Mundo Linux (adeus a pirataria)

Pois saiba que sim, existe.

Cara… começo a acreditar que vivemos em países, melhor… mundos diferentes, que eu nunca vi um aviso desses.

Desde 2006 no ar…

Realmente… agora eu posso dizer com a maior certeza do mundo que nunca vi.

1 Curtida

hqdefault (1)

hqdefault

Discordo, cada caso é um caso. Por exemplo, na minha área de estudo, se o estudante quer praticar geoprocessamento no ArcGIS e n tiver dinheiro para comprar uma licença, precisa recorrer a pirataria. “Ah, mas tem alternativas e blá blá blá” - as alternativas podem dificultar os estudos e podem não ter todos os recursos correspondentes. Agora eu te pergunto, é justo não poder estudar pq n tem dinheiro pra comprar uma licença? Eu durmo tranquilo respondendo que não e sendo contra leis injustas que favorecem apenas quem detém boas condições financeiras.

2 Curtidas

Você discordou e embasou mais ainda o meu texto.

@tnsampa não sei se é uma questão regional, mas por aqui nunca teve disso.


@willianlycan exatamente, “cada caso é um caso” deve-se considerar que o motivo que leva uma pessoa a piratear é o mesmo que o meu.

Num entendi muito esse lance de usar o winrar sem pagar e pirataria, num seria usar ele craqueado que seria pirataria ? ate por que eles o próprio site do Winrar disponibilizar gratuito para baixar.
como por exemplo o Windows 10 se eu for no site oficial da microsoft eles deixam baixar de graça se eu não ativar o Windows to cometendo pirataria ? só se eu usasse craque pra ativar.

eu só to tentando entender quando e pirataria e quando não e.

É a prática de reproduzir, distribuir, ou mesmo vender produtos sem autorização dos proprietários de um produto ou de uma marca (O que é pirataria?).

Agora na questão destes exemplos creio que seja simplesmente por ser versões de avaliação, e depois de tal tempo expirar ainda continuar o uso do mesmo. no caso a saída do winrar e do windows foi mostrar janelas chata para fazer comprar. (no caso do windows aquela mensagens e a perca de funções)

De fato, também estou no interior aqui, apesar de ser 50 km de Curitiba (capital), e realmente vejo isso. Apesar que hoje em dia mesmo estas pessoas tem espertofone… não conseguiria medir o quanto seria legítimo. Mas acontece, é fato.

Não creio que isso aconteça, creio que a pirataria facilita SIM, mas não piratear não impede o estudo. Na UFPR uma galera se vira como pode, se forma e não se rende a pirataria. Por pior que seja um laboratório ele existe.

Se entrarmos no campo da especulação posso dizer que o iPhone ou S10 de uma galera custa muito mais que o software. Prefiro não fazê-lo… apesar de já feito. Toda essa questão passa pela bola de neve que tange prioridades financeiras. E sim, evidentemente há quem não tenha tipo algum de conforto pra abrir mão.

Mas quero lembrar que também existem estágios onde é muito comum o pessoal desfrutar da estrutura para seus estudos. Em geral, empresas que abrem vagas estão dispostas.
Existe também em qualquer turma de faculdade o pessoal tem as ferramentas (que tem mais condições), uma simples conversa ou pedido pode resolver, já usufrui disso. Quem frequentou um banco de faculdade sabe como as coisas funcionam.

Meu ponto é, estamos tão habituados (me incluo porque já argumentei isso tudo quando era mais novo) com a pirataria que acabamos não enxergando as possibilidades e como as coisas funcionam sem ela. A boa notícia é que esse mundo existe e funciona.

Eu não digo adeus a pirataria porque não concordo com as leis de propriedade intelectual, porém eu não faço uso tão grande atualmente por conta dos serviços de streaming que são muito práticos e baratos, e o que não tenho acesso através dessas plataformas eu baixo da Internet mesmo.

Poderia comentar sobre o que não concorda?
Vejo como trabalho da pessoa, ela estudou, investiu recursos, tempo… produziu. O ganha pão dela não vale nada? Não compreendi.

