Não chore pelo leite derramado (Indicadores, HUD, Redshift, Menu Global....)

Hora de falar serio, hoje eu assistir o vídeo do @Dio sobre o Fedora 31 e algo me chamou atenção no final do vídeo, (já coloquei no momento exato pra facilitar):

O Dio fala que precisaria dos Indicadores, ok, eu entendo eles são úteis, eu uso muito eles inclusive, no entanto ele mesmo no começo do vídeo opta pela sessão Wayland não é questão de filosofia, mas o Wayland, os indicadores são feitos a partir de código X11, não tem como implementar no Wayland (pelo menos não sem um trabalho absurdo), o mesmo vale para:

  • Menu Global
  • HUD
  • Desktops Modulares
  • Icones no Desktop (como uma pasta)
  • Ferramentas de automação
  • E muitos outros que perguntam por aqui

Se você gosta desses recursos, não use Wayland enquanto pode, mas acostume se a viver sem eles… com a ascensão do Wayland todos vão morrer, se você não quer isso é bem simples:

  1. Entre em contato com os desenvolvedores da sua distro
    Diga para não usarem Wayland
  2. Entre em contato com os desenvolvedores da sua interface favorita
    Diga para não portarem para Wayland

Eu sinto informar, mas não vão trazer de volta é impossível o Wayland

1 Curtida

Desculpe, mas estou testando o Fedora 31 em Wayland e, através da extensão TOPICONS PLUS os indicadores estão funcionando perfeitamente, além de todas as outras extensões que uso. Não encontrei nenhuma que não funcionasse ainda.
O único cuidado que deve-se ter é seguir a instalação manual, que é bem simples.
Está no meio da página, em “Or Compile it for yourself”.
Basicamente é instalar o make e o git e rodar dois comandos.
Como o Wayland não permite usar o “ALT+F2 r”, basta reiniciar o sistema que os indicadores estarão funcionando.
Alguns usuários reportaram que precisaram desinstalar e reinstalar a extensão para funcionar. Comigo não precisou.
Estou num Chromebook agora mas, assim que chegar ao trabalho, posto uma print aqui.

4 Curtidas

Cara, os indicadores vão morrer, são aplicações que fazem uso pesado do X, não tem como implementar no Wayland os aplicativos que usam indicadores forem portados pro Wayland, eles não vão mais ter como usar os indicadores, com a ascensão do Wayland, eles vão morrer, então acostume-se a viver sem eles

E o KDE Plasma tem tudo isso aí, não é verdade?

1 Curtida

Na sessão Xorg sim, na Wayland apenas aplicações X tem suporte, ou seja GTK 2 e QT4, aplicações QT5 e GTK 3 não funcionam com esses recursos, até dá pra forçar mas é bem problemático

Pode dizer a aplicação? Não reconheci o ícone

Ou use outra interface, porque no KDE Plasma continua funcionando, mas tem fato tem alguns problemas de implementação com o wayland, decorrente da segurança.

3 Curtidas

Acho que eles podem morrer no sentido técnico de como os conhecemos hoje, mas algo precisa entrar no lugar. Como até comentei no final do vídeo mesmo, não é uma questão de “clean desktop”, é remoção de um recurso que as pessoas estão acostumadas a usar desde sempre, com ‘n’ aplicações fazendo uso. Antigamente a galera vinha pra Linux porque tinha mais recursos, hoje, dependendo do que especificamente você olhar, dá pra dizer que “tem menos”, esse é um dos casos.

2 Curtidas

As que estão nos indicadores?
Neste momento, Insync e Mailspring.
Mas funciona o Nextcloud, Droopbox, Steam, os apps do Nuvola, MellowPlayer, etc, mas ainda não os instalei.

É uma distro que respeito, ainda mais pela empresa por trás dela…

Apenas não utilizo devido a estar acostumado ao “Ecossistema Ubuntu”, então se for pra habilitar botões, instalar dash to dock e outras coisas para me “sentir em casa”, não vejo muito sentido na mudança (além de ter que re-aprender comandos)

Mas seria uma forte candidata caso o Ubuntu e todas as flavours acabassem :wink:

Sim, de fato trocando o ambiente atrasa o problema,

Mas não é por segurança, é limitação do protocolo mesmo, não é difícil entender o porquê de usarem esse espantalho, como convencer alguém que sua implementação é melhor sendo que ela é bem mais limitada (vale lembrar que existia uma disputa entre a Canonical e a Red Hat na época), todos esses recursos podem ser implementados de forma segura, mas o Wayland não o faz intencionalmente

Eu já sinto falta de um menu global no GNOME, como sou desenvolvedor o pixel saver é bem importante para mim, e se no futuro não der nem para colocar uma extensão de indicadores vou acabar indo para outra interface, o Plasma mesmo ta na minha mira faz um bom tempo.

