HBO Max - Um GRANDE motivo para deixar a NETFLIX?

:white_check_mark: Conheça o X-Team: https://x-team.com/Diolinux

Conheça o HBOX Max, o mais novo concorrente da Netflix e de outros serviços de streaming no Brasil. O serviço chega trazendo vários conteúdos interessantes de alta qualidade, incluindo Friends, que recentemente saiu da Netflix. Vamos conhecer os recursos, os preços, os planos e tudo o que você precisa saber antes de assinar o novo serviço.

Entre os destaques do serviço estão séries como “The Big Bang Theory”, “Game of Thrones”, “Two and Half Man”, entre outras, assim como na parte de filmes temos forte presença do conteúdo da DC, incluindo a nova versão estendida de Liga da Justiça (Zack Snyder).

O serviço chega ao Brasil com valor promocional e 50% de desconto para todos os assinantes que embarcarem do serviço nos primeiros 2 meses, mantendo esse valor indefinidamente. O valor mais alto no momento é de R$ 27,90 (R$ 13,95 na promoção de 50%), enquanto que o mais baixo, destinado apenas a Smartphones e Tablets é de R$ 19,90 (R$ 9,95 na promoção),

O HBOX Max chega para rivalizar diretamente com a Netflix, não só por tirar conteúdos até então presentes no serviço vermelho, como Friends, um dos maiores sucessos dentro da Netflix por muitos anos, como também por apresentar um catálogo que, ainda que menor no momento, apresenta conteúdo de muita qualidade e variedade, com gêneros diferentes para agradar a boa parte do público.

:crown: 𝗦𝗲𝗷𝗮 𝗺𝗲𝗺𝗯𝗿𝗼 𝗱𝗼 𝗗𝗶𝗼𝗹𝗶𝗻𝘂𝘅: https://diolinux.com.br/play

:envelope_with_arrow: 𝗡𝗲𝘄𝘀𝗹𝗲𝘁𝘁𝗲𝗿 𝘀𝗲𝗺𝗮𝗻𝗮𝗹 𝗱𝗼 𝗗𝗶𝗼𝗹𝗶𝗻𝘂𝘅 𝘀𝗼𝗯𝗿𝗲 𝗢𝗽𝗲𝗻 𝗦𝗼𝘂𝗿𝗰𝗲, 𝗟𝗶𝗻𝘂𝘅 𝗲 𝘁𝗲𝗰𝗻𝗼𝗹𝗼𝗴𝗶𝗮: http://bit.ly/diolinuxnews

:1st_place_medal: Agradecimento especial a todos os nossos membros, em especial aos da categoria “Diolinux GO” por nos ajudarem a continuar criando conteúdo:

‣ seuMurdoch
‣ Kraudio

:star: Conheça o nosso trabalho: https://diolinux.com.br/links
:microphone: Nosso PodCast: https://diolinux.com.br/diocast
:video_game: Nosso canal de Lives de games: https://diolinux.com.br/live
:shopping_cart: Nossa loja (na Lolja): diostore.com.br

:mailbox_with_mail: Contato comercial: [email protected]

:paperclip: 𝗙𝗼𝗻𝘁𝗲𝘀 𝗲 𝗟𝗶𝗻𝗸𝘀:
‣ Vale a pena assinar o Disney Plus: https://youtu.be/_J5Mk7GP-K4
‣ Vale a pena assinar o Telecine Play: https://youtu.be/_FF1odh9nUU
‣ Vale a pena assinar DirecTVGO: https://youtu.be/1IULFhPBNlo
‣ Vale a pena assinar Amazon Prime Video: https://youtu.be/qcbnpMVejjU
‣ Sobre a Netflix: https://youtu.be/00k7fC_nHWo

1 curtida

Assinei o HBO Max e larguei a “Big N dos Streamings”, pois o preço era muito salgado pelo o que oferecia (lógico que estou me referindo ao plano básico)

Por enquanto eu estou achando alguns filmes que me agradam na HBO Max, mas pelo menos não fico tanto tempo procurando algo minimamente interessante como ficava na Netflix.

Eu também sou assinante do Amazon Prime Video, que tem o catálogo que mais me agrada.

