Estou gravando eu migrando do Windows pro Linux

Começar com o Linux entre Windows e MacOS, é que nem pegar o Bulbassauro no pokémon, é algo que em alguns pontos e fácil, outros é difícil, e você nunca tentou porque junto com toda a torcida do Flamengo tava brincando com o Charmander e o Gary ricão com a tartaruga do tio Jobs.

Eu já tentei uma vez e acabei tendo problemas sérios com o Mint, então a ideia de colocar o Linux na minha máquina principal é um pouco assustadora. Então só tinha uma coisa a fazer:

Eu decidi documentar o processo em vídeo e com memes

Esse vídeo é mais eu testando as águas, mas se vocês verem algum erro ou se eu estou falando besteira, por favor me corrijam, eu quero muito aprender.

8 curtidas

Seja bem vindo, eu achei fofo <3
A comunidade aqui é maravilhosa

Linux é escolher o Squirtle e eu posso provar, brincadeiras a parte, bacana cara

1 curtida

Parabéns pela insistência, tomara que tenha uma boa experiência dessa vez!

Eu aprendi muito sobre SOs e programação depois que comecei a usar uma distro Linux como sistema principal, felizão aqui no Kubuntu.

Só uma dica, faça a migração aos poucos. Pelo menos no meu caso, comecei a utilizar quase todos os programas open source já no Windows, o que tornou o processo de transição bem mais fácil e reduziu a curva de aprendizagem, de resto você aprende aos poucos.

Acho que a maior dificuldade dos usuários Windows é que ele tem uma lógica diferente dos sistemas Unix ou Unix-like (basicamente, todos os outros).
Tenha paciência. Com pouco tempo, salvo por alguma demanda específica de jogo ou trabalho, você pode ter um sistema mais rápido, robusto e não gastar com isto.

Okay, não sei como responder várias pessoas aqui kkk se der algum erro perdão

@elmagogabriel Owwwn, pois é. Ter encontrado a comunidade aqui foi a única razão de eu tentar algo assim. O reddit ajuda bastante, mas meu último problema com linux que era bem simples eu só recebi dois “muda de distro” kk

@Natanael.755 – Agora quero provas aushaush

@Jota_B Vamos torcer, eu já to levando umas paredadas na cara kkk

O meu plano era ficar uma semana sem Linux mas alguns programas eu já não to botando muita fé de rodar, vamos ver como fica. Se duvidar vou ter que mudar a grub hoje pra detectar o windows. Eu já uso muitos open sources, mas dois que não são não existe alternativa confortável.

Eu to rindo mesmo é que um dos open sources que eu mais uso (o share X) é exclusivo pra windows.

@josebarbosa Olha, de um ponto semi-leigo eu não tenho tanta certeza se ser Unix ou não importa nos dias de hoje, no ponto de vista do usuário. Pastas e acesso a webapps são a mesma coisa e um grande avanço para uma experiência de parecer um “windows com tema diferente”.

10 anos atrás a maior estranheza que eu e todo mundo ao meu redor tinha do Ubuntu não era nem as barras em outros lados da tela, mas baixar as coisas numa loja. Hoje com a popularidade de smartphones, nem isso é um problema mais.

O meu maior bloqueio imediato nas primeiras horas de instalação é apenas a falta de programas, nem todos estão ali, alguns por realmente não ter, outros até tem, mas só se você for na loja e se virar com o terminal com um monte de sudos, que ao menos pro usuário comum, é tão perigoso de quebrar o sistema acidentalmente (ou por malicia de uma empresa desconhecida) quanto os .exes da vida.

Mas assim, isso é eu não sabendo muito, fico feliz com correções.

1 curtida

Em geral, eu me dou bem com os sistemas, mas alguma ferramenta corporativa dá pau.
Eu ainda tneho alguns problemas para certos tipos de conexão a serviços. Em compensação, noutros que dão problema (como o emulador do SIAFI e certificados digitais), o interesse de usar o software aberto me deu um aprendizado gigantesco sobre questões que vão muito além de ser um simples usuário comum, que noutra situação, dificilmente leria páginas de documentação. E servem de suporte para outros sistemas. Por exemplo, quando um certificado dá pau numa máquina Mac OS, há comportamentos e procedimentos diferentes a depender do navegador instalado.
Aí vamos naqueles casos que muitas vezes o vício em determinadas ferramentas te impede de ter uma cabeça um pouco mais produtiva/criativa. Só de ter de conviver com dois SOs diferentes e alguma cartela de aplicativos distinta já faz sua mente dar alguns passos à frente.

Me inscrevi para acompanhar a saga.

Desculpa, não resisti.

Usuários novos: veêm um Terminal

Usuários experientes:

“Relaxa tá gente? Isso é café, não tiro.”

2 curtidas

Kkkkk pior que quando eu estava assistindo o vídeo eu pensei: Véi isso não é café mais nem fudendo kkkkkk é tiro

1 curtida

Eu não entendi muito bem o “mas só se você for na loja e se virar com o terminal com um monte de sudos”. O próprio frontend está recomendando o usuário a utilizar linha de comando?

