O que você sente falta e/ou não gosta no Linux?

Interessante hehe
O plasma é bonito também, mas pra mim não supera o Deepin. Não sei se é configurável, mas acho algumas coisas no plasma excessivamente grandes rs
O que gosto no Deepin é que ele tem um certo “polimento”. Não sei explicar bem. Tudo é proporcional, nada parece que foi jogado ali por acaso, dando uma sensação agradável.

4 Curtidas

Isso é estranho, acho que no geral os elementos do Plasma são pequenos, o Gnome tem bordas enormes e a fonte padrão também é grande. Se você comparar o Dolphin ao Nautilus, Nemo ou Thunar, especialmente na visão detalhada, vai ver que no Dolphin cabem mais elementos na tela. O tamanho da barra de tarefas pode ser ajustado à vontade, podendo escolher entre a visão com ícones ou texto, ao estilo dos Windows mais antigos.

3 Curtidas

Tenho usado o Linux há algum tempo e estou bastante satisfeito com ele. Eu instalei, pois estava insatisfeito com a quantidade de recursos do sistema (principalmente memória RAM) que o Windows engolia quando nada estava aberto, e também com a lentidão do sistema para abrir menus e programas. Escolhi o Lubuntu, pois já havia experimentado o Ubuntu uma vez e tinha gostado da interface e rapidez, mas queria poupar os recursos da máquina ainda mais, visto que os requisitos para executar o Ubuntu eram os mesmos do Windows na época. Minha ideia era ter um sistema rápido e que poupasse recursos para o que realmente me interessa, que são as minhas atividades, mas que tivesse uma interface amigável. Fiquei bastante impressionado com a redução no tempo de boot em comparação com o Windows, e na quantidade de memória que ele precisa pra rodar.

Eu já uso Linux tempo suficiente para não querer mais voltar para o Windows. O sistema na maioria das vezes possui alternativas aos programas do Windows para tudo o que eu preciso, com a vantagem de serem gratuitas. Infelizmente não tem como ser perfeito, ainda existem algumas coisas que me desagradam nele. Quando uso o sistema para trabalho, navegação e tarefas simples no geral, ele vence disparado do Windows, mas no quesito games deixa um pouco a desejar. Eu sei que em computadores mais robustos, a diferença no desempenho dos games é ínfima em cada sistema operacional, mas no meu caso a minha máquina não é tão potente, o que torna essa diferença consideravelmente grande. Jogos mais pesados costumam ter um desempenho pior ou se tornar injogáveis no Linux, me forçando a ter sempre o Windows em dual boot. Além disso, eu gosto muito de jogar jogos antigos em emuladores, porém, em específico para os emuladores de PS2 e Nintendo DS, eles também possuem desempenho reduzido no Linux. Felizmente, para emuladores de consoles anteriores e games não tão pesados, o desempenho é bom, com uma diferença muito pequena ou inexistente.

Então essas são as coisas que mais me incomodam no Linux no momento, pois as vezes a única saída é usar o sistema da Microsoft, o qual eu gostaria de abandonar por completo (estou quase xD).

5 Curtidas

Dei uma olhada e parece ser bom, mas… Será que é seguro ou tem privacidade?

1 Curtida

Eu não gosto do fato que em alguns jogos nativos ficam com um desempenho pior do que usando versão de Windows com o wine

1 Curtida

Instalação do Linux Mint, Instalar o Linux Mint — documentação Linux Mint Installation Guide

Instalação do Ubuntu, Install Ubuntu desktop | Ubuntu tutorials

1 Curtida

Mas tem, ontem por acidente eu instalei os pacotes de wallpaper do Ubuntu e puxou todos kkkk

3 Curtidas

Usa o Photogimp

A última versão do LO traz isso

Quanto ódio no coração jovem, por que?

3 Curtidas

Seguro eu acredito que seja. Tem muitas empresas que trabalha com ele e ACHO que nunca houve problemas.
Quanto a privacidade… aí já não sei. É dificil falar em privacidade hj em dia. Eu uso Facebook, Google, Google Drive e Docs e esses de longe são os maiores inimigos da privacidade e nesse ponto, o Evernote é de longe o menor dos problemas hehe Além do mais, não tem tantas informações sensíveis lá. No máximo serve como uma fonte de organização.

2 Curtidas

A falta de refinamento nas interfaces Linux se deve ao desinteresse - ao meu ver; resumidos em 2 fatores: Mentalidade Fechada e Fator Financeiro.

Os líderes Linux (me refiro a aqueles desenvolvedores/programadores com mais de 30/40 anos de carreira), tendem a não ser simpatizantes as novas tendências de design - e é a opinião deles, que tende a pesar em decisões dentro das empresas.

E toda a mudança de um sistema, vai estar relacionada a questão econômica (pagar funcionário, manter estrutura para desenvolvimento e retorno pretendido). Uma alteração astronômica pode exigir rios de dinheiro; além de, afastar usuários, por não se sentirem familiarizados com as mudanças. E é bom lembrar, que o Linux (p/ usuários domésticos) corresponde a 2% do market share (desenvolver uma interface gráfica nova, será relativamente vantajoso para esse minúsculo grupo? dentro desses 2%, meu sistema corresponde a quanto?).

