Mozilla demitiu 70 pessoas, uma vez que a receita não relacionada à pesquisa não se materializa

A Mozilla demitiu 70 pessoas, informa o TechCrunch . É uma mudança significativa para uma organização que emprega cerca de 1.000 pessoas em todo o mundo.

“Você deve se lembrar que esperávamos obter receita em 2019 e 2020 com novos produtos de assinatura, além de maior receita proveniente de fontes fora da pesquisa”, escreveu Mitchell Baker, CEO interino da Mozilla, em um memorando para a equipe obtida pelo TechCrunch. “Isso não aconteceu.”

Baker disse que a Mozilla decidiu não arquivar seu fundo de inovação de US $ 43 milhões, que se concentra na criação de novos produtos Mozilla. Ela disse que a Mozilla forneceria “pacotes de saída generosos e suporte a outplacement” para aqueles que foram demitidos.

A cada ano, as empresas pagam centenas de milhões de dólares para ser o mecanismo de pesquisa padrão no Firefox. O Google tem sido o principal cliente da Mozilla ao longo dos anos, mas em vários momentos a Mozilla também fez acordos com o Yahoo !, Yandex, Baidu e outros provedores de pesquisa. Nos últimos anos, esses acordos representaram mais de 90% da receita da Mozilla.

A Mozilla gerou US $ 429 milhões em receita de royalties (principalmente dessas ofertas de pesquisa) em 2018, segundo os dados mais recentes disponíveis.

A participação de mercado do Firefox, vem diminuindo constantemente há pelo menos uma década. E a liderança da Mozilla está compreensivelmente nervosa por ter tanto do seu orçamento dependente de um único fluxo de receita. Portanto, a organização tem tentado desenvolver novas linhas de negócios.

A Mozilla está desenvolvendo um serviço de rede virtual privada . Ele incluirá uma opção para fornecer proteções de privacidade em todo os dispositivos por US $ 4,99 por mês. No entanto, o serviço ainda não está disponível ao público - os possíveis clientes são convidados a “entrar na lista de espera”.

A Mozilla ofereceu brevemente uma opção de suporte corporativo por US $ 10 por usuário, mas depois a removeu dias depois. Um porta-voz disse que a Mozilla “ainda está explorando” uma oferta corporativa, mas não estava pronta para começar a oferecer uma ainda.

A Mozilla desenvolveu uma variedade de produtos , incluindo software de transferência de arquivos e um gerenciador de senhas. Mas nenhum ganhou força significativa ou gerou muita receita para a Mozilla.

A Mozilla tem se esforçado para se adaptar à medida que a Internet se volta para os dispositivos móveis e tem sido cada vez mais dominada por grandes empresas. Na era dos computadores, milhões de pessoas fizeram o possível para baixar e executar o Firefox. Na era móvel, por outro lado, a maioria dos clientes segue os padrões fornecidos pela Apple ou pelo Google, respectivamente. As regras da App Store da Apple impedem efetivamente que a Mozilla ofereça um navegador Firefox completo no iOS. O Firefox no iOS é baseado no mecanismo de renderização WebKit da Apple, dificultando a distinção entre a Mozilla e a plataforma.

No início da década de 2010, a Mozilla tentou combater essa ameaça estratégica desenvolvendo seu próprio sistema operacional móvel chamado Firefox OS, construído inteiramente sobre as tecnologias da Web. Mas a plataforma não recebeu tração significativa dos fabricantes de smartphones, e a Mozilla finalmente a abandonou em 2017.

2 Curtidas

Se no passado distante nós tínhamos uma hegemonia do Internet Explorer, hoje essa hegemonia é do Chromium e seus derivados, ditando um novo padrão na web. O que convenhamos não é bom.

3 Curtidas

Aguenta Mozilla… O Google com o Chrome não pode monopolizar e ditar os rumos da Web sozinho… :worried:

Tenho impressão que a Mozilla é aquela empresa cheia de dinheiro, sem direção.
Atira prá todo lado e não acerta em nada… :woozy_face:

2 Curtidas

Bem ao estilo da Opera. Só que a Opera teve muito menos sorte…

Mais 250 pessoas demitidas:

Acho que a maior diferença é o Chromium ser aberto. Isso torna o jogo mais limpo.
O maior exemplo foi o Edge que já passou o Firefox.

É uma pena, espero que encontrem a direção correta.

No mundo moblie as pessoas não tem essa preocupação em baixar um navegador, ha não ser pessoas que realmente conhecem e gostam do Firefox ou queiram aproveitar alguma questão de privacidade, tem gente que nem sabe que existe Firefox no Android. Eu espero que Mozilla sai dessa situação desconfortável a ideia de VPN é interessante mais parece que ainda irá demorar, meu medo que a Mozilla acabe tendo o mesmo fim que o Opera, no colo de Xi Jinping.

Comecei a usar o Firefox a muito tempo, muito antes do chrome surgir… Gosto da opção de marcar para nunca lembrar meus dados no desktop, gosto do thundebird e principalmente da filosofia da empresa. Recentemente até voltei a usar o Firefox no Android com a versão Focus e me surpreendi positivamente com o produto.

A empresa com certeza tem muitos bons projetos relacionados a privacidade dos usuários, monitoramento sobre vazamento de dados como o Firefox Monitor, envio de arquivos temporários pelo Firefox Send dentre muitos outros projetos sociais como o que pretende levar computadores e internet ao “mundo inteiro”.

É uma pena a empresa desse porte não estar sendo capaz de se tornar auto sustentável, o que diga-se de passagem é um grande desafio para muitas organizações freeware e opensource hoje em dia e sinceramente não vejo o VPN como uma solução para o problema a curto / médio prazo devido a tantas boas opções no mercado, principalmente as que já acompanham algum outro software ou produto como os antivírus que já disponibilizam VPN em muitas assinaturas, por exemplo.

Já passou da hora de colocar os pés no chão, parar de atirar para todo lado e concentrar o foco em algum serviço grande que possibilite a continuação do projeto, quem sabe alguma coisa relacionada a Serviços em Nuvem como o Google drive ou OneDrive integrado ao seu ecosistema, quem sabe serviços de emails mais privativos como o protonmail ou até mesmo uma IA própria tendo em vista que li a algum tempo atrás que a Mozilla estava preocupada com a privacidade com o avanço da IA pelo mundo, poderia então quem sabe criar uma IA para monitorar outras IAs ou se basear em alguma coisa opensource para criar seus próprios serviços de IA.

Infelizmente a maioria das pessoas prefere ir pelo caminho mais fácil, cômodo e que precise pensar menos, abrindo mão da sua privacidade em prol de certas facilidades. Infelizmente isso mais cedo ou mais tarde vai cobrar seu preço, principalmente se chegar o dia em que as pessoas sejam privadas dessa “tal liberdade” como ocorre em muitos países mundo afora…

Enfim, por mais que alguns produtos acabem, espero que a ideologia continue, as vezes até com base no chomium prezando pela segurança e privacidade que norteia a Mozilla, mas até lá, continuarei acreditando na empresa e usando seus produtos.

2 Curtidas
1 Curtida

Sabemos que o Firefox ainda está atrás dos de base Chrome por vários fatores mas que mesmo com uma equipe enxuta eles sigam na direção certa.

Caraca, demitiram todo o time do motor Servo (que roda no firefox preview do android) e o time de segurança inteiro!

image

O Twitter foi bloqueado parece ou deletado.

Mas a imagem era essa:

Compensações da CEO da Mozilla vs Marketshare do Firefox:

image

Brave, lá vou eu.