Compartilhando HD/SSD em dual boot

Saudações!

Bom, hoje eu tenho 1 SSD Wd green com Windows 10 e um HD de 1TB pra salvar arquivos e jogos. To querendo fazer dual boot com Linux Mint há algum tempo usando metade desse SSD, e pra nao ter a dor de cabeça de dividir o HD (q ja está particionado de uma forma horrível), comprei um SSD de 480GB SATA (WD Blue com DRAM, pra salvar jogos e arquivos). Aí o HD ficaria para jogos e arquivos do W10 e o SSD para os do Linux até eu resolver se migro de vez ou fico no W10.

As dúvidas são:

  1. Com sistemas de partições totalmente diferentes, consigo acessar o HD e o SSD secundário (de 480GB) em ambos os sistemas?
  2. Tenho q deixar ambos em NFTS?
  3. Consigo instalar jogos da Steam no Linux em um disco NFTS, e passar os jogos da pasta do W10 pro Linux? (pra nao ter q baixar de novo kkkkk)
  4. É possível manejar arquivos num S.O. e ver em outro?

Tentei ver outros tópicos, mas acho q minhas dúvidas tão um pouco específicas demais…

Valeu!

Olá! tudo bem?

Eu usei dual boot por um bom tempo (em um mesmo ssd de 120gb e um HD sem sistema de 500 Gb) na minha máquina principal, com Ubuntu 18.04 e Windows 7, então vou tentar compartilhar um pouco da minha experiência e responder as suas perguntas:

Eu nunca tive problema para acessar o HD que eu tinha, já os aquivos do sistema é um pouco mais complicado, do linux para windows dá para acessar, mas de windows para linux eu encontrava problemas, sendo mais fácil manter os arquivos no hd em um formato que tanto o windows quanto o linux entendiam (mas o mais importante é o windows entender, pq o linux funciona bem no geral)

Eu não recomendaria deixar o ssd do linux em NFTS, já o hd não importa tanto, FAT32 ou NFTS o linux vai entender os dois, mas o windows n se dá bem com ext4 (pelo menos o 7 que eu usava)

Isso eu já não sei responder, mas eu não compartilhava nenhuma coisa entre meus jogos, o máximo era passar um mundo de minecraft de um sistema para outro akskask

Sim, mas recomendo salvar no HD que não tenha sistema operacional instalado, pois o windows não gosta de conversar com o sistema de arquivos do linux (ou talvez o explorer não sei)

É isso, no final o importante é: Windows não conversa muito bem com linux, mas linux conversa sim com windows. Então se você montar o sistema pensando nisso, dá tudo certo.
Qualquer dúvida estou a disposição!

2 curtidas

Faz que nem eu instala o drive winbtrfs para acessar em ambos sistemas, no caso se vc optar pelo btrfs.

Talls, respira, jovem. O menino é novo, tá com dúvida básica. Vamos por partes pra não assustar kkk

2 curtidas

@JG22 kkkkkkkkkkkk valeu saushuahsa
pior q a migração ta sendo uma experiência bem maluca, 20 anos usando Windows, sabendo quase tudo e agora to indo pra um sistema q n sei nada kakakaka mas faz parte!

@Mr.Tobaias Opa, valeu demais!
Acho q entendi!

Então posso fazer assim?:
SSD 240GB: Metade NFTS S.O. Windows 10, metade ext4 pro S.O. Linux
HD 1TB: NFTS, arquivos e jogos usados no Windows (até decidir com que sistema uso de “daily driver”)
SSD 500GB: NFTS, arquivos e jogos do Linux. Mesmo sendo NFTS o Linux reconhece bem e da pra instalar programas e jogos normal, certo? No caso, o /home seria aqui tb, certo?

Acho que deu pra entender certinho sim!