@TiagoCardoso Cara valeu, eu já gravei umas coisas pra dois vídeos na maquina principal, vamos ver se consigo editar essa semana.

@Aghbi uahsaushaushaushaush

@YugiMoto Eu juro que é o café da vizinha caindo no telhado, faz um baita eco aushaush

@knimer Não, a loja não está recomendando não. Mas a falta de alguns programas específicos faz você ter que sair do ambiente seguro da loja, e ir nos sites pegar uns códigos para baixar o programa.

Mesmo se o site for seguro, adiciona uma margem de erro muito grande para o usuário comum ou novato.

1 curtida

Fedora silverblue está cada vez melhor para usuários leigos
Fedora silverblue kinoite 35 promete trazer o kde oficialmente para o fedora silverblue

Eu nunca ouvi falar dessa flavor do Fedora, o que ela tem de diferente das outras distros pra ser melhor com os leigos?

A cara para mim sistema para iniciante é aquele que tem muito tutorial na internet.
Acho que nenhuma ganha da família Debian em tutorial.

O Ubuntu tem muitos usuários então se os dev for disponibilizar só para uma distro eles vão acabar indo no Ubuntu.
E serviu no Ubuntu é quase certo que serve para a família Debian inteira.
Um dia o Slackjeff comento em video sobre um software de banco que tinha para a família Debian e não tinha para o Slackware.

Então, me sugeriram nos comentários o OpenSuse, que é algo que sempre quis testar desde que vi o Regata.

O problema é que o programa que eu vou usar só tem suporte pro Ubuntu e olha lá, então vou ter que ficar ao redor do debian mesmo.

@AleMunin E você tem vontade de aprender a usar o terminal?
A informação é no terminal porque existe muitas distribuições e o que elas tem em comum é o terminal ele é tipo universal nas distribuição diferente de manipular o sistema pela interface que elas são distintas.

https://wiki.winehq.org/Download
Instalar a versão em desenvolvimento tera mais recurso de compatibilidade.

https://appdb.winehq.org/
O banco de dados dos software que roda através do Wine.

Wikipedia sobre o Wine.

Não precisa de licença para usar o Wine ele é software livre.
E o Wine não usa nenhuma linha de código proprietário da Microsoft o que significa que a Microsoft não ganha o Wine em processo judicial.

A Microsoft disponibiliza o PowerShell para o Linux caso você saiba usar o PowerShell você sabe usar o terminal do Linux basta instalar o PowerShell e iniciar o PowerShell no terminal.
Para instalar o PowerShell acesse o site da Microsoft e siga os passos do site.
Mais eu não sei qual a licença do uso do PowerShell para Linux.

Sistema imutável
Pesquisa na Internet que vai te aparecer montes de informação
Aconselho o site do Renato
Fast os

E você tem vontade de aprender a usar o terminal?

Cara, Sim e não.

Sim porque eu quero muito mudar pro linux e se alguns comandos for o custo pra ter uma experiência decente nele, ao menos por enquanto enquanto a minha paciência está grande, eu quero tentar.

Por outro lado, todos os lugares em que eu vejo falarem de como o linux mudou nos últimos 13 anos, como o Linux tem distribuições mais amigáveis, como você nem precisa do terminal mais a não ser que queira eficiência… me faz ter uma impressão de que ou isso foi uma propaganda bem insincera, ou vem de pessoas tão acostumadas com o sistema que nem notam quando abrem o terminal.

Eu sei que parece uma cena, mas é algo que me faz pensar o quão mais eu teria que sacrificar de tempo só pra fazer o meu trabalho ou meu lazer funcionar, e eu falo isso porque enquanto eu estou disposto a tentar, todas aquelas pessoas em que eu pensei que se dariam bem com o Linux contanto que não tivessem que lidar com isso definitivamente não usariam uma distribuição que do contrário, seria perfeitamente boa para elas =/

Tudo depende. Depende da distribuição, do que você precisa fazer, de como a comunidade que você interage faz recomendações, da documentação que você pode ter acessado, depende de muita coisa. No mundo baseado em Debian, eu acho difícil fugir da linha de comando, em algum momento, ela vai cair no colo do usuário, a menos que o usuário seja básico, navegador + software para uso em escritório.

Realmente, para muitos de nós, o terminal é “segunda natureza”. Os comandos são objetivos em geral (vários deles possuem menos de quatro letras), a documentação é abundante (dependendo do caso, tem até manual em hipertexto direto do terminal) e, depois que você aprende a fazer alguns “bashismos”, como laços de repetição, usar linha de comando se torna a escolha mais fácil, por exemplo, eu posso fazer conversões de fotografias ou imagens em lote usando o XnView MP, mas estou mais acostumado a usar o ImageMagick, então simplesmente abro um terminal e “faço a mágica”.

Minha recomendação é: a primeira etapa da migração é a seleção da distribuição. A segunda é a disponibilidade de aplicativos. A terceira é a interoperabilidade.

3 curtidas