Governo BR abrindo cofre público pra Microsoft e desperdiçando dinheiro do contribuinte

Acompanhei este processo. Lembro que a adoção do Linux avançou com relativa celeridade no governo Lula, principalmente na CEF e na Petrobras. Depois, já com a Dilma, a ministra Miriam Belchior, do Planejamento e Gestão, abortou o processo para fechar com a microsoft (isso se deu após uma misteriosa visita do Bill Gates à Dilma). O fato é que, coincidência ou não, pouco mais de um ano depois, estoura o escândalo das revelações do Snowden. Entre elas, da espionagem sobre a Petrobras e sobre a própria presidente Dilma, além da primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel.
Como escreveu Shakespeare: “há mais mistérios entre o céu e a terra do que possa imaginar nossa vã filosofia” :wink:

1 Curtida

Sabem o que é pior, é que isso se repete em empresas privadas e em faculdades privadas.

Minha faculdade tem dezenas de laboratórios com centenas de computadores usando windows, e 99% desses computadores é pra uso básico de word e seria facilmente substituído por um ubuntu da vida, a faculdade economizaria milhares, talvez chegando a casa do milhão de reais em licenças pra microsoft, qual sentido disso?

Na empresa aonde trabalho também, usamos muitas ferramentas de office que daria facilmente pra ser substituídas pra outras de arquitetura aberta, eu realmente não consigo entender pq preferem pagar licença, é uma montanha de dinheiro literalmente jogado fora e olha que vivemos em crise querendo cortar custos de tudo, mas aparentemente ninguém se importa com isso… é muito estranho.

1 Curtida

Para quem está pensando: poxa, mas você quer obrigar essas empresas a instalar outro pacote Office apenas para evitar problemas com documentos recebidos de alguém da esfera pública?

Mas essas empresas não estão forçando o governo a gastar milhões de reais arrecadados de impostos para que seus documentos sejam abertos corretamente no Microsoft Office?

1 Curtida

Interessante!

Bom, trabalho em uma empresa mista e no começo usávamos o LibreOffice, depois veio a compra do Office 365 e a produtividade aumentou muito.

Para o uso doméstico, o Libreoffice atende muito bem, mas para o uso corporativo, ele peca. O Calc não consegue lidar muito bem com macros e muitas linhas de planilha, ele começa a travar.

Já outros softwares, bem, dependem muito. Não adianta só colocar no papel a economia com o preço da licença. Tem que embutir nos custos, o preço de transição, adaptação, manutenção e treinamento. O barato pode sair caro.

Ainda assim, a empresa usa Azure, Office 365, Red Hat, Suse, Oracle, etc. Tudo depende do serviço adotado. Partes da empresa que usam mais documentos e suítes de escritório, não tem jeito, é Windows + Office. Agora se for mais pro lado de desenvolvimento, aí já se usa Linux e outras ferramentas.

1 Curtida

Screenshot_20201012_150720

Mas qual exatamente era o problema com a produtividade, os usuários não terem recebido capacitação para usar a nova ferramenta ou problema de compatibilidade de arquivos ou mais alguma coisa?

Está se referindo a planilhas feitas no Excel abertas no Calc? Deveriam ter sido feitas no formato aberto desde o inicio, ou então migradas.

Se a empresa quer vender para o governo, ela é quem deve se adequar as regras dele, não o governo comprar licenças para depois comprar da empresa.

Até mesmo porque o propósito de planilhas é ser algo simples. Quando o volume de dados fica grande o ideal é migrar para uso de banco de dados. Eu diria que se está devagar para rodar na planilha, é porque não deveria ser um planilha. Inventar um PROCX porque o PROCV está lento é tapar o sol com a peneira. Isso é um problema que só aumenta, até o ponto onde e chefe está mandando vc achar um jeito de tornar o processo mais rápido e então diariamente vc roda “a macro” via acesso remoto no servidor da empresa e exporta o relatório no “drive da rede” pro pessoal conseguir abrir nos computadores com 4G de ram. Acredite, aconteceu comigo…

1 Curtida

Será que usando distribuições Linux e LibreOffice, vão conseguir o mesmo nível de suporte técnico que as soluções Microsoft fornece? Por exemplo aqui no Brasil existem diversas empresas licenciadas pela Microsoft que conseguem dar suporte empresarial as soluções da Microsoft.