Só um detalhe: as distros Linux não conseguem montar a home em partições NTFS. Precisa ser ext4, xfs ou outros formatos nativos do Linux. Mas vc pode criar “atalhos” das partições NTFS no gerenciador de arquivos ao montá-los automaticamente no boot

2 curtidas

@Rodrigo_Chile
Entendi!
Nesse caso, eu posso deixar o /home no SSD principal msm, e o disco NFTS pra instalar os jogos e arquivos numa boa, sem precisar configurar nada no boot?

Mesmo não ficando com o /home, eu colocaria tudo no SSD secundário e aí o /home ficaria com o q o sistema determinar e eu não puder mudar.

Dá certo? (Não sei se deu pra entender…)

1 curtida

Vamos lá, aos poucos…

Primeiro, como será um dual boot, já fique alertado que vc vai precisar desabilitar fast boot e hibernação no Windows, ou não conseguirá gravar nada nas partições NTFS a partir da distro Linux

Dito isso, as partições raiz (“/”) e de arquivos pessoais (“/home”), que normalmente são em ext4, sempre serão montadas automaticamente a cada boot. Para que outras partições estejam ativas a cada inicialização, será necessário seguir os passos do tutorial que mandei acima e criar atalhos para essas partições (veja imagem abaixo do Nautilus, o gerenciador de arquivos do Gnome; mas isso vale para Dolphin - do KDE Plasma, Thunar - do XFCE etc.)

Eu uso 3 sistemas instalados, Windows 10, Manjaro e Reborn, as duas últimas com Gnome. No caso ali estão montadas automaticamente o “D:” do Windows (em NTFS) e a home do Manjaro (em ext4), usando esse tutorial que mandei acima. Há como ver o que tenho no “C:” do Windows, por exemplo? Sim. Mas este eu não monto automaticamente no boot, já que ali só tem programas instalados e não arquivos pessoais…

(Na imagem, aponto o “C:” - Programas e a raiz do Manjaro)

Bom, e o que vc vai colocar onde e em que formatos e tamanho? Depende de o que vc vai “puxar” de um sistema no outro. O jeito é estudar sobre formatos de arquivos e qual será o uso de cada sistema. No meu caso, é raro eu puxar algo das minhas “home” Linux a partir do Windows. Se eu preciso de algo no W10 e baixo a partir de uma distro, já o salvo no “D:”. Mas há alguns programas que permitem ao W10 ler partições ext4 e ao menos copiar arquivos para uma partição ext4…

Não faça nada com pressa!

3 curtidas

Hummm, já que você tem 2 SSD’s eu diria para nem mexer com particionamento, faça algo mais simples de primeira, como por exemplo (isso são apenas sugestões):

1-SSD(500GB) para o windows (nesse caso o maior é melhor, mas você teria de clonar)
1-SSD(240GB) para o linux (use o menor pois o linux geralmente é beem menor)
HD para pastas compartilhadas e instalação de jogos mais pesados (aqui você pode mexer no particionamento, se quiser, e evita problemas de compatibilidade)

Em meus anos de experiência com dual boot aprendi que particionar é uma tarefa chata (eu era muito iniciante) e já que você tem 2 SSD’s você poderia instalar um sistema em um e o outro no 2° SSD, inclusive você pode escolher trocar o boot pela BIOS (selecionando o dispositivo de boot) e facilitar sua vida de ter que lidar com problemas de grub e outras coisas (não que vai ser problema se vc estiver animado, mas salva um bocado de tempo e você pode praticar particionamento sem comprometer muito tempo)

O que você acha dessa ideia de separação?

1 curtida

@Rodrigo_Chile acho que entendi.
No caso, esse procedimento de montar na inicialização é basicamente pq vai estar em dual boot, certo? Se eu usasse só Linux, com tudo em ext4, nem precisaria?
Olhei na minha VM com Linux Mint (q vai ser a que vou usar) e tem uma função muito parecida q essa do gerenciador do Gnome. Mesmos comandos resolveriam?
Segue print:


Não fiz os comandos pq é disco de VM e não funcionaria, mas seria este local msm?

