Linux Mint Mensal de Junho - Cinammon, Snaps e 32bits

Linux Mint Mensal de Junho - Cinammon, Snaps e 32bits

https://blog.linuxmint.com/?p=3766

Texto Traduzido

O que vocês acharam?

pin

4 Curtidas

Uau! Que texto sensacional que eles fizeram sobre Snap. Eu já sabia que o Snap era mais fechado que o Flatpak, com apenas uma loja e sem muitos aplicativos, mas não tinha noção desses planos da Canonical e forçar o uso deles. Eles foram muito corajosos em falar disso sendo que eles são baseados no Ubuntu. Isso vai dar uma treta gigantesca, justamente no momento em que o Ubuntu está saindo de outro problema. E valorizando ainda mais o trabalho que eles fazem o LMDE. Me parece que estas decisões bizarras do time do Ubuntu são cada vez mais frequentes e pensadas, e não apenas erros inocentes. E ainda dizem que o Mint deveria acabar e só existir o Ubuntu. Se o que foi relatado no artigo for verdade, muitas distros baseadas no Ubuntu deverão se manifestar e a situação do Ubuntu não ficará nada confortável.

Espero que o Mint se saia bem dessa, pois uso e gosto muito desta distro, mas vou ficar cada vez mais de olho nas distros “não-ubuntu”.

3 Curtidas

E eles estão querendo se comunicar mais com a mídia (youtubers, blogueiros, etc.)
Isso é bom, já é algo a mais do que apenas o blog do Linux Mint.

3 Curtidas

Melhor nao pode ficar :smile::smile::smile:

2 Curtidas

achei que pode dar treta para o chromium e os baseados que usam libs do chromium (para outras distros ubuntu based também) como opera, vivaldi…o opera e chromium tem via snap, mas os outros? pelo que ele falou vão substituir o chromium .deb por uma instalação do snap…ficou mal explicado, mas isso poderia “forçar” o mint a adotar o snap por conta dessa possível “atrelamento” dp apt + snap

2 Curtidas

Tradução das partes chaves da discussão:


Snap

Quando o snap foi anunciado, era para ser uma solução, não um problema. Supostamente, era possível executar aplicativos mais novos em cima de bibliotecas antigas e permitir que editores de terceiros editassem seus softwares facilmente em várias distribuições, como o Flatpak e o AppImage. O que não queríamos era que a Canonical controlasse a distribuição de software entre distribuidores e editores de terceiros, para impedir a distribuição direta dos editores, para que o software funcionasse melhor no Ubuntu do que em qualquer outro lugar e para fazer sua loja um requerimento.

Se você é um usuário do Fedora e quer instalar o Spotify, é preciso ir para https://snapcraft.io/spotify . O Spotify não distribui pacotes RPM, appimage, Flatpak ou qualquer coisa útil para um usuário do Fedora que queira fazer o download, ou para um mantenedor do Fedora que queira adicioná-lo a um repositório. Os usuários do Fedora são orientados a ir ao que é essencialmente uma loja comercial operada por um concorrente da RedHat, onde as estatísticas dizem que sua distribuição é apenas a 7ª melhor.

Estamos com sorte, ainda podemos baixar o .deb. Se o Spotify parar de cuidar, o que faremos? Nós nos movemos para quebrar porque temos que? A loja instantânea continuará a permitir que as pessoas baixem arquivos .snap reais no futuro ou isso será bloqueado? A loja instantânea continuará a funcionar sem uma conta do Ubuntu One ou será bloqueada pelo fornecedor? Eu acho que é importante apreciar esses aspectos.

Todos nós temos smartphones e todos sabemos o quão grande é a loja do Google Play. Com que frequência vemos o .apk (pacotes do Android) na Web? Quão difícil eles são para instalar sem a loja do Google? Quão livre é um editor para publicar seu próprio .apk estando presente na loja? Quem controla tudo isso e o que isso significa para nós? Quem governa o que pode e não pode entrar na loja? Quem faz negócios comerciais? Em quem confiamos? E porque ?

Contanto que o snap seja uma solução para um problema, é ótimo. Assim como o Flatpak, ele pode resolver alguns dos problemas reais que temos com bases de pacotes congelados. Ele pode nos fornecer software que não poderíamos executar como pacotes. Quando começar a substituir pacotes sem nenhum motivo, quando começar a prejudicar nossa interação com os projetos de upstream e fornecedores de software e reduzir nossa escolha, isso se tornará uma ameaça.