Prefiro não comentar pois foge do que se propõe o fórum, além do mais provavelmente só iremos bater cabeça e ninguém irá mudar de opinião, para mim é algo contraproducente.

Você pode encontrar uma boa fundamentação na ética hacker.

"Toda a informação deve ser livre.

Na sociedade de consumo de hoje, tudo é transformado em mercadoria e vendido.

Isso inclui a informação. Mas a informação, só existe na mente das pessoas. Como não se possui a mente de outra pessoa, não podemos comercializar informações. Uma analogia semelhante é a do velho índio Chefe Touro-Sentado ao dizer “a terra não pode ser possuída”.

O hacker busca a informação diariamente e tem prazer em passá-la para quem quer “pensar” e “criar” coisas novas."

1 Curtida

Eu sempre usei o 7zip. Muito bom!

1 Curtida

Penso que isso exclua entretenimento… livros (histórias), filmes, músicas… mesmo em software vejo graves problemas. Como se sustentar? A pessoa estuda, desenvolve, programa… é o trabalho dela. Depois passa anos dando suporte.

Ética hacker… não sei nem o que pensar sobre. Creio que precisam ser definidos os conceitos de “informação”.

Eu acrescento ao que cita também para mim o Office, vejo o Free Office como uma suíte maravilhosa, pode não corresponder a altura o MS Office, mas não fica tão atrás. Particularmente tenho usado o LibreOffice devido ao projeto Open.

Estendo esse pensamento aos apps no Android, o que de quebra ainda nos livra das propagandas. Quem não quiser gastar, é só usar o Rewards e ir pagando os apps aos poucos.

Sim, e ambas as coisas são erradas.

Concordo com isso, embora hajam pouquíssimas exceções, como o @RamonVSBR mencionou.

Isso eu realmente já vi, e existe mesmo. Embora seja uma minoria, um exemplo são alguns idosos que tem pouquíssimo contato com tecnologia.

Acho que todos os DVDs de filmes têm avisos sobre pirataria, não necessariamente idênticos a esse que o @rauldipeas mostrou, mas com o mesmo objetivo. Mas se tratando de idosos, como eu mencionei anteriormente, um aviso rápido em letras miúdas (não como esse que o Raul mostrou, mas como muitos outros que já vi), passam completamente despercebidos por essas pessoas. Que realmente nem sabem o que é ou não pirata, a não ser que alguém diga a eles.

Para ficar claro, estou falando de alguns idosos, não de todos. Se não daqui a pouco aparece alguém militando porque “eu to” sendo preconceituoso com idosos. :unamused:

O que faz ser legal/correto ou não é o contrato que cada usuário assina/marca que aceita durante a instalação do programa. Aquele contrato que quase ninguém lê, mas aceita mesmo assim. Eu mesmo raramente leio esses termos, o que é errado.

EDIT: Ao aceitar esse contrato, a pessoa está dando a sua palavra moral e legalmente de que concorda e cumprirá todos os termos nele presentes. Logo, descumpri-los é imoral e ilegal.

Então se uma pessoa não concordar com as leis de “furto”, ela pode furtar? Ou se alguém não concorda com os limites de velocidade de uma via, essa pessoa pode os ultrapassar? Acho que uma pessoa tem todo o direito de ser contra uma lei, e expor a sua opinião, protestar, etc. Mas isso não a dá o direito de descumpri-la.

Afinal, é uma lei, não uma sugestão.

1 Curtida

O mais irônico sobre pirataria no Brasil é que as pessoas passam o dia reclamando dos políticos serem desonestos, aí chegam em casa e vão jogar o seu jogo pirata no seu Windows crackeado.

A diferença são os valores, o político rouba muito mais do que o “user pirata”, mas a atitude é a mesma.

E antes que venham perguntar se eu sou “santo” nesse aspecto, já pirateei MUITO na vida, mas de alguns anos pra cá mudei de ideias e atitudes quanto a isso.

O político nada mais é do que um “user pirata” que venceu uma eleição.

4 Curtidas