Eu até pensei nisso.
No caso, o Windows vai ter q ficar no de 240GB pq não animo reconfigurar tudo de novo e to de boa de clonar disco kkkkkk

Se eu deixar o Windows no de 240GB, Linux com alguns jogos no SSD de 500GB, posso tentar particionar o HD pra compartilhar o espaço?
Seria útil pq no futuro esse SSD de 240GB vai sair pra entrar um NVMe, então até lá consigo decidir qual S.O. vai ficar.

Meu problema com HD é q o Windows me fez (sem querer) deixar ele como disco dinâmico, e pra reverter isso, só formatando, e metade da minha vida tá nele kkkkkk então pra particionar do 0, preciso fazer backup…

Eu sinceramente curti a ideia, o GRUB dá problema vez ou outra (relatos de conhecidos) se vc não souber 100% do q ta fazendo.

Esqueci de responder:
Vou salvar jogos. Como estou migrando, quero manter alguns em Linux e alguns em Windows, até decidir se fico no Windows ou migro de vez. Eu mexo com edição de vídeos e podcasts também, e aí tanto faz onde ficar, vai ficar no SSD secundário ou no HD.
Mexo com planilhas e as vezes VS code também. A ideia é deixar arquivos de trabalho nos drives secundários. SSD principal vai ser pra O.S. e programas tipo navegador, suíte LibreOffice e afins.

Sobre a primeira resposta: mesmo se vc tivesse apenas Linux, tendo mais de um disco, a unidade que não tivesse raiz ou home ia precisar ser montada manualmente (ou automaticamente segundo o tutorial). E sim, esse aplicativo que vc usa aí é o Gnome Discos, o mesmo do tutorial.

Sobre a segunda resposta: a melhor pessoa pra responder o que será usado em cada sistema e o que vai precisar ser 'atravessado entre os dois universos" é você mesmo. A vantagem é que a distro vai ler com relativa facilidade o que estiver na partição NTFS de dados (lembra do que disse acima sobre fast boot e hibernação?). Já o contrário é bem mais chato, o Windows até consegue ler em ext4, bastando instalar um programa pra isso. Mas não consegue salvar, no máximo fazer uma cópia do arquivo desejado para alguma partição NTFS. Então, pensa bem para ver como fazer esse particionamento.

Um adendo: a velocidade de leitura no ssd é bem maior, vc deve saber. Para arquivos como áudio e vídeos a editar, planilhas ou documentos em texto, essa diferença é irrelevante. Contudo, para jogos eu não sei dizer se faz diferença, imagino que sim. Daí a ideia de deixar espaço para dados no ssd maior é interessante. E mesmo 240 GB é muito espaço para uma distro (eu tenho um desses e coloquei W10 e mais duas distros nele, deixando meus dados no hdd de 500 GB); contudo, eu não jogo nada mais complexo que paciência. Por isso, acho que com esses discos todos, espaço pros sistemas tem é de sobra. O mais complexo é pensar como dividir seus dados nesse espaço aí…

2 curtidas

Entendido! Pena q não é “automático”, pelo menos é um trabalho de uma única vez. Achei q seria igual o Windows, q conectando no hardware, ele já detecta e aparece sozinho.

Entendi!

Eu uso jogos no HD hoje, e pro que jogo, é ok. Não tenho o que reclamar. Bom, o colega aí de cima me indicou de usar o SSD de 500GB só pro Linux. Até que gostei, só de não ter q mexer com grub. Mas eu ficaria mais feliz de “rachar” o ssd de 240GB pros dois sistemas, e usar o HD e o SSD secundários em NFTS pra poder transitar com arquivos.

Vou dar uma pensada, analisar com calma…
Talvez eu até faça o dual boot sem os outros drives e vou pensando na melhor forma.

Obrigado pelas explicações e paciência! Ajudou muito!!

1 curtida