[Curiosidade] Tags nativas no Dolphin

@ryu_ketsueki e @lfmoreno testei o que vocês indicaram, mas também não deu certo.

Como eu tinha vontade de testar o OpenSuse Tumbleweed, acabei instalado ele.

De qualquer forma, eu agradeço toda a ajuda e boa vontade de vocês.

Um abraço.

Alguém sabe me responder se no KDE Neon funciona? No Kubuntu não está funcionando…

Se o Baloo File Indexer estiver desativado, não vai funcionar. Ele depende do File Indexer para adicionar tags.

2 curtidas

Acho que não basta instalar o Dolphin. – Você vai precisar de uma penca de pacotes do KDE Plasma, incluindo Baloo, Akonadi, e talvez mais alguma coisa. – São dezenas de pacotes. – Alguns já vêm automaticamente, como dependências obrigatórias do Dolphin. – Outros, talvez você precise adicionar manualmente, depois.

Em resumo: – Você vai ficar com Cinnamon + boa parte do KDE – e o uso de recursos vai aumentar bastante.

Só tenho experiência com “o contrário” – eliminar o PIM do meu KDE. – Eis algumas anotações de quando fiz isso, em 2016 – principalmente o subtítulo “Mint 17.3 Cinnamon”. – E aqui, anotações das dezenas de pacotes que tive de remover, para limpar o Cinnamon… CTRL+F “Mint” (sem as aspas), para encontrar.

(Hoje, não faço mais isso no KDE. – Apenas desabilito a indexação do Baloo, e às vezes removo alguns KDE Apps que não uso. – E nunca mais instalei Mint Cinnamon).

A única outra experiência que fiz com Cinnamon, foi em sessão Live do LMDE: – Instalei o Dolphin (28 pacotes) e mais alguns recursos dele (pré-visualizações); mas não instalei nada relacionado às Tags, indexação etc. – CTRL+F “99 •” (sem as aspas) para ver essa parte do Live LMDE Cinnamon.

Experiências de instalar o KDE completo – e o que ficava faltando – para depois eliminar o Cinnamon ou o Xfce:

(Nesses 3 casos, também não me interessei em instalar os pacotes de Tag, indexação)

Não, necessariamente. – No Arch Linux, em que não instalei os pacotes relacionados com Tags, não aparece a seção “Etiquetas”:

O caminho mais simples é pelo KDE System Settings:

Marcar (habilitar) “File Search”:

(e em seguida, configurar quais partições deseja indexar, no grande “quadro negro” logo abaixo. – Quanto mais partições, pastas, arquivos etc., mais tempo irá demorar a indexação inicial – e mais recursos utilizará daí por diante)

Em seguida, é bom verificar quais Buscas deseja ativar / desativar no Plasma Search. – No meu caso, desativo muitas coisas que não uso:

Um modo prático de lidar com Tags, Comments, Ratings, é exibir o Painel Informações (F11), à direita – e configurar o que você quer que seja exibido:

Passando um tempo usando apenas KDE Plasma, quando as ferramentas do Plasma funcionam, elas funcionam bem. No meu caso, eu passei a deixar o Akonadi e Baloo ativado por um tempo e percebi algumas coisas.

Primeiro, o Dolphin é esperto o suficiente para trabalhar tanto com quanto sem o File Indexer do Baloo. Quando os arquivos estão indexados, leva um segundo no máximo para mostrar os resultados de uma pesquisa. Quando não estão indexados, nem aparecem na pesquisa. Isso pode ser um problema com drives removíveis ou partições separadas, já que precisaria configurar o baloo para indexar essas toda vez, o que pode levar um tempo.

Com o Baloo desativado, a função de pesquisa do Dolphin continua funcionando e busca os arquivos (incluindo o conteúdo deles) em tempo real, o que aumenta o tempo de pesquisa um pouco mas não chega a ser lento, pelo menos no meu caso. Se tiver muitos subdiretórios, aí pode deixar pesquisando por um minuto mas apenas em casos extremos. O Dolphin não tem uma barra de progresso mostrando quanto falta de busca ou algo do tipo, infelizmente. Mas também significa que nunca precisei usar o KFind our Krusader para achar um arquivo que precisava. O Dolphin sozinho já deu conta do recado.

Eu só gostaria que o Dolphin pudesse usar ambos, o File Indexer e a função de pesquisa própria dele, ao invéz de ter de escolher um ao outro. Ter Tags é bem útil e essa pesquisa quase instantânea poupa muito tempo.

Tudo isso eu digo em um KDE Plasma 100% funcional, em uma distro que sabe bem como configurar o Plasma. Eu tive muitos bugs no Archlinux e Manjaro que nunca tive com o openSUSE, pelo menos relacionado ao Baloo e Akonadi.

Sobre esse último, ativei para ver como o Kalendar funciona, já que essa aplicação é bem nova e não faz parte da suíte Kontact, que tem o KAddressBook, KOrganizer e KMail. Novamente, quando configurado corretamente, ele funciona como deveria. Coloquei atividades no calendário e foi sincronizado com o meu Google Calendar instantâneamente, e o oposto também funciona.

1 curtida

Já fiz alguns testes, numa partição de 1 TB com 640 mil arquivos, e é raro a busca passar de 1 minuto, por string em nome-de-arquivo – embora eu mantenha desabilitada a indexação.

