DNFDragora: o "Synaptic" do Fedora

Confira o post completo no blog: https://diolinux.com.br/2020/07/dnfdragora-o-synaptic-do-fedora.html

Gerencie softwares no Fedora com um software simples e poderoso. O DNFDragora pode ser um grande facilitador, mas cuidado para o “feitiço não virar contra o feiticeiro”.

1 Curtida

Show de bola está ferramenta, estou usando o FEDORA a 3 meses e não conhecia ela. Parabéns conteúdo nota :100:

1 Curtida

Gosto muito do dnf, mas o dnfdragora, especificamente, está precisando de uma boa atualização. Ele é muito mais lento que a linha de comando.

1 Curtida

Depois de 8 anos usando Synaptic em distros baseadas no Debian (Debian, Kubuntu, Mint, KDE Neon), comecei a investir em outras distros, “não-Debian”, e acabei optando por usar nelas, quase sempre, a linha de comando ─ dnf, urpmi, pacman, zypper, equo, xbps.

De todas as principais distros “não-Debian”, o melhor gerenciador gráfico de pacotes é o YaST2, mas mesmo ele, acabei deixando de lado, para usar sempre o zypper.

Como complemento, uso o rpm para pesquisar no Fedora, Mageia, PCLinuxOS. ─ Por exemplo, rpm -qa --last, para listar todos os pacotes instalados, do mais recente para o mais antigo. ─ E outras pesquisas, também.

No Arch, costumo instalar o pcurses, que oferece muitas facilidades para “ver” o que existe nos repositórios, quais as dependências de cada pacote etc. ─ Mas na hora de instalar, volto ao pacman.

A grande exceção, são as distros baseadas no Debian. ─ Nelas, uso o apt update para “ver” as atualizações propostas ─ mas depois uso o Synaptic para aplicar as atualizações ─ ou o mintUpdate, que é um aplicativo específico do Mint, usando pedaços do Synaptic (o histórico fica visível no Synaptic).

E a outra grande exceção é o PCLinuxOS, fork do antigo Mandrake (antes de virar Mandriva), onde também uso o Synaptic, embora seus pacotes sejam rpm.

Fiquei curioso, fui pesquisar, e descobri que o Synaptic foi criado por desenvolvedores brasileiros, vários deles ex-funcionários do Banco do Brasil, que desenvolviam o Conectiva (fork do Red Hat, paralelo ao Mandrake, e que depois foi incorporado a ele, dando origem ao nome Mandriva).

Na verdade, eles criaram o APT-RPM ─ e o Synaptic era o aplicativo GUI do APT-RPM.

Não é porque o Synaptic “nasceu” no Brasil que gosto dele. Gosto do Synaptic desde muito antes de descobrir isso. Não existe nenhum outro gerenciador GUI de pacotes que ofereça tanto poder e tamanha transparência ao usuário. ─ É a “funcionalidade” e a “praticidade” levadas ao ápice, sem se deixar embaraçar por enfeites.

“Lojinhas” multicoloridas, nunca me convenceram. São uma das primeiras coisas que desativo ou removo, em qualquer distro.

Me lembram aquela “armadilha” que as antigas “vendas” faziam ─ e que agora as padarias aperfeiçoaram: ─ Mostruários multi-coloridos, abaixo do balcão, bem ao nível do olhar das crianças, para que elas “obriguem” os pais a comprarem guloseimas. São a máquina do consumo manipulando o que as pessoas “devem” fazer.

EDIT - Conforme correção do Xterminator, a seguir.

1 Curtida

Estou usando o Fedora num note antigo com xfce4 e acho que o dnfdragora lento para atualizar e instalar. Não sei se são as mirror, mas ele demora muito tempo só verificando mirror. Via comando é bem rápido.

1 Curtida

Só para constar, o Conectiva nunca foi um fork do Mandrake, caso queira corrigir a informação, depois deleto a postagem :wink:

conectivaconectiva2

1 Curtida

Obrigado por corrigir.

Por favor, não apague.

Verdade. Mandrade e Conectiva, ambos eram forks (paralelos) do Red Hat.

Coisas do cansaço, ao final do dia. Grato. Não apague.

1 Curtida

Desconhecia.

@frc_kde Seu comentário ficou muito bom, por este motivo fiz a observação.
Inicialmente o Conectiva era um Red Hat em Pt_BR e o Mandrake em Francês, elas se destacaram a princípio por trazerem o KDE no CD coisa que o Red Hat só foi fazer muitos anos depois por causa da licenca do Qt, o Conectiva só largou o nome Red Hat se não me engano na versão 3.0 (inclusive a primeira que usei cd na Revista PC Master) quando eles começaram a colocar coisas diferentes.

Pode deixar que não apagarei o post, tenha um bom final de semana e se puder descanse kkkk.

1 Curtida

Tem algum comando para ver as dependências de um pacote no Pacman?

Existem alguns parâmetros para isso:

-Q, --query
Query the package database. This operation allows you to view installed packages and their files, as well as meta-information about individual packages (dependencies, conflicts, install date, build date, size). This can be run against the local package database or can be used on individual package files. In the first case, if no package names are provided in the command line, all installed packages will be queried. Additionally, various filters can be applied on the package list. See Query Options below.

-T, --deptest
Check dependencies; this is useful in scripts such as makepkg to check installed packages. This operation will check each dependency specified and return a list of dependencies that are not currently satisfied on the system. This operation accepts no other options. Example usage: pacman -T qt “bash>=3.2”.

Cada um desses parâmetros admite vários outros parâmetros ainda mais específicos.

Não uso muito o pacman para pesquisar, pois nesse caso o pcurses é muito mais cômodo e confortável:

Depois que já pesquisei e conferi tudo que queria saber, prefiro voltar ao pacman para instalar.

Realmente ele é meio lento. Para carregar e recarregar depois de fazer algo nele.
Mas é uma ótima ferramenta… Como diz a matéria é uma ferramenta muito poderosa.
Mas que é lenta, sim ela é lenta.