Valeu Dio, larguei a Netflix para migrar para a HBO. No momento ela não tem app nativo do Fire TV Stick, mas logo lança.
Contudo existem alguns probleminhas, coisa que não me incomoda, legendas fora do eixo por exemplo a questão do próprio app do Fire TV Stick.
Mas estou gostando bastante do conteúdo e do preço. haha

4 curtidas

Todas as minhas series favoritas estão na HBO, único serviço que assino.

1 curtida

Já já chega… no exterior já tem. Estou no aguardo também.
Enquanto isso, pode “espelhar” o computador/smartphone no Fire Stick.

1 curtida

Tá rolando um esquema pra instalar o aplicativo do celular no Fire Stick. Muita gente tá fazendo isso enquanto não vem o oficial.

1 curtida

Não fica bom não, recomendo pegar a versão para Android TV que vai dar pouca dor de cabeça!

1 curtida

Já vi alguns tutoriais. É baixar o APK e instalar.
Mas não sei se vale a pena. Não deve demorar a chegar por aqui.

1 curtida

Netflix não vale, de jeito nenhum, o preço que cobra, que é muito mais alto que inflação quando era um produto dominante no mercado e com um catálogo muito mais interessante.
Eu ainda tenho única e exclusivamente por que no meu plano significa um custo de 5 reais por mês pelo plano intermediário (Vivo - 2 telas).

Mas acho que já vem com um catálogo bem mais interessante que o da Amazon que, se repetir aquele vídeo do @Diolinux (que já foi feito duas vezes), demonstraria uma decepcionante retração em relação à última versão.

Eu instalei no meu e está funcionando bem até. Meu Fire Stick é de primeira geração, então nem sei se o aplicativo que será lançado será compatível com ele.
Está um pouco “lagado”, mas como é uma gambiarra nem posso reclamar.
Por enquanto está cumprindo o seu papel.

Quanto ao lançamento da versão oficial, como é um concorrente forte, creio que a Amazon vai dar uma enrolada só pra conter um pouco o hype do lançamento do serviço.

1 curtida

Pelo que vi, estão anunciando novas plataformas para rodar HBO Max, mas só serão reveladas dia 28.

1 curtida

Em relação a Netflix, ela vai continuar firme e forte com o público jovem.

Tem muito conteúdo focado totalmente pra nova geração (até 15 anos), fora o foco em animes como One Piece e Jojo.

O catálogo dela pode agradar pessoas mais velhas, mas não terá mais o mesmo impacto como no público jovem.

1 curtida

A questão é o público velho que paga a conta. kkk

Olha, eu pago 5 reais mensais (é algo vinculado ao meu plano, da Vivo).
O que saiu do resto dos bons filmes neste mês de julho, alguns sem nem avisar, não está no gibi. Já me deu uma bela coceira para cancelar.

Vou segurar só por causa de Better Call Saul, e olhe lá.

A Netflix está metendo mais de 20% de aumento em seus planos. O padrão vai custar quase 40 reais por mês, o plus vai a 55 reais.

HBO Max e Amazon Prime tiraram onda.

Parece que, depois de um crescimento explosivo sob os impactos da pandemia, a base de público da Netflix entrou em estagnação. Daí o valor de mercado das ações caiu e, para agradar os acionistas, a Netflix está forçando o aumento de faturamento com mordida nos bolsos dos clientes.

2 curtidas

O que me preocupa é que o Netflix é o que “está na frente”, e no pouco que dá para se observar, alguns problemas tem se repetido com os adversários: queda na qualidade do catálogo, aumento de preços etc.

1 curtida

Serviços assim, mais generalistas, sempre vão tentar agradar a maior quantidade de pessoas. Então a “queda de qualidade” vai ser sentida por algumas pessoas, por outras não. A verdade é que eles produzem e trazer para plataforma o que dá audiência, talvez isso diga mais de quem assiste do que de quem cria. Mas inegavelmente há uma retro alimentação nesses cenários.

Quanto ao preço, é realmente salgado pros padrões brasileiros, mas eles não aumentavam o preço desde 2019, e o custo da operação deles só deve ter subido também. Mas ver que recursos eles trazem para justificar isso pro bolso da gente.