Um usuário do Fedora não deve ser informado sobre o Ubuntu e o Ubuntu One durante o download de software. Seu navegador não deve ter marcadores apontando para outra distribuição . Seu software não deve ser projetado e testado principalmente com outro ambiente de desktop e distribuição em mente, e quando ele olha para screenshots ele não deveria ver o Ubuntu em todos os lugares. É errado para o Spotify fazer isso e é errado para qualquer fornecedor pensar que tal loja pode ser a única loja para todos os usuários do Linux. Para que isso funcionasse, precisaria ser governado por todos nós, com objetivos claros, sem preconceitos e sem conflito de interesse .

Quando o Flatpak saiu, imediatamente permitiu que qualquer pessoa criasse lojas. O cliente Flatpak pode conversar com várias lojas. O Spotify está no Flathub e eles podem avançar em direção a ele. Se amanhã eles tiverem uma discussão com o Flathub, eles poderão criar sua própria loja e o mesmo cliente do Flatpak continuará trabalhando com ela. Quando Snap saiu, era apenas um cliente. O servidor estava a portas fechadas e o cliente não conseguia falar com vários servidores. Estamos preocupados com isso desde então, mas tudo bem. Contanto que o Snap não se tornasse o padrão de fato para todos os editores publicarem para todos os usuários do Linux, tudo bem. Enquanto os editores não parassem de distribuir os pacotes, tudo bem. Desde que o Snap não tenha removido o que já tínhamos, estava tudo bem. A Ubuntu Store, que agora é chamada de Snap Store (que faz sentido, já que só pode haver uma loja, por design), era promissora porque poderia fornecer software que não tinhamos acesso e uma plataforma de pagamento para comprar software comercial. Está fazendo muito mais do que isso, porém, pode reduzir o acesso a softwares gratuitos (como em cerveja) e gratuitos (como em liberdade).

Há muitas coisas que você pode fazer com gerenciadores de pacotes (apt / dpkg no Linux Mint), que você não pode fazer com o Snap, e há duas razões para isso. Primeiro, eles estão por aí há algum tempo. Eles são maduros, estão totalmente integrados ao sistema operacional em todas as distribuições. Segundo, eles foram desenvolvidos com o Software Livre em mente. Não há aspectos comerciais no design do apt / dpkg, é tudo sobre capacitar usuários e distribuições. Você não pode modificar, reconstruir, fixar, corrigir, espelhar um snap, você não deveria.

Fui convidado para participar dos desenvolvedores do Snap e espero que um dia possamos integrar o snap ao Linux Mint. Embora eu esteja preocupado com o impacto no mercado, acho que o snap funcionaria como um cliente e um formato de arquivo, se não nos prendesse em uma única loja. Você pode se perguntar por que eu sou tão sincera sobre isso de repente. Há um certo senso de urgência que exige ação do nosso lado. O Ubuntu está planejando substituir o pacote do repositório Chromium por um pacote vazio que instala o snap do Chromium. Em outras palavras, à medida que você instala as atualizações do APT, o Snap se torna um requisito para você continuar usando o Chromium e se instalar nas suas costas. Isso quebra uma das principais preocupações que muitas pessoas tiveram quando o Snap foi anunciado e uma promessa de seus desenvolvedores de que ele nunca substituiria o APT.

O plano não é apenas delegar parte do APT com Snap nos lançamentos atuais do Ubuntu, mas também fazer o backport dessa mudança para o Ubuntu 18.04 LTS. Nós não queremos que isso afete o Linux Mint.

Eu não acho que os pontos que estamos levantando aqui sejam bem compreendidos pela comunidade. Espero que falemos com o Ubuntu e o projeto Snap sobre isso. Estamos muito interessados ​​no seu feedback também. Um Snap Store auto-instalável que substitui parte da nossa base de pacotes APT é um NO NO. É algo que temos que parar e isso pode significar o fim das atualizações do Chromium e o acesso à loja instantânea no Linux Mint.

Suporte de 32 bits daqui para frente

O anúncio da Canonical de que o suporte de 32 bits seria descartado no Ubuntu 20.04 significa que o futuro Linux Mint 20 só poderá ser lançado em 64 bits. O Linux Mint 19.x já está disponível em 32 bits e pode ser usado até 2023. Acho que a maioria das pessoas está satisfeita com isso e lançar versões de 32 bits daqui para frente faz sentido em 2020.

Muitas perguntas foram levantadas sobre o suporte multiarch embora. Steam, Wine e outros aplicativos populares usados ​​no Linux Mint 64 bits não funciona corretamente sem bibliotecas de 32 bits.

A Canonical abordou essas questões e anunciou que isso não seria um problema. Isso é muito importante para nós também. Não há razão para pensar que o Ubuntu 20.04 não terá o suporte adequado. Se isso acontecesse, ou se as soluções escolhidas tornassem o Snap um requisito, estamos comprometidos em resolvê-los também.

2 Curtidas

@Docmine7, poderia traduzir o post ou colocar um link com o texto em português?

Um texto (ou link com um texto) em outro idioma por mais que existam ferramentas como Google Tradutor exclui boa parte da comunidade da discussão

2 Curtidas

Pelo que entendi a ideia é usar o preinst ou postinst do pacote do Chromium (chromium-browser) pra puxar um snap como um metapacote, as libs ficariam intactas, na real não forçaria mas seria chato se isso acontecesse

2 Curtidas

então, forçaria a usar o snap, caso a pessoa tentar instalar o chromium…mas eu sinceramente acho que eles tinham que ir na mesma linha da “distro mãe” pra não ter problemas com esses conflitos e provavelmente futuros…

2 Curtidas

Não sei cara, é complicado, snaps não se integram nem no Ubuntu principal…

2 Curtidas

A questão, como até o autor do blog coloca, nem é se o snap é bom ou ruim, e sim o fato do Ubuntu forçar a instalação de um pacote que o usuário não quer e ainda fazer isso sem o consentimento do mesmo. Isso tira a liberdade do usuário, tira a transparência do funcionamento do sistema, e complica a vida de todas as distribuições que quiserem usar as próximas versões do Ubuntu como base.

Para mim isso é uma jogada puramente comercial que ignora todas as boas práticas do mundo open source. Ainda não vou crucificar a Canonical pois ainda é preciso verificar essa informação, mas se for verdade será um choque gigantesco na comunidade Linux.

2 Curtidas

Na questão de comunicação e marketing, o pessoal do Linux Mint precisa evoluir muito, pois eles são péssimos nisso.
Mas quem sabe agora eles se empenhem em melhorar isso, né? :slight_smile:

Aguardemos, isso não iria pegar bem para a imagem do Ubuntu e Canonical, principalmente depois desse burburinho causado pela história dos pacotes 32 bits :thinking:

1 Curtida

É complicado, por um lado no caso da canonical não tem necessidade ter duas compilações do Chromium nos servidores, mas também forçar uso do snap para quem tentar instalar o mesmo não é bom.

Alem disso o chromium em snap é meio bosta, demora mais para abrir e nem abre links magnéticos de torrrent e coisas parecidas, acho que o nome é xdg-open, dependendo de quem usa isso nem importa.

Acho que a canonical deveria “sentar mais à mesa” para resolve essas coisas com as outras distros, ela esta dando vários tropicões de uns tempos pra cá.

1 Curtida

Eu gostaria de ver o Ubuntu inteiramente baseado em Snaps, também gostaria de ver o Ubuntu se tornar uma distro independente, isso me atrairia de volta. Em questão de Flatpak vs Snap, sempre preferi Snaps, vejo a possibilidade de se ter vários repositórios de Flatpak como algo negativo, é o mesmo que aconteceu com os PPAs.

4 Curtidas

ppa centraliza no launchpad (da canonical) assim como snap centraliza no snapcraft (tbm da canonical) não me fez sentido teu comentário depois do ubuntu full snap…eu tbm acho que seria mais interessante ubuntu full snap, seguiria na linha de um endless/android/silverblue…

1 Curtida

outra coisa, com flatpak tu pode criar sua propria loja centralizada (estilo flathub) ou não…

Você pode adicionar diversos PPAs diferentes no sistema, o Flatpak possibilita a mesma coisa, eu acho isso extremamente ineficiente, deveria existir apenas um repositório.

1 Curtida

é o mesmo que dizer “deveria existir um padrão” já vimos esta novela antes…

mas ainda bem que a maioria não concorda com essa ideia centralizadora…