Explicação:Porque o Linux não tem programa crackeado(Pirateado)

Todos sabemos que o Windows tem programa original,mas muitos esquecem que esse programa original do Windows vem com Serial-Number(Número de série no inglês),o Serial Number serve para verificar se o programa original foi comprado por você,ou seja que você é o dono do programa original,e não pode passar o serial para ninguém pelo que eu saiba,pois senão será pirataria,os crackers,burlam esse sistema e copiam a pasta do programa original para uma pasta crack(acho que é assim que se escreve),O Linux eliminou esse conceito tirando a parte que tem que digitar o serial number no programa,assim não existe programa pirata(Crackeado no Linux),Só executáveis do Windows no Wine.Espero ter esclarecido.

Não é comum, até por uma questão de princípios filosóficos dos sistemas Linux, bem como de seus usuários, mas, já vi sim aplicações comerciais para Linux pirateadas como Cedega e jogos sem DRM do GOG .

2 Curtidas

Ainda tem esse cedega?Mas os programas livres do Linux não são pirateados pelo que sei.

Porque piratear programa livre faz tanto sentido quanto piratear qualquer outro programa 100% gratuito. A pirataria não vai melhorar em nada a experiência do usuário final (já é possível usar sem autenticar, compartilhar livremente a cópia, etc.) e só vai ser uma potencial fonte de programa bichado.

Como notou o @TiagoCardoso, há sim programas pirateados no Linux. Há vazamento de jogos DRM-free da GOG/Itch.io. Há cracks (no sentido clássico) da Steam.

A vantagem do Linux nesse sentido é te “obrigar” a usar programas livres. Comprar um computador qualquer na loja (licença do Windows sendo praticamente um imposto, infelizmente) e usar apenas ports de GIMP, Shotcut, LibreOffice/OnlyOffice também vai te poupar de ter de escolher entre arriscar cracks bichados ou pagar a licença.

2 Curtidas

Eu não estou dizendo que uso programa pirata,estou dizendo que programa livre não tem crack ou tem?

Mas esse programa não é livre é comercial,e comercial pelo que sei tem que pagar.

Foi o que eu disse, não é comum, mas, há pirataria no Linux entre sua gama de softwares comerciais, até porque como mencionado pelo @Capezotte piratear os softwares livres não faria sentido na medida em que já são em si livres.

3 Curtidas

Esse aqui também era “significativamente” pirateado:

Né bem assim não, os devs optaram por não colocar, o linux nada tem a ver com isso

Existe, mas no geral os linuxers compram os programas

Existem vários, programas pra linux que pedem serial, assim como existem programas piratas, só são raros

1 Curtida

A SoftMaker por exemplo tem sua suíte office gratuita que é o FreeOffice (que ainda que gratuita requer uma inscrição e o envio de uma chave de ativação por e-mail em até 5 dias ou os softwares ficam bloqueados):


E tem sua suíte office comercial/paga que também requer uma chave de ativação:

Existe pouca pirataria no GNU/Linux pelo simples fato de existir menor uso de software proprietário. Se a utilização de produtos comerciais fosse frequente, a pirataria iria ocorrer com mais força, tal como ocorre no Windows…

2 Curtidas