Como manter somente os pacotes essenciais de uma distro

Boa tarde,

Gostaria de uma luz, porquê estou com 2.548 pacotes, alguns que nem me lembro mais a necessidade e queria remover.

Debfoster, que é um utilitário de linha de comando que permite manter apenas os pacotes essenciais e excluir os outros pacotes que não são mais necessários.

Vi está ferramente, testei mais sem sucesso, gostaria de sabe se tem um sistema parecido nativamente ou parecido para fazer a tal limpeza de pacotes.

Att.
Agoth

Boas vindas ao fŕom :wave:
Se eu entendi certo sua dúvida, o jeito mais fácil é dando uma limpada via apt: sudo apt autoremove -y && sudo apt autoclean

tu sabe que o autoremove só remove dependências não usadas

1 curtida

Então, pode ser que pareça que “não é necessário” mas pode ser necessário pra caramba pra apps que você usa no dia a dia, ou até pra solucionar problemas. Por mais que você julgue como inútil, e tente remover esses pacotes, Seu sistema INTEIRO pode quebrar, pois a maioria desses pacotes nem necessáriamente são “programas em si”

Pra não fazer isso, você pode pegar distros beeem leve, se tu quiser especificamente baseado em Debian, tem o AntiX, e o Puppy Linux.

Se você estiver pretendendo fazer isso ná mão, sinceramente, não recomendo.

2 curtidas

Sim… por isso eