História do Flatpak

Como alguns podem pensar o Flatpak não é tão recente assim, não nasceu da “noite para o dia” veja um pouco da sua trajetória e evolução (a histórica foi contada em 2018, então irei adicionar mais coisas com o tempo).

O Flatpak continua evoluindo e em busca dos seus objetivos que é fornecer um sistema de distribuição mais seguro (em vários sentidos), compatibilidade com distribuições Linux (novas e antigas), ambiente consistente para dev’s/user’s, plataformas estáveis, maior controle do dev/user, ser uma comunidade de desenvolvimento independente não dependendo de 1 fornecedor…

8 Curtidas

Até aqui era basicamente o que o Appimage é ainda hoje!

Na verdade, não é bem assim, o Glick 1 tinha as seguintes limitações segundo seu texto:

  • Ele não se integra com o desktop de forma alguma
  • Os aplicativos precisam decidir o que agrupar, tendo que usar bibliotecas do sistema para as coisas não agrupada

Nenhuma das duas é verdadeira tanto pro Klik, quanto pro AppImage, ambos sempre seguiram o FreeDesktop o que faz com que eles se integrem bem com ambientes desktop que seguem o padrão (caso o usuário queira) e os apps nunca precisaram de fato decidir o que agrupar, o grande diferencial do AppImage é justamente permitir que os appss decidam o que agrupar, porém não existe a necessidade disso, fica a critério do desenvolvedor decidir o que agrupar, agrupar tudo ou agrupar apenas o que as distros não possuem, o Scribus por exemplo não usa nenhuma biblioteca do sistema, outra coisa não levada em consideração é que ao contrário do AppImage, o klik dependia de um client pré instalado, ele era mais próximo do que hoje se conhece como pkg2appimage. Ou seja, mesmo considerando o klik, o AppImage nunca foi assim, ele permite ser assim, da mesma forma que o flatpak

O Flatpak atende a pequena demanda que prefere o modo decentralizado de distribuição de app’s.

Não exatamente (isso inclusive deixa a entender no próprio texto), devido a forma como o Flatpak funciona (usando ostree), é inviável pra esmagadora maioria manter uma store, atualmente tirando os repositórios Nightly do GNOME e da Endless, praticamente todos os Flatpaks funcionais estão centralizados na Flathub, ou seja, o Flatpak até permite em tese atender esse lado, mas na prática acaba tendo um centralizador