Ferramentas no mundo acadêmico

Estou escrevendo esse texto por conta de algumas coisas que me ocorreram durante o período letivo e que me incomodaram bastante. Após receber instruções do meu professor de Sociologia II para eu escrever um resumo dos textos e aulas, uma das exigências era de que o texto fosse enviado a ele com um formato proprietário do MS Word, eu fiquei um pouco chateado com isso, porém relevei um pouco já que a instituição dispõe de todo material da MS (Windows e toda a plataforma office) de graça.

Um tempo se passou e um professor meu de Geologia do Brasil me passou um trabalho que precisava usar um programa de georreferenciamento e uma das exigências era do arquivo ser em formato proprietário e o programa é extremamente caro, eles estão disponíveis nos computadores do laboratório mas ficamos limitados ao funcionamento de lá, sem falar que há ocasionalmente aulas nesse espaço, nos mesmos computadores está instalado um programa grátis e open-source mas os professores não usam ele e não ensinam a usar, eu resolvi testá-lo e constatei que algumas coisas não são lidas nele como os projetos, mas os arquivos base (shape, radiometria e alguns outros) abrem com algumas diferenças. Um dia resolvi fazer um trabalho nessa ferramenta gratuita e mesmo sem ler o manual ou ter alguma aula de como usar (coisa que eu tive com a ferramenta paga) eu consegui concluir, outra observação que eu fiz é que ele é muito mais leve e estável.

Creio que se a instituição utilizasse o programa gratuito nas aulas e oferecesse curso da ferramenta paga (o que já faz e é gratuito) ajudaria muito a vida dos alunos, que não dependeriam do espaço físico do laboratório. Sei que as pessoas de outros cursos sofrem também dessa realidade com o Auto CAD, Adobe suíte e entre várias outras ferramentas que não podem utilizar em casa ou preferem outras, esse é só o relato de um estudante de geologia.

2 Curtidas

Sim, isso é uma coisa que realmente me incomoda no mundo acadêmico.

Em engenharia elétrica existe dependência de software proprietário. Softwares como os simuladores de circuitos não tem opção open source viável. Mas a maior problema é o Matlab, os profissionais da área já tem uma cultura tão forte de usar esse software que é muito difícil usar outra coisa. Eu já constatei que dá pra fazer quase tudo que o matlab faz em python, comecei a usar a alguns anos, até fiz duas versões do meu TFG, uma em Matlab e outra em python, para mostrar que dava pra fazer em python, mas não vejo interesse em geral das pessoas por priorizar ferramentas open source.

Outro problema é que nas instituições publicas todo mundo versões piratas desses softwares, então o incentivo para migrar para as opções open source é praticamente zero.

1 Curtida

Cara eu trabalho com georreferenciamento todos os dias, vai no QGIS. É livre, grátis e você encontra toneladas de tutoriais na internet.
Se seu professor utiliza arc gis pode ir no qgis que ele representa massa.

2 Curtidas

Justamente, eu to usando o QGIS e os professores ensinam só em arcGIS

mas relaxa que as ferramentas são parecidas e vc vai se dar bem. Tem até mais tutorial sobre qgis que arc na internet

Já percebi isso, dei uma olhada já no manual e aprendi a fazer umas coisas bem legais que eu ja fazia antes

Eu que sou da área de TI já tenho problemas com essas coisas na faculdade, imagine as outras áreas.

Minha irmã é engenheira civil e uma vez coloquei o linux mint no notebook velho que ela tinha e o desempenho aumentou 200% e ela adorou, mas teve que voltar pro windows por causa do curso dela, era basicamente obrigada a usar alguns programas que só tinha pra windows e os semelhantes do linux sempre tinham alguma coisinha que dava incompatibilidade.