumente usadas

https://www.gnu.org/distros/common-distros.pt-br.html

Eu uso ferramentas GNU não tenho nenhum preconceito com as ferramentas, só não concordo com certas coisas como forçar o nome em tudo que é software ser chamado de GNU.

1 Like

#38

Exato! kkkk
É isso que estou falando desde o início… Apenas manter a nomenclatura oficial do Sistema, e deixar a discussão sobre se deve ter ou não o GNU no nome, de lado.
Pq se for mesmo pegar ao pé da letra, o seu argumento sobre o que tem no sistema está totalmente correto, porém o nome e a ¨homenagem¨ é algo particular e na real vai dizer respeito ao(s) criador(es).
Fora a questão de eu não concordar com a maior parte da ideologia da GNU, assim como também não abraço 100% a ideologia do Linux.
Um exemplo simples… Se o título do tópico fosse: ¨O que os ¨novatos¨ no mundo Open Source precisam saber?¨, já aliviaria toda o debate. kkk

2 Likes

#39

Se bem que, talvez gerasse a discussão sobre Open Source e Software Livre. :joy:

Se alguém não souber a diferença: https://www.diolinux.com.br/2015/03/diferenca-entre-software-livre-e-open-source.html

2 Likes

#40

Também penso assim para que complicar deixar o nome reduzido é melhor vide a Microsoft, chamamos de Windows 7, Windows 10, Windows ME, já imaginou ter que chamar o sistema de Microsft Windows xx Dos sei lá das quantas, no mundo Linux a maioria das distros já adotam esse tipo de nomenclatura como o Dio mesmo mencionou no caso do Debian, e também no Ubuntu e no Android.

1 Like