Infelizmente, algumas interfaces se apresentam atualmente com o discurso “damos liberdade ao usuário para personalizar”; esquecendo-se de entregar algo nativamente bonito (algumas interfaces, ficaram presas na década 1995-2005).

No meio de tudo isso, o Deepin parece ser o primeiro sistema a trazer algo magnífico (qdo se fala no cuidado da interface Linux); além de, promover uma interessante experiência com seus aplicativos nativos. Recentemente, o Zorin 15 vem dando passos nesta mesma direção. Apenas de, não ser um admirador do Gnome, devo mencionar que as alterações que o Ubuntu fez, aproximaram essa interface desta nova tendência.

Com todo o respeito aos usuários KDE/LXQt e XFCE/Cinnamon, mas suas interfaces necessitam de tempo para personalização, para se ter algo relativamente bonito; e não vejo passos em direção ao “instale e use”. Acredito, que a era de engessar as interfaces está chegando ao Linux (pois o Gnome vem fazendo isso aos poucos)… O Android passou por esse momento, há uns 5 anos atrás; e o desejo pelo “Android Puro” só vem aumentando - isso é fato!

Quanto a aplicativos, em especial o LibreOffice é outra grande decepção. A pouco tempo fiz todo o meu TCC com o LibO… e mesmo já tendo experiência de uso com a suíte; é evidente o descaso com a interface (a notebookbar é um quebra galho meia-boca) - precisou-se mais de 10 anos, para se dar uma resposta ao MSO 2007. Quando tive o momento de revisão do trabalho, me restou migrar para o WPS - que me atendeu perfeitamente bem.

Infelizmente, alguns se preocupam mais com as opiniões de Stallmann; do que a satisfação do usuário final.

5 Curtidas

Fato, é bem isso mesmo. Estou usando o cinnamon e foi exatamente assim.

Em relação ao Libre é uma solução muito boa e ficou um pouco melhor com a nova interface, embora ainda não esteja perfeito. Mas não entendo muito por que eles demoraram tanto para investir na interface.
De resto, não mudo uma vírgula em seu comentário.

3 Curtidas

As vezes a instalação do Linux Mint dá pau sim, mas é só não assinalar o campo de baixar drivers proprietários etc que aparece durante a tela de instalação e depois escolher a forma de instalação. A mesma coisa c/ o Ubuntu. Assim a instalação rola suave e vc, efetua as instalações dos drivers seguindo a tela de boa vindas do Mint e no caso do Ubuntu, deve aparecer algo assim. (no 19.04 aparece).
Sobre questões de partições, vc deve estar se referindo a instalação avançada. Não sei se no link que passei tem essa forma de instalação, mas no Youtube tem vários vídeos que explicam esse tipo de instalação.

2 Curtidas

Evidenciei isso. Foi quase traumático. hahaha

Então, eu fiz todo tipo de instalação, assinalando ou não a opção de baixar os drivers proprietários e ainda assim não funcionava. Digamos que já tenho uma certa experiencia em formatação. Sempre consegui instalar o Ubuntu em dual boot com Windows, separando a raíz, /home e definindo o Swap. Com o Ubuntu nunca tive problemas na pós-instalação e só abandonei o Ubuntu pq infelizmente o 18.04 estava apresentando congelamentos no sistema. Ao tentar o Mint é que começaram as dores de cabeça. Eu instalava e não dava certo de jeito nenhum, mesmo tentando todo tipo de formatação. Só na última tentativa é que finalmente funcionou e eu não fiz nada demais. A instalação simplesmente deu certo sem nenhuma justificativa kkkk

então, as minhas instalações, num SSD de 120 GB, são todas criando a partição EFI, / e /home, sendo esta última(/home) em HDD separado. Tenho Manjaro Gnome, Ubuntu e Linux Mint instalados.
Este é o desktop do Ubuntu 19.04

3 Curtidas

Algo que eu sinto falta é um aplicativo que funcionasse como o wine pra abrir aplicativos do Android. Não sei se é possível, mas seria bem interessante.

1 Curtida

Possível é, o problema é o bendito playservices

1 Curtida

É possível e está sendo feito, é o Anbox.

O problema é o fato de Linux ter root (muitos apps e jogos têm medo disso e não rodam quando detectam essa capacidade) e apps que necessariamente só reagem a touchscreen, não ao mouse interno do Android.

Já experimentei, e apps que dependem do Play Services mas sem checagem de root pegaram de boas.

2 Curtidas

Não é exatamente o root mas o sandboxing privilegiado, pelo sandbox do chrome funciona de boas, o maior problema que impede apks de serem executados mesmo via Native Client é a dependência do playservices atualizado

1 Curtida

A coisa que mais sinto falta é aplicações de investimentos nativas para linux e também ports para Wine e similares, visto que isso é um mercado extremamente específico e nichado, isso não tem muita atenção de desenvolvedores, até encontrei uma alternativa, mas só serve para a bolsa americana(utilizando um pacote no R) e eu não tenho um capital suficiente pra investir lá.
Atualmente creio que as melhores “alternativas” são web applications entretanto não tão boas assim para Day Trade.

1 Curtida

Para abrir um app na inicialização no Deepin, é só ir na gaveta de apps e clicar com o botão esquerdo e depois em “adicionar na inicialização”

3 Curtidas