Glimpse, fork do projeto GIMP tem desenvolvimento suspenso

Criar um fork de um software não é um trabalho simples, até mesmo fazer pequenas mudanças requer um esforço contínuo. O projeto Glimpse não conseguiu a tração necessária para continuar seu desenvolvimento, ao menos por enquanto.

O que é o projeto Glimpse?

O Glimpse nasceu da necessidade que alguns desenvolvedores, usuários e criadores viram, especialmente em relação à palavra “GIMP”, que dá nome ao famoso manipulador de imagens de código aberto.

GIMP (software) quer dizer “GNU Image Manipulator Program”, e em Português não tem nenhum significado atribuído, mas em Inglês, a palavra “gimp” pode significar algumas coisas diferentes, entre essas coisas, uma “gíria” para se referir a pessoas com algumas incapacitações físicas.

Pensando em uma forma de criar um “re-brand” da marca “GIMP”, visto que o projeto em si nunca se mostrou disposto a mudar, o desenvolvedor Bobby Moss, somado a algumas outras pessoas, começaram o processo de tornar o GIMP, no Glimpse, uma marca que seria mais facilmente aceita no mercado e supostamente não geraria ofensas a nenhum grupo de pessoas em particular.

O projeto começou aos poucos, fazendo um fork do GIMP, mudando a documentação, trocando logos e coisas deste tipo, com o tempo, versões futuras adotaram novos recursos, entre eles, curiosamente, foi incorporado grande parte do projeto PhotoGIMP, criado pelo Diolinux, como é possível de ver na sessão de créditos do Glimpse.

Existiam planos futuros interessantes, incluindo um redesign completo da interface do GIMP/Glimpse, chamado até então de Glimpse-NX.

Um Hiato no desenvolvimento

Hoje, no dia 23 de maio de 2021, Bobby Moss publica um post no blog do projeto Glimpse anunciando que o projeto entra em hiato de desenvolvimento.

Os motivos, segundo Moss, são uma somatória de fatores, sendo que o principal seria a falta de desenvolvedores.

As pessoas envolvidas com o projeto tiveram problemas devido à situação de pandemia e por contas dos problemas de economia, e portando, não estão disponíveis para trabalhar com a mesma intensidade no projeto.

Bobby Moss, como líder do projeto, conta sobre os problemas pessoas que teve, inclusive com seu próprio trabalho sendo um empecilho direto ao projeto.

O futuro nebuloso

Ainda que exista a intenção de continuar o projeto, este hiato não realmente tem uma data para acabar.

Apesar da notícia ruim para os admiradores do projeto, Bobby Moss comenta alguns pontos de sucesso que o projeto teve, mostrando que muitas pessoas com tiveram suas vidas tocadas pela ideia do projeto.

Moss considera os avanços que o Glimpse teve até então, como uma amostra de que existe mercado para um fork do GIMP (ou o próprio), com uma visão mais comercial.

O Glimpse possui sistemas de apoio financeiro, que serão encerrados por hora, segundo Moss, não existe necessidade de mantê-los, pois não haverão custos.

Valores foram doados ao projeto GIMP, e o post no blog do Glimpse também sugere que os interessados, colaborem por hora com o projeto GIMP, tanto financeiramente, quanto com código.

Saiba mais no blog do Glimpse.

13 Curtidas

Considerando que o Glimpse nunca passou (em termos de código) de uma rebranding do GIMP, até se estabelecerem, faria mais sentido o projeto se resumir a um jogo de execuções do sed usando find, assim teriam o GIMP sempre na última versão sem muito esforço e podiam focar no que torna o Glimpse diferente, muito provavelmente o projeto continuaria já que a manutenção nesse caso é mínima

1 Curtida

N estou surpreso.

Bobby Moss deve ter esquecido do GIT, slang para desagradável, bobo, incompetente, mas que faz um sucesso gigantesco… Linus Torvalds e a Microsoft que o digam por exemplo…

Acho que Git quer dizer algo como “cabeça dura”, e querendo ou não, acaba sendo uma ferramenta de um nicho bem menor. GIMP acaba sendo um pouco mais problemático, pensemos que hoje “photoshopped” é um verbo, algo que nunca poderia ocorrer com “gimped” no sentido de edição de imagem, seja pela expressão já existir e significar que você foi “enganado”, o que não é uma associação boa, seja por ter conotação com aquelas roubas de borracha sado/maso, ou ainda com a incapacitação física. O GIMP é um ótimo programa, mas o nome, em inglês, com certeza não se ajuda muito.

Claro, hoje o nome GIMP, já é mais reconhecido como um software para manipular imagens, mas nem todas as pessoas vão fazer essa conotação, um nome como Glimpse, elemina qualquer problema neste tipo, sem necessariamente alterar o software em si, se o GIMP quisesse trocar o nome, eu apoiaria, visto que eu não vejo um grande “downside” numa mudança assim.

4 Curtidas