Onde estão os usuários OpenSUSE em 2020?

Muito obrigado :slight_smile:
Deixarei salvo aqui pra eu acessar quando instalá-lo :v:

1 Curtida

Você pode escolher os problemas no momento da instalação, assim deixará o sistema enxuto.

1 Curtida

Eu tou aqui.

3 Curtidas

Patterns são a forma como o openSUSE gerencia um ecossistema. Por exemplo, caso você seja um desenvolvedor e precise de todos os pacotes e dependências de uma determinada linguagem, por exemplo C/C++, em outras distros você dependeria do gerenciador de pacotes para instalar tudo que você precisaria mas ele só busca as dependências para os pacotes que você mandou instalar. Os patterns são a solução para isso. Caso queira instalar um ecossistema de desenvolvimento C/C++, é só instalar o pattern de desenvolvimento C/C++ e ele baixa tudo para você, além de manter atualizado toda vez que o sistema for atualizado. Pacotes obsoletos serão removidos e os substitutos serão instalados.

Eu dei o exemplo de desenvolvimento C/C++ mas isso funciona para tudo, basicamente. O KDE Plasma está dentro de um pattern, por exemplo. Tudo que precisa para fazer essa interface funcionar de forma completa e otimizada está toda em um pattern. E há outros ecossistemas que podem ser instalados atravéz de um pattern, como o LXQt. Se instalar só a interface, não virá com o PCManFM-Qt e outros que são partes ativas do ecossistema LXQt. Mas se instalar o pattern, vem tudo e é gerenciado pelo sistema.

Esse provavelmente é o motivo do @Lukz não curtir o openSUSE e os patterns. Como o uso dos patterns deixa o sistema praticamente automatizado na parte de gerenciamento de pacotes em ecossistema, pode ser que alguns que você não queira, sejam instalados. E mesmo desinstalando, eles vão voltar a ser baixados na próxima atualização do sistema por fazerem parte dos patterns, o que atrapalha um sistema mais minimalista e enxuto. Pessoalmente, eu vejo os patterns como uma evolução dos metapacotes. Mas há quem não goste. Se não gostar dessa automatização do openSUSE, um spin chamado Gecko Linux é praticamente idêntico ao openSUSE em usabilidade mas não faz uso dos patterns.

4 Curtidas

Talvez eu esteja me lembrando errado, mas o Zypper não tinha uma opção de marcar um pacote como “tabu” e fazer ele ser ignorado permanentemente na hora de instalar e atualizar?

Sim, existe essa função. Faz o sistema ignorar aquele pacote por completo caso tenha atualizações. O comando é zypper al nomeDoPacote para forçar ser ignorado, ou posto em lock, zypper ll para listar os pacotes que foram colocados em lock e zypper rl para remover o lock e permitir ser gerenciado pelo sistema outra vez. Eu usei isso quando instalei o Terminus. Existem dois programas com o mesmo nome. O Terminus nos repositórios do openSUSE é um emulador de terminal para X. O que eu havia instalado era um emulador de terminal feito em Electron, totalmente diferente. Aí para não ser substituido pelo outro, coloquei um lock no pacote.

2 Curtidas

Entao se escolher nenhum o sistema ficará perfeito :smile:

4 Curtidas

No Arch, por exemplo, pode-se pesquisar / instalar um “group”. ─ E há similares em outras distros.

O grep pega só linhas fora do contexto, mas um exame do manual completo pode ajudar.

# man zypper | grep pattern
       like patch information, pattern definitions, etc. These data are stored together with the RPM files in folders called repositories.
       Zypper works with several types of resource objects, called resolvables. A resolvable might be a package, patch, pattern, product; basically
       pattern
               $ zypper info -t pattern lamp_server
                   Show information about pattern lamp_server
               If product or pattern are specified, zypper ensures that all required (and optionally recommended) packages are installed.
               $ zypper install -t pattern lamp_server
                   Install lamp_server pattern.
           specify multiple packages matching the pattern.
               method is always used for packages, and is optional for products and patterns. It is not applicable to patches.
               See also the type-specific query commands like packages, patterns, etc.
       patterns (pt) [options] [repository]...
           List all available patterns or all patterns from specified repositories. Similar to zypper search -s -t pattern.
               Show only installed patterns.
               Show only patterns which are not installed.
           Add a package lock. Specify packages to lock by exact name or by a glob pattern using * and ? wildcard characters.

Na real, acredito que os patterns são algo melhor gerenciados usando o YaST Software. Tem uma lista com os patterns lá, incluindo os que pode instalar ou remover. A graça do openSUSE está quase toda no YaST, não na linha de comando.

Aliás esse screenshot mostra como é possível ter pacotes avulsos instalados sem instalar o pattern por sí só.