1 Curtida

Todo mundo usa android sem indicadores de aplicativos, com zilhares de serviços rodando em background, acho que essa migração é óbvia e não será dolorosa, mas no caso, o GNOME ainda precisa de um sistema de notificações mais próximo do Android pra gente poder usar sem sentir a falta dos indicadores.

Ao menos, no meu ponto de vista, é o formato mais adequado pro futuro do Wayland.

Não pretendo usar ele tão cedo, até porque eu uso XFCE, que é XForms Cool Environment, ou, traduzindo pro HueHueBR, Ambiente legal que segue os padrões do X.

1 Curtida

Usam XWayland, a tendencia deles é desaparecer

Na verdade quase todo mundo usa indicadores no Android, (se todos prestassem atenção, vários comentários na playstore não seriam postados), o icone indicando que a pessoa não atendeu uma chamada é um indicador por exemplo

Não exatamente, esses ícones, pelo menos no meu celular funcionam assim:

Ícones a esquerda: notificação
Ícones a direita: eventos ou anything, indicadores

Não mano, notificação e indicadores são diferente nos dois:

Os indicadores indicam um estado, por ex: Sistema desatualizado, eventos importantes do sistema, Volume, bateria, Internet, tipo de rede…

Notificação indicam eventos ocorrido não essenciais: Telegram, Whatsapp, fim da atualização do sistema, bateria carregada…

Eles tem o mesmo uso no desktop e no Android, a diferença é que o Android exibe os dois no topo da tela, já no desktop sai as bolhas ou são aglutinadas em um indicador de notificações

1 Curtida

Pior que até tem vários apps Android que deixam “indicadores” na barra superior. Mas tem aquela questão também, no Android todas as notificações aparecem ali, no caso do Dropbox por exemplo, sem indicador, não tem muita notificação de algo está sendo sincronizado, ou que parou de sincronizar no GNOME.

Culpa do Dropbox que não fez a implementação com o sistema de notificações nativa do GNOME, eu sei, mas o resultado aqui é que os usuários ficam sem o recurso, o mesmo vale para para slack, discord, steam, InSync, Skype, Telegram (acho que o Telegram até tem um modo integrado), etc.

Ainda assim, vale lembrar que o Android geralmente não é usado em desktop, e as necessidades são diferentes, e hoje, quando há notificações ou informações nos Apps, um contador aparece sobre o ícone do aplicativo, chamando atenção pra eles.

O ideal seria que todos implementassem o sistema de notificações nativas, mas eu me pergunto, será que alguma empresa ou comunidade Linux tem “bala na agulha” pra forçar essa mudança, como a Apple faz com o macOS, quando coloca novos padrões e galera “se obriga” a seguir?

Veremos nos próximos capítulos haha

Enquanto isso, ambientes focados, não em dar o famoso “push foward” em tecnologia, mas servir com o que há de melhor e mais estável, acabam criando soluções e mantendo recursos que os usuários precisam e usam diariamente, para que quando soluções existam elas sejam implementadas também, o XFCE que você falou é um belo exemplo, o Cinnamon também.

Querendo ou não, o GNOME é o “testa de ferro” dessas mudanças, mas aparentemente, eles não conseguem emplacar certas tendências há um bom tempo, como a ausência de ícones no desktop, os indicadores, o ‘sumiço’ dos botões de minimizar e maximizar, prova disso é que vários forks do Shell nasceram, e todos oferecem esse tipo de coisa.

Tentar ser pioneiro e ditar como as coisas devem ser tem esses contras também. Tirando o Fedora, e outras distros que só empacotam as interfaces e não fazem ajustes de usuários, todas as outras populares que entregam GNOME trabalham nesses recursos, Ubuntu, Manjaro, Pop, Zorin, etc, todas tem certas extensões para contornar essa tentativa de criar uma tendência (que dura anos já essa tentativa), para trazer de volta um recurso querido por muitos.

1 Curtida

Sim, exato. Android também tem indicadores, mas a integração dos Apps faz com que certas coisas atuem de forma diferente.