Ouvi falar que a Netflix está pensando em implementar streaming de games também, tudo na mesma assinatura, isso pode ser um diferencial interessante. Só não sei como funcionaria, atualmente já tem alguns conteúdos interativos que podem ser divertidos, mas está longe ainda de ser um X-Cloud ou GeForce Now.

1 curtida

Pegando pelas sitcoms dos anos 90 que foram verdadeiros clássicos da “Era de Ouro”: Friends, Seinfeld e “Um Maluco no Pedaço”, que há pouco tempo estavam, todas, disponíveis nos “principais” serviços no país, mais maduros (Netflix e Amazon) e hoje nenhuma delas faz parte dos catálogos.
Tem havido uma mudança para conteúdo próprio, com muita quantidade em detrimento da qualidade, e também adoção de obras de países periféricos, o que seria bom, se houvesse algum mínimo filtro. Pense no que é um estrangeiro ter acesso a “Tropa de Elite”, “Central do Brasil”, Bacurau, “Ilha das Flroes” etc.
Infelizmente, o que tem havido é uma chuva de produções asiáticas de qualidade no mínimo questionável.
Outro ponto que tem me frustrado é a falta de cuidado com catálogos parciais. Mr. Robot tem as três primeiras temporadas na Amazon. Tudo bem haver algum atraso entre o lançamento e o streaming, mas após notícias que viria em outubro do ano passado, não houve nenhum pronunciamento. E não é uma série de animações que os episódios se resolvem por si. Creio que nestes casos, algum nível de informação deveria ser disponibilizado.
Parece-me que está havendo um dumping para acabar com as mídias físicas, quando o preço era vantajoso (um box de uma boa série custaria alguns meses de assinatura), e em breve ter qualquer conteúdo, a cada vez que for acessar, vai custar uma grana, num conceito de pagar pelo uso, e provavelmente, pagar caro.

1 curtida

Eu até entendo a remoção de títulos da Netflix e Amazon, um pouco isso é a concorrência, HBO, Disney, Paramont por exemplo possuem serviço semelhastes e acabam não renovando os títulos com a Netflix. A criação de conteúdo própria seria para manter a plataforma viva por assim dizer.

A Netflix anda produzindo muita coisa, mais quantidade não é qualidade, muita coisa duvidosa anda saindo por lá e a um preço alto.

Amazon Prime Video, Disney e Apple TV+ estão ancoradas em megacorporações com uma enormidade de outros negócios, de modo que podem se dar ao luxo de manter serviços sob preço muito baixo por longo tempo, como estratégia de posicionamento e ganho de mercado.

A HBO Max não tem uma megacorp para apoiá-la, mas a HBO mainstream ainda é capaz de segurar várias pontas.

A Netflix se fez no mercado de streaming, é basicamente uma empresa que se sustenta disso, e parece estar sentindo o peso de concorrer com os gigantes econômicos.

A questão dos catálogos causa enorme frustração.
Outro dia fui dar uma revisada na minha lista no Amazon Prime, após uma mudança na interface.
Para minha surpresa, de 1/3 à metade do que não tinha um ano na lista foi removido ou migrou para os canais, boa parte “conteúdo qualificado”, sem qualquer alerta de que iria sair.
Para outra surpresa, o que eu já tinha visto tudo teve novas temporadas adicionadas, e também nenhum aviso.
Eu que sou chato e desconfiado tenho que não é uma falha coincidente: deixa o conteúdo lá para parecer que o catálogo é maior e melhor do que é. E eventualmente, se interessar, indica outro canal para assinatura e/ou um título semelhante.

Sobre preço/conteúdo/catálogo, é algo meio questionável, por uma atuação global.
Não faz o menor sentido Netflix ser mais caro que um pacote de Telecine/Amazon/HBO. Especialmente porque o Telecine sabidamente tem um cuidado de catálogo e lançamentos que tem algum nível de qualidade.

O que vejo é que realmente está havendo uma busca por quantidade em detrimento à qualidade. E, feliz ou infelizmente, pode ser de fato a fórmula mais lucrativa, de forma que quem exige conteúdo vai ter que buscar um outro nicho ou tipo de produto.

PS: só para ilustrar (o que está apagado é porque saiu do catálogo):