Anotei isso num outro tópico aqui no Forum:

Sei em quais pastas e sub-pastas se encontra cada tipo de arquivo – muitos deles, com as datas e horas também nos nomes – e acrescento algum sufixo relevante, por exemplo, “Esplanada”, “Catedral”, “Metro”, “GParted”, “Grub”, “Cachórros”, “Cajueiro” etc.

Pelo Dolphin, em poucos segundos encontro tudo que se refira a uma distro, ou a um local do DF, ou “Machado de Assis” etc. – procurando na partição / pasta onde sei que está, conforme seja anterior ou posterior a 2020, e assim por diante.

Em poucos casos de dúvida, faço a busca em “Depot1”, onde sei que existe cópia de tudo que existe nas outras partições. – O Dolphin raramente demora mais de 60 segundos para encontrar todos os arquivos com aquela string no nome – apesar de eu ter desabilitado a tal da “indexação” (baloo_file, acho).

A busca pelo conteúdo dos arquivos – por exemplo, “sysv” dentro de todos os TXT’s, mesmo misturados com milhares de JPG’s – também é muito rápida, pelo Dolphin.

Em casos ainda mais raros, uso o KFind para uma busca avançada, envolvendo “nome” “faixa de tempo”, “proprietário dos arquivos” etc. – e isso dificilmente leva mais de 1 minuto, mesmo entre os 640 mil arquivos em “Depot1”.

1 minuto parece muito, mas são buscas que faço muito raramente. – O mais comum, é procurar um título ou autor na pasta Books_Inbox, ou uma captura na pasta PrtScn, ou algum assunto na pasta Byteria – e nesses casos é super rápido.

Assim, o que eu disse foi da minha experiência. Eu usei o caso de pesquisar por textos em específico dentro de dezenas de jsons dentro de subdiretórios em subdiretórios. Alguns resultados aparecem mas é deixar rodando por um tempo para ver mais deles aparecerem. Dizer que foi um minuto foi exagero da minha parte mas realmente não é questão de segundos para aparecer tudo de uma vez só. Aparece aos poucos.

Estão todos em um HD mecânico com um Intel Core i3 como processador. Não é nada de outro mundo. Talvez seja mais rápido se for em um SSD ou com um processador mais potente

1 curtida

O Dolphin indica quando a busca “terminou”.

Não é exagero nenhum. – Dependendo da busca, pode demorar vários minutos – principalmente em HDD mecânico com centenas de milhares de arquivos.

Dois exemplos em uma partição com 646 mil arquivos em 21,8 mil sub-pastas, totalizando 547 GiB:

a) Busca por “garden” no nome-de-arquivo demorou das 15-55-23 até 15-56-13 = 50 segundos. – Observe o indicador enquanto estava procurando:

b) Busca por “jardim” no Conteúdo de 646 mil arquivos (TXTs, DOCs, ODT, ODS, JPG, PNG, PDF, ePuB, imagens ISO…) demorou de 16-05-05 até 16-09-03 = quase 4 minutos – até cessar o indicador de que estava procurando:

Apenas, eu não faço isso.

Meus Livros estão numa pasta, as Músicas em outra pasta, Capturas de tela em outra pasta, Fotos digitais em outras 2 pastas (antes & depois de Janeiro2020) – e assim por diante. – Não preciso ficar fazendo buscas por Conteúdo em 646 mil arquivos.

c) Nunca utilizo o Dolphin para fazer buscas na partição-raiz – pois em geral não será capaz de encontrar as coisas que existem – e vai perder horas, procurando em dezenas de links dinâmicos (de um lugar para outro), repetidamente… além de examinar as partições-raiz de outras 11 distros, 12 partições /home, e 2 vezes nas partições que têm Backup em Depot1.

d) Para buscas na partição-raiz, é melhor utilizar comandos – com su ou sudo – por exemplo whereis (entre outros).

e) Na maioria das vezes, uso o Filtro (CTRL+I) – por exemplo, entre 5 mil arquivos que vou baixando na pasta Books, e ainda não movi para as subpastas (ou para outros lugares). – É instantâneo:

E… Não… Não demorou 4 minutos… É que fiz várias coisas nesse meio tempo :rofl:

Acho que eu não me atentei para esse detalhe então.

As pesquisas que eu fiz foram em pastas específicas e tem no máximo uns dez subdiretórios e apenas com jsons, o que pode ter otimizado a pesquisa no meu caso então.

Faz sentido, afinal o usuário não tem acesso a tudo sem restrição. Eu também não encontrei alguma situação que precisei fazer uma pesquisa na partição raíz. Acho que, na maioria das vezes, eu só mexia em algo no /usr/share ou no /usr/bin. Meu sistema é tão estável que tem um ano e meio que estou com essa instalação. Isso em um sistema rolling release. Acho que o OpenQA funciona mesmo.

Aliás, já que estamos partilhando imagens de desktop, aqui vai um meu. Ah e… sem Latte Dock


E se Light Theme te incomoda, ao apertar de um botão…

Agora eu vi o indício de quando a pesquisa termina. Bobeira minha.

1 curtida

Eu acho que algum momento enquanto eu utilizava o Mint Cinnamon eu tentei instalar o Dolphin sem instalar esse tanto de pacote aí. Preciso nem falar que deu ruim, né. :joy:

Mas de qualquer forma, hoje em dia utilizo o Ubuntu com Gnome e meio que tô cansada de fazer experimentos no sistema. Hj só aceito o que já vem pronto mesmo e faço pouquíssimas alterações.

De qualquer forma, obrigada pelas dicas.

1 curtida

Este tópico foi fechado automaticamente 365 dias depois da última resposta. Novas respostas não são mais permitidas.