1 Curtida

Um problema é que os empresários não enxergam o Open Source como opção de ganhar dinheiro, sem contar que poucos linuxers tem mentalidade empreendedora. Logo não surgem empresas para oferecer esse tipo de suporte.

Então, sem suporte, sem ter como usar, sem contar o lado Web

Achei interessante essa discussão sobre o suporte na suite Office, criei um tópico específico:

1 Curtida

O problema de produtividade é que as pessoas perdiam muito tempo com software travando ou lentidões com a quantidade de dados.

As planilhas foram feitas do zero, muitos eram checklists com várias macros validando campos. Outras a gente criou robôs que buscavam dados em um sistema legado e traziam pra planilha. Aí a gente perdia muito tempo consertando erros, bugs e outros detalhes.

Quando veio o Office365, foi bem mais simples usar os recursos nativos como o VBA ou conexão com o banco de dados para gerar a planilha. As máquinas são simples e o Office roda muito melhor nelas.

Mas até que não era tão complexo assim, o volume de dados não era grande.

Questão de desempenho mesmo, no Windows o desempenho do Libreoffice é razoável. No Linux ele roda melhor.

O uso de planilhas era uma exigência do cliente final.

Mais recentemente, juntando-me e outras pessoas que tinham formação em TI, montamos um sisteminha web em php que gerava automaticamente essas planilhas e outros detalhes. Ao mesmo tempo que ainda usamos planilhas, mas elas são alimentadas e processadas no banco de dados, a planilha é só para o normal do cliente.

1 Curtida

Entendam, essa questão de software ser livre ou não, no fim das contas é mera questão de escolha.

O que importa é ter algo funcionando e com suporte para resolver problemas. Como falei, um software open as vezes, dependendo, pode não ser a melhor opção para alguma empresa.

Às vezes o custo de uma falha de sistema pode ser muito custosa.

E tem o atendimento né, eu acho o pessoal da Microsoft muito prestativo, o time da Azure é fantástico.

2 Curtidas

Como eu disse: enquanto não compreenderem que prestar esse tipo de serviço é viável, o problema com a adoção continuará.

Me chateia bastante os cursos de ferramentas open source se focarem demais nos servidores, linha de comando e soluções que gerem um “alto” retorno financeiro.

Mas no meu caso, apostaria mais no OnlyOffice do que no Libre, pois tem a questão de se manter online.

Eu acho que se quiserem criar alguma concorrência, tem que oferecer uma baita suíte completa.

O Office 365 por exemplo, para empresas, vem com:

  • Email
  • Serviço de armazenamento
  • Pacote de escritório
  • Comunicação interna em tempo real
  • Streaming de video a lá youtube
  • Rede social interna
  • Criador de sites internos básico
  • Automatizador de tarefas
  • Gerenciamento de BI
  • Gerenciamento de notas
  • Gerenciamento de projetos
  • Formulários
  • Criação de apps simples

É muita coisa, ele praticamente abrange tudo que uma empresa precisa.

Por isso que o Google está correndo atrás.

Fico até pensando que não seria uma má ideia, juntar uns apps open-source do Linux e criar uma suíte.
Pode até ser um projeto para as horas livres ou mesmo uma oportunidade de negócio. :thinking: :thinking: :thinking: :thinking:

3 Curtidas

Já pensei exatamente o mesmo, uma verdadeira “suíte”. Certeza que tem gente capacidada para fazer isso, fazer um sistema de integração entre os aplicativos e até visualmente procurar desenvolver sei lá, temas ou ícones que padronizem a suíte.

Algo como o Ryu fez, porém obviamente com mais coisas:

1 Curtida

A questão toda é: Todo governo tem duas despesas e da mesma forma que gastam com tecnologia para defesa eles podem gastar com licenças para escritório, se tem uma demanda e o produto pode resolver com facilidade está pronto.

Essa coisa toda de usar dinheiro de imposto é algo comum, se realmente as pessoas se importassem com algo estariam reclamando de outros auxílios para deputados que tem nem um pouco de nexo o teto.

Não é porque utilizamos linux e programas do mundo Open Source que para o governo ou outras pessoas irá ser viável ou irão gostar.

O mal do usuário Linux é tentar empurrar os gostos pessoais para tudo o que vê, achando que não cogitaram alguma mudança antes.

3 Curtidas

Garanto que tem muita gente reclamando.