4 Curtidas

Gosto do YaST2 ─ uma BMW GUI ─ e uso, quando necessário.

Por exemplo, para pesquisar um pattern.

Mas para instalar um pattern, por exemplo, ainda acho o zypper o melhor caminho.

Só nas distros que usam apt (ou apt-rpm, caso do PCLinuxOS), uso comando “nas fases preliminares” ─ e Synaptic na fase final (aplicar).

1 Curtida

Uma coisa que eu sempre quis saber: os patterns são “isolados” (independem) dos pacotes do sistema? Uma coisa que é comum é você instalar algum pacote para desenvolvimento e ficar preso a ele pelo mesmo não poder ser removido sem quebrar o sistema, transformando o sistema em refém e isso é terrível.

Os patterns só são uma forma automatizada de gerenciar os pacotes. Mas no caso dos pacotes de desenvolvimento, vai precisar olhar as dependências. No geral, são independentes do sistema mas podem não ser independentes de outros programas.

Para o sistema não instalar novamente os pacotes removidos que faziam parte dos Patterns após uma atualização, é só alterar configuração abaixo:

Abre o terminal: sudo nano /etc/zypp/zypp.conf

Procure a linha abaixo movendo a seta do teclado:
#solver.onlyRequires = false

Retire “#” e edite a linha trocando false por true.
Assim: solver.onlyRequires = true

PRONTO. Agora você pode atualizar o sistema e ele não irá instalar novamente os pacotes que você removeu e faziam parte dos Patterns . Assim como é no GeckoLinux.

3 Curtidas

Instalei o openSUSE Leap. Por enquanto tá sendo de boas :slight_smile:

4 Curtidas

Pessoal, alguém aqui usa o openSUSE Tumbleweed com notebooks da Dell ou notebooks com placas Nvidia?

Se tiver alguém usando gostaria de saber a experiência e se funciona bem, se costuma dar muitos bugs nas atualizações?

1 Curtida

Bem… eu não tenho notebook hibrido, então nunca tive experiência com isto.

Aqui eu uso desktop com Tumbleweed + Nvidia, e pelo que entendi, há 2 modos de instalação de driver proprietário:

  1. Easy Way: Instalar do repositório NVIDIA diretamente pelo YaST ou Zypper;
  2. Hard Way: Baixar o .run do site da NVIDIA.

Instalando pelo “Easy Way”, sempre que houver uma atualização de kernel, o driver proprietário NVIDIA continuará compatível.

Instalando pelo “Hard Way”, há este aviso:

Observação: você terá que repetir esses passos sempre que atualizar o kernel. Isso é necessário porque, ao contrário do driver NVIDIA dos repositórios openSUSE da NVIDIA, este driver não é copiado para diretórios de KMPs que permanecem válidos nas atualizações do kernel.

Fonte: SDB:NVIDIA the hard way - openSUSE Wiki

Sei que este meu comentário pode não ajudar muito sobre a tua questão de notebook híbrido, mas achei interessante apresentar isto.

3 Curtidas

Ajudou sim, muito obrigado, estou namorando o openSUSE com KDE Plasma, mas sou dev e queria algo estável só que com pacotes e recursos mais atuais, e pelo que pesquisei o openSUSE parece ser o Rolling Release mais estável que encontrei.

2 Curtidas

Eu usei por uns dois meses e não tive problemas com a NVIDIA no meu notebook, Dell G3.
A única coisa que me deu um pouquinho de trabalho foi instalar o .Net core para desenvolvimento.
Eu estava usando com o Gnome, terminei migrando pro Mint 20 depois que instalei o KDE para testar outro DE, como não ficou muito legal tentei remover mas sempre ficava algo. Aí fui pra força bruta e formatei kkk

2 Curtidas

O Jedi_Fonseca publicou uma matéria de orientação do que ser feito após instalar o OpenSUSE Leap 15.1, e num certo ponto ele diz (imagem):

Também encontrei uma matéria do Ricardo Lobo, apresentando o que é e como instalar o “SUSE Prime” no Leap e Tumbleweed.

Enfim… como nunca tive um notebook híbrido, não entendo nada sobre laptops optimus e bumblebee, então só me resta tentar cooperar com links rsrs.

Aí fica a teu critério… fazer o teste com Tumbleweed, ou experimentar o Regata OS, que dizem ser uma ótima alternativa, principalmente para quem curte uns games (como eu kkk).

Para quem tem dúvidas sobre Tumbleweed + Steam, estou jogando tudo normal aqui, mesma experiência como jogar num Ubuntu ou Manjaro, mesma coisa :grin:

Boa sorte.

2 Curtidas

Também gosto mais dessa forma.