Influência do movimento "OpenSource / Software Livre" para além do software

Bom dia.
Esse post não é uma pergunta nem uma dúvida técnica… Estou apenas compartilhando algumas impressões minhas após ouvir a música usada no vídeo de promoção do KDE Plasma 5.17…

Acompanho o movimento do Software Livre / OpenSource desde que comecei com Linux (ou GNU/Linux se preferirem rs) em 2002.
De lá para cá algumas coisas parecem estar mudando… Antes se percebia um maior “fervor” pela filosofia que o Software Livre carrega e havia um embate “Livre vs proprietário” nos fóruns (redes sociais ainda não estavam muito disseminadas…). Parece que havia um peso maior no conceito de “Comunidade” do software livre.

Algumas empresas entraram logo no início na onda OpenSource (IBM, Google e outras). A Microsoft só recentemente abraçou a causa após a entrada do Satya Nadella. [Na época do Steve Ballmer, este chamou o Linux de “Câncer”]. [O termo “OpenSource” foi criado para apresentar o “Software Livre” de forma menos política e mais “palatável” às empresas e ao mercado].

Quanto aos usuários de Linux hoje, percebo que já não se importam tanto se o Software é Livre ou apenas grátis. É apenas uma colocação: não vejo de forma negativa usar um software proprietário e grátis (ex: DaVinci Resolve, WPS Office) no lugar de um Software Livre e grátis (ex: KDEnLive, LibreOffice), apesar de eu, pessoalmente, dar preferência a Softwares livres sempre que possível.

Mas por outro lado vejo iniciativas interessantes fora do mundo do Software: O Arduino por exemplo que é um “Hardware Livre” e a Licença “Creative Commons” que permite a criação de trabalhos artísticos de livre distribuição.

Ontem vi o vídeo de lançamento do KDE Plasma 5.17 (YouTube)… No vídeo, além do excelente KDE Plasma, também me chamou a atenção a trilha sonora escolhida: uma música de fundo pop/indie… Pensei: "Mas o Youtube não iria bloquear/dar strike/reclamar do vídeo por causa dos direitos autorais da música?

Olhei os links na descrição e vi que era uma música sob licença Creative Commons…
E a maior surpresa é que descobri ser de uma banda brasileira que eu não conhecia e que havia liberado o álbum sob essa licença livre… Por isso o Youtube não tinha o que “reclamar” em relação a direitos autorais.

Talvez o texto tenha ficado confuso já que citei várias coisas aparentemente desconexas…

Mas a reflexão que eu convido a fazerem é: Como a tecnologia vem afetando o comportamento da sociedade? E dentro da tecnologia, como as iniciativas colaborativas (projeto GNU, movimento OpenSource, Creative Commons) mudaram a relação entre usuários, empresas e softwares? Como a cultura e a sociedade vem se transformando graças aos movimentos colaborativos da Internet como redes sociais, Wikipedia, GitHub, etc. Como seria nossa sociedade se essa filosofia de compartilhamento não tivesse existido?

Apenas divagações…

1 Curtida

É uma interessante reflexão. Eu nunca fui um xiita do software livre, mesmo com uma breve participação no extinto Projeto Software Live do DF (PSL-DF). O que me preocupa atualmente é a grande invasão de privacidade e a grande concentração do mercado em basicamente 5 grandes players (Google, Microsoft, Amazon, Apple e Facebook). Se existe alguma real ameaça ao SL, acho que viria daí. A grande vantagem é que o movimento amadureceu muito com o passar do tempo de algo muito político/filosófio para algo mais prático. Não que a politica/filosofia não fossem importantes. Sem elas, nem teriamos chegado até aqui, mas um equilibro delas com a parte prática é que, na minha opinião torna a coisa interessante.
Um dos melhores desdobramentos do “estilo” software livre são, na minha opinião, coisas como as alternativas da creative commons para o compartilhamento de outras mídias como audio-visual, o open hardware e essas outras possibilidades menos obvias, mais igualmente incriveis.

Parabéns por dividir suas idéias e sujeita-las as contribuições no melhor estilo Software Livre :slight_smile:

1 Curtida