Impressões sobre o Linux e outras coisas

Olá pessoal, gostaria de compartilhar minhas impressões sobre o que tenho passado nos últimos dias usando Linux (e outras coisas…) e, para quem puder ajudar, ver se consigo algumas respostas para resolver os percalços que tenho encontrado.

Tudo começou há pouco mais de um mês, quando comprei um notebook Lenovo Ideapad 330 com a intenção de fazer um hackintosh, seguindo um tutorial que encontrei num fórum sobre o assunto. Optei por um notebook usado de forma a diminuir os prejuízos caso desse muito errado. Como o tutorial era muito detalhado, não tive grandes dificuldades de fazer o hackintosh. Entretanto, alguns pequenos bugs me deixavam irritado:

  1. o microfone interno só funcionava bem no Safari. Quando eu fazia videoconferência usando o Chrome ou o Firefox, ele não funcionava direito e eu precisava plugar um desses fones de ouvido de celular que têm microfone embutido;

  2. o touchpad era reconhecido como mouse e eu não conseguia usar a funcionalidade de arrastar e soltar com atraso que eu conseguia usar no meu Macbook de 2010;

  3. algumas vezes, enquanto eu digitava, o cursor saltava de lugar, como se eu tivesse clicado no touchpad.

É importante ressaltar que nenhum desses problemas ocorria no Windows, então, vamos em frente com a história.

Diante desses problemas, resolvi abandonar o hackintosh e partir para alguma distro Linux que tivesse um visual parecido com o do Mac OS. Eu já tinha instalado o Elementary OS em um notebook Dell de 2008 que fica com meu filho e ele estava rodando bem. Instalei ele no Lenovo também e mantive o dual boot com o Windows. Porém, como pretendia usar o Lenovo para minhas tarefas enquanto estou em home office, achei melhor usar o Ubuntu como distro de trabalho por causa do suporte que se encontra para ele na internet.

Aproveitei o lançamento da LTS 20.04 e parti logo pra ela. Mas aí tive alguns problemas que eu não esperava, e eles começaram quando precisei instalar o pgAdmin 4 para usar como cliente do Postgres. Não consegui instalar de jeito nenhum e ele é uma dessas ferramentas fundamentais que preciso para trabalhar. Então instalei os aplicativos que precisava no Elementary OS e esta passou a ser minha instalação de trabalho. Outra coisa que estranhei no Ubuntu foi a desproporção entre o tamanho da fonte de título das abas do Chrome e o restante das janelas do Ubuntu. Tentei alterar isso mexendo no fator de escala do sistema, mas sem sucesso.

Só que o Elementary OS tem algumas coisas que também são um pouco ruins e a principal delas foi o fato de não mostrar a miniatura das janelas quando há mais de uma aberta para que fique mais fácil de eu escolher para qual alternar. Então resolvi substituir a instalação do Ubuntu por uma do Linux Mint, que todo mundo fala bem por aqui.

Instalei e, baixando e alterando temas, consegui deixá-lo com uma interface até mais agradável do que o Mac OS ou o Elementary. Para ter um pouco mais de flexibilidade, compartilhei a /home entre o Mint e o Elementary, bem como a pasta de dados do Postgres. Só que aí também começaram a aparecer alguns problemas irritantes no Mint:

  1. preciso usar o QGis e, ao digitar um filtro para uma camada de dados, ele parece inserir espaços “fantasmas” no texto. No print abaixo, por exemplo, os únicos espaços digitados são os que separam o “and” do restante da expressão:

Erro QGis

  1. outro problema foi o tamanho da fonte em alguns programas como, por exemplo, o FME que é um ETL manager. No print abaixo, capturei uma parte da tela do FME sobreposta ao Nemo, para terem uma ideia:

FME Fontes

Imaginei que esses problemas podem estar ocorrendo pelo fato de estes softwares terem sido desenvolvidos pensados para uma interface gráfica como o Gnome que, por ser a padrão do Ubuntu, provavelmente é o alvo das empresas na hora de escolherem uma para desenvolver seus produtos sem ter que se preocuparem muito em adapta-los para outras interfaces.

Pensando nisso, pensei em instalar o Pop OS, que também usa o Gnome, e ver se estes problemas ocorreriam. Aí me deparei com outro problema. Ao tentar instalar o Pop e selecionar a partição EFI já existente para montar o /boot, ele informa que a partição deve ter pelo menos 500 Mb e a minha tem somente 100 Mb. Aí desisti, pelo menos por enquanto, pois, pelo que vi, alterar o tamanho de uma partição que está entre outras já existentes, implica em “mover” o espaço que eu libero entre elas. Já tenho 7 partições no meu disco e aí já é trabalho demais pra se ter.

Agora, estou pensando em tentar novamente instalar o Ubuntu e tentar configurar novamente os softwares que preciso.

Além de todos os problemas relatados acima, me surpreendi que alguns dos problemas que encontrei no hackintosh, também apareceram nas instalações Linux. E isso me surpreendeu porque imaginei que as distros Linux fossem capazes de reconhecer bem a maior parte do hardware que existe por aí. Só que, além dos que apareceram no hackintosh, também apareceram outros, ainda mais irritantes. Vamos à lista:

  1. o problema do microfone interno não funcionar também apareceu nas distros Linux. Até tentei resolver baixando o PavuControl e consegui reconfigurar os canais do microfone para que ele funcionasse corretamente mas, depois de alguns segundos, ele volta para a configuração padrão e o problema retorna;

  2. o “toque fantasma” no touchpad e o problema de não conseguir arrastar e soltar com atraso, também apareceram no Linux;

  3. além desses problemas do touchpad, outro apareceu: o duplo toque não está funcionando para permitir o equivalente do duplo clique. Mas, se eu pressiono com força, para que ele efetivamente seja pressionado como clique, aí funciona.

O texto está grande, mas está acabando :wink:

Diante de todos estes problemas, estou me perguntando o que pode estar dando errado:

  1. a interface gráfica pode mesmo estar influenciando na questão da desproporção de alguns softwares e nos espaços-fantasma do QGis?

  2. o hardware da Lenovo pode ser mais incompatível com Linux do que outras marcas? A resposta a essa pergunta é bastante importante pois pretendo comprar um computador novo e estava pensando em um Dell, tanto pela experiência que já tenho com o meu de 2008, que nunca apresentou problema de compatibilidade, quanto pelo fato de a própria Dell oferecer alguns modelos com Ubuntu pré-instalado, o que talvez demonstre que o hardware deles seja mais “linux friendly”.

Por tudo que relatei acima, concluo que o Linux, apesar de ser o SO que pretendo usar daqui pra frente, ainda tem muito, mas muito mesmo, a evoluir nessas questões. Especialmente o problema de as interfaces não terem basicamente nenhum padrão é o que mais acho que dificulta sua adoção de maneira mais ampla. A impressão, para fazer jus ao título do meu post, é de que as coisas são meio mal acabadas, feitas às pressas.

Espero que tenham chegado até aqui e possam me ajudar com algumas respostas ou mesmo compartilhando problemas do gênero que já tenham enfrentado com suas distros.

Abraços!

Sobre este ponto, é fácil resolver.
Basta ativar os “Cantos de Acesso Rápido”. Escolhe um canto e configura para “Mostrar todas as janelas”.
Outro atalho para isso é o SUPER+A ou SUPER+W.
Com SUPER+S você vê os desktops virtuais (pode ser configurado em um canto rápido também)
O CTRL+TAB também mostra as janelas em primeiro plano.

O Pantheon do Elementary e o Cinnamon do Mint são baseados no Gnome, se não estou enganado (corrijam-me, por favor).

Outra coisa que notei no seu texto (pode ter sido só impressão): você está tentando usar o Linux como usa o Windows ou o Mac. São workflows diferentes. Tente se adaptar ao modo como as interfaces Linux (Pantheon, Gnome, Plasma, Cinnamon) funcionam. Veja em qual delas você se sente mais à vontade, sempre procurando entender o workflow de cada uma.

Quanto ao hardware Lenovo, não posso opinar, pois não tenho um.
Uso um Dell onde tudo funciona perfeitamente.
Atualmente estou com o Elementary e o POP_OS! em dual boot e muito satisfeito com os dois (o Elementary 6 vai surpreender, acredite).

pgAdmin

Qual o erro?

QGis

Talvez seja interessante adicionar o erro aqui: Search - QGIS Application - QGIS Issue Tracking

Ok…não conheço…este programa é em QT…talvez seja interessante instalar o qt5ct e depois configurar da mesma forma com ele.

Não acho que eu esteja tentando usar o mesmo workflow do Windows. Desde o começo do home office eu vinha usando o Mac OS e, inclusive, usava bastante as áreas de trabalho. Mas é que esse item, especificamente, faz falta. Ver todas as janelas ajuda, mas não é o ideal. Quando estou com 3 ou 4 planilhas abertas, é mais interessante visualizar uma miniatura de cada para ter uma ideia melhor para qual alternar rapidamente.

De qualquer forma, acho que vou continuar com o Elementary OS pois ele é o que tem a interface mais coesa. Nenhum dos softwares que abri nele apresentavam essas discrepâncias de visual. E essa questão das miniaturas, embora faça falta, eu me acostumo com ela.

Ontem instalei o Ubuntu mas desisti logo de cara. Parece que ele aproveita as configurações de aparência que fiz nas outras instalações e tá todo zoado. A janela da loja de aplicativos, por exemplo, estava com os botões de fechar, maximizar e minimizar do Elementary OS!

Eu gostei do Mint porque ele tem muita opção e é muito fácil de personalizar, mas a aparência de alguns dos aplicativos que preciso desmotiva o seu uso contínuo.

O Elementary OS seria perfeito se fosse mais fácil de personalizar como o Mint. Mas entendo a filosofia dos caras, de ser mais fechado e voltado para um público, talvez, um pouco mais leigo. Só que os aplicativos padrão deles também são de doer. Então acho que é meio que um tiro n’água fazer um sistema “pronto” para uso e trazer como navegador padrão o Epiphany. Acho que os únicos usuários desse navegador devem ser os próprios desenvolvedores. E, talvez, por pura obrigação. :wink:

1 Curtida

Não lembro mais a mensagem exata, mas era algo na linha de que aquele não era um pacote candidato para a instalação. Parece que tem a ver com o repositório usado para o Ubuntu 20.04, mas não tenho certeza. O Postgres, por outro lado, instalou sem nenhum problema.

:smile: :smile:
Concordo!

Já tentou usar o endeavouros…

Não tem um gerenciador de pacotes gráficos, mas acho que você resolverá alguns problemas que está tendo…
tente rodar via virtualização para testar…

O arch usa o aur e repositório oficial

https://wiki.archlinux.org/index.php/PostgreSQL
https://wiki.archlinux.org/index.php/GpsDrive

Sobre o visual pode mudar

Eu tenho um lenovo e estou tendo este mesmo problema no microfone interno será que existe alguma solução para ele ?

Elano, eu pesquisei bastante e não encontrei nenhuma solução satisfatória.

Eu tinha comprado esse computador usado pra fazer um hackintosh e observei o mesmo problema no Mac OS, mas com uma particularidade: no Chrome, por exemplo, o microfone apresentava esse problema, mas no Safari não. Então, se eu ia fazer uma videoconferência, por exemplo, entrava no Safari para poder participar sem precisar conectar um fone de ouvido.

Acabei desistindo do hackintosh porque achei que o problema era de incompatibilidade do Mac OS com o hardware desse modelo do Lenovo. Mas quando instalei o Linux o mesmo problema aconteceu. E independe da distro usada. Eu cheguei a usar as seguintes distros: Ubuntu, Elementary OS, Mint e Deepin. Em todas elas os problemas apresentados foram os mesmos.

Acabei comprando um outro computar, esse novo, da Asus, que já veio com Endless OS instalado. Fiz isso porque imaginei que, nesse caso, haveria compatibilidade total do hardware com o Linux. E não estava errado. Até agora tudo funciona perfeitamente. E só não mantive o Endless OS instalado porque uso o computador para trabalhar e ele não permite que eu instale nada que não esteja na loja do sistema. E eu preciso de ferramentas como Postgresql e FME que só tem jeito de instalar por fora. Uma pena, porque a interface do Endless OS foi uma das melhores que vi desde que voltei para o Linux há pouco mais de dois meses.

Outra particularidade desses problemas que citei é que nenhum deles acontece no Windows.

Abraços.

1 Curtida