Distribuição GNU Linux-libre

A distribuição GNU Linux-libre lançou recentemente uma nova versão. Acho que já passei dessa fase de distro hopper (assim que fala?), mas fiquei curioso em saber se uma versão sem nenhum software proprietário, nem mesmo algo proprietário no kernel, tem alguma chance de ser utilizável. Apesar de ser super a favor do software livre, infelizmente não vivemos em um mundo ideal. Portanto, às vezes é necessário render-se ao dito software proprietário para ter uma máquina funcional. Gostaria da opinião de vocês. Eu, por minha vez, vou testá-la em uma máquina virtual para ver o que é que há com essa distro. Aliás, eu ia postar um link aqui da notícia que vi no sempreupdate, mas não tinha certeza se essa prática é permitida. Grande abraço à todos.

1 curtida

Acho que dei manota. Essa tal versão recente parece que é um padrão da GNU para as distribuições que utilizam só SL. Se foi o caso, me perdoem. Abraços.

Esse é o padrão das distros chanceladas pela Free Software Foundation. O Trisquel é uma das mais conhecidas, mas há várias (o Heads, por exemplo, é uma versão FSF do conhecido Tails).

Desconheço se funcionam em máquinas reais; acredito que em notebooks devem ter problemas sérios para reconhecer dispositivos como o wifi e o bluetooth pela falta dos drivers proprietários.

1 curtida

O bom software é aquele que funciona, não importa se é livre ou proprietário.
Não é como se todo e qualquer software proprietário fosse um spyware.

Sei de alguns laptops que funcionam totalmente com ele – não é à toa que Thinkpads lançados entre 2005 e 2011 são a marca registrada de fanáticos do software livre, é possível rodar kernel sem firmware proprietário, usar uma BIOS aberta e ainda ter o hardware funcional.

Porém, poucas máquinas dos últimos 10-12 anos sequer conseguem resoluções maiores que 800x600 nessa distribuições, a maioria dos PC atuais precisa que o sistema carregue firmware/microcódigo fechado, ainda que os drivers sejam de código aberto.

1 curtida

vc pensou certíssimo. a chance de dar certo é um tanto remota. então n exagerar no idealismo. seja prático.