Libre Office vs Trabalho de Faculdade (UNOPAR)

A nota que eu tirei Se tivesse tido problemas compatibilidade eu teria perdido 500 pontos

Requisitos do trabalho:

  • Normas da ABNT com algumas regras próprias
  • Formato DOCX

Como eu fiz?

Aviso
Esse artigo visa mostrar os conceitos usados, não é um tutorial sobre como aplicar as normas passo a passo, mas sim as “boas práticas”

Eu obviamente queria que tudo saísse perfeito sem distorções, assim sendo eu tomei diversos cuidados e fiz o trabalho usando o mínimo de formatação livre possível, o passo a passo:

Estruturando

O primeiro passo foi estruturar o trabalho:

Aplicando os estilos

Os estilos ditam como seções de um mesmo tipo devem ser formatadas, assim quando você aplicar a formatação desejada, todas as seções do texto com aquele estilo serão formatados automaticamente, você pode criar quantos estilos quiser, mas como os que já vem no LO me atendem eu não mudei nada, ao final ficou assim:

Separando as seções

Antes mesmo de começar a fazer o trabalho em si, eu já separei as seções, o truque é ao invés de usar a Quebra de Linha, eu usei a Quebra de Página (CTRL+Enter) assim não importa quantas linhas eu adicione, o documento em tese não terá a estrutura quebrada, pra fazer é simples:

  1. Posicione o cursor antes do texto

  1. Pressione CTRL+Enter

E pronto, o documento já estava estruturado

Formatando a página

É bem simples, no layout “Abas compactas”, eu fui em “Leiaute” depois “Margens da página” e coloquei os valores

Estrutura

Digitando

Agora vem a parte trabalhosa, mas tem um truque que agiliza, para já começar com o estilo correto, bastou colocar o cursor após o título e pressionar Enter:

Note que o estilo já ficou definido no correto:

Subseções

Aqui foi igualmente simples:

  1. Cursor após o título da seção:

Estrutura

  1. Apliquei o estilo “Título 2”

O estilo 2 serve pra estruturar o sumário com a identação correta

Estrutura

Formatando

Na caixa de Estilos selecionei “Outros estilos”:

Estrutura

Certificando de fitrar apenas os estilos aplicados (pra não perder tempo):

Depois eu cliquei com o botão esquerdo e fui em modficar

No geral você vai mexer em “Recuo e espaçamento”:

Alinhamento

E fonte:

No final, só dar OK e formatar os outros estilos

Finalizando

Como a Capa e Contra Capa vai da universidade (eu já vi uns 4 Layouts diferentes) eu vou pular

Na página de “Sumário” apaguei o título eu gosto de colocar na hora da estruturação como PlaceHolder mas isso é algo pessoal, feito isso fui em “Inserir” -> “Sumário, Índice ou Bibliografia” (isso varia de acordo com o Layout)

Certtificando que o Título é "Sumário! e que não está protegido contra alterações, só cliquei em OK

E… mágica:

Dependendo dos requisitos da faculdade talvez seja necessário alterar os Estilos “Título do sumário” e “Sumário 1” antes de gerar o sumário

Conclusão

Isso foi só um artigo mostrando as diferenças mais cruciais, porém fazendo assim eu não tive nenhum problema de compatibilidade

16 Curtidas

Apenas uma duvida sincera: Porq simplesmente não fazer logo no Office Online? Assim garantindo que tudo ficará bem formatado e sem problemas.

1 Curtida

Porque ele consegue ser mais pobre em recursos do que o LibreOffice. O processador de textos nem régua tem.

Em tempo: a pior coisa possível para um trabalho acadêmico é ser feita em um processador de textos. Quem puder partir pra LaTeX, parta. Só o gerenciamento de referências bibliográficas e a possibilidade de colocar referências cruzadas que não quebram, já vale o esforço. E pode ser usado na nuvem via Overleaf, que tem integração com GitHub.

6 Curtidas

“Porque ele consegue ser mais pobre em recursos do que o LibreOffice.” Não duvido já que se trata da versão online. Agr para trabalhos de faculdades que são muitos simples atende bem. Falo por experiencia própria já fazia os meus trabalhos de faculdade nele rs.

2 Curtidas

Uma alternativa ao Office 360 seria o OnlyOffice.

1 Curtida

Tem alguns motivos:

1. O office online é… online

Se os servidores da MS por algum motivo caírem eu ficaria sem meu trabalho, assim sendo eu teria que ficar fazendo cópias offline o tempo todo, é difícil de acontecer mas não é impossível… em reta final de curso eu prefiro não arriscar

2. Eu tenho problemas sérios com atenção

E abrir um software no navegador é bem destrutivo pra mim

3. Gerador de sumário não funcionou pra mim

Embora eu conseguisse atualizar ele não me permitiu criar um, pelo fórum da MS eu fui orientado a usar o app desktop, e fazer na mão é mais complicado

4. Não permite editar estilos

Simplesmente eu só consigo trabalhar assim, formatar texto a texto é demorado e tedioso, voltemos ao item 2, de novo pelo fórum da MS eu fui orientado a usar o app desktop, sim, eu sei, é bem pessoal mas…

5. A Quebra de página não quebra a página

Ela só adiciona um marcador:

Novamente é um ponto pessoal e um efeito psicológico, mas pra mim ver a página toda faz muita diferença


De usabilidade, que eu me lembre foi isso que me fez desistir do MS Office Online

Já nesse ponto… olha embora ao abrir arquivos .docx por ele abre normalmente, eu tive experiências bem ruins com .xlsx que no online funcionava e no desktop não, então diante da possibilidade de tanto o LO quanto o MS Office Online dar problema, eu fui pelo que trazia melhor conforto e os problemas de compatibilidade eram contornáveis

Tendi. É algo bem pessoal msm.

1 Curtida

Eu também sempre faço meus trabalhos no LibreOffice. Geralmente se for em grupo eu sempre fico por último pois sei que de qualquer jeito vou ter que arrumar alguma coisa na formatação.

Para agregar um pouco mais o tópico, eu sempre utilizo esta playlist para me orientar na formatação, são somente 6 vídeos:

3 Curtidas

Eu ia indicar exatamente essa playlist (por pouco não postamos ao mesmo tempo). :grinning:

1 Curtida

Assim, tirando a questão do sumário e estilos… é bem pessoal

hehe, acho que vou abrir um tópico pra divulgar essa playlist pra galera. Vale muito a pena!

Eu concordo com vários dos pontos que foram colocados, como a importância da geração automática do sumário (e nisso também acho que o Word apresenta problemas constantes, principalmente quando você precisa gerar sumários para tipos de objetos inseridos no documento, como tabelas, figuras, equações etc) e a possibilidade de uma operação offline ser preferível para evitar distrações com um browser ou mesmo o risco de indisponibilidade (seja por problemas na Microsoft, seja por problemas de conexão do usuário).

E, sim, é algo bem pessoal. Eu também costumo pleitear toda a parte de montagem, revisão e finalização dos trabalhos, justamente porque não gosto de entregar nada feito em processador de textos. Prefiro que as pessoas me mandem os arquivos no formato que elas quiserem e eu passe para o LaTeX. Nunca tive de me preocupar em seguir as normas da ABNT, porque o projeto abnTeX2 já fez isso. Eu só aplico os elementos (capítulos, seções etc) e a formatação é feita como esperado.

Depois que você aprende a usar LaTeX, mesmo um trabalho simples como uma resenha ou fichamento não compensa fazer via processador de textos. O processador pode ser útil para rascunhar partes do texto, fazer uma verificação ortográfica e gramatical mais rigorosa etc. Mas é só.

3 Curtidas

Sem a menor dúvida, o Latex é a melhor opção para trabalhos de faculdade, principalmente se forem artigos científicos. Mas exige uma certa dedicação para aprender a usar bem, pelo menos exigia. Faz tempo que não uso.
Agora, nesse caso em especial, achei estranho que se exija que o trabalho seja entregue no formato docx. Eu, particularmente, sempre entrego meus documentos no formato pdf. Aí sim, não se corre o risco de bugar a formatação. Além de proteger contra alterações indevidas.

2 Curtidas

È uma das diferenças pra ABNT padrão, que se não me engano é ODF, o menos pior é que a gente tem a hash do arquivo, assim se mudarem dá pra saber

2 Curtidas

Sim, ainda é preciso dedicação, uma vez que não se trata de uma abordagem WYSIWYG. Há bons modelos, manuais e guias disponíveis, mas não é intuitivo como um processador de textos. É simplesmente outro paradigma.

O assunto também abre a oportunidade para pensar em como o ecossistema do Linux amadureceu e se tornou mais abrangente. Para quem começou usando distribuições do fim dos anos 1990 e começo dos anos 2000, como é o meu caso, simplesmente não havia a opção de usar um processador de textos.

Não havia nada realisticamente viável para quem não tinha uma máquina de última geração, extremamente proibitiva. O StarOffice, que depois se transformou no OpenOffice, era extremamente pesado e vinha em português de Portugal. Um Pentium 100 MHz com 32 MB de memória não conseguia rodar o StarOffice de maneira satisfatória, enquanto o Office 97 voava baixo (e o usuário podia fugir dos problemas de estabilidade do Windows optando por uma versão NT).

Eu também achei, mas já aconteceu comigo. Felizmente, desde meu ingresso em 2015 no mundo acadêmico, acho que só tive um desgosto do tipo uma ou duas vezes. Geralmente o formato PDF é o preferível (e em alguns casos, é o formato obrigatório).

2 Curtidas

Eu acho esse sistema muito complexo para quem não está habituado com comandos. Pode até ser versátil, mas, 90% das pessoas não se sentem bem com algo assim.

Para lidar com formatos proprietários no Linux, a opção mais completa sem dúvida é o SoftMaker (versão premium do FreeOffice), infelizmente é uma solução paga.

Sim, é mais complexo, é outro paradigma, mas eu acredito que é um preço baixo a se pagar. A melhor coisa é que o LaTeX não surpreende ninguém quebrando a formatação nos momentos mais inconvenientes.

Uma opção meio termo, que eu acho interessante, mas acabei usando relativamente pouco por já dominar bem o LaTeX para tudo que preciso produzir, é o LyX, que suaviza bastante o processo.

É um pacote legal, tenho o FreeOffice aqui, mas uso muito mais como visualizador do que qualquer outra coisa. Ele é nativo, mas os widgets da interface são claramente do Windows e a SoftMaker parece usar uma espécie de framework próprio ou algo do tipo. A mim, não incomoda, mas não é como usar um programa GTK ou Qt.

3 Curtidas

Interessante, pena que não posso ficar vendo muito tutoriais do tipo, porque se não fico com vontade de instalar os programas e acabo enchendo meu PC de “tralha” kkk

Falando por mim, aqui o FreeOffice atende bem, claro não faço grandes coisas nele, mas ele consegue me atender bem no básico…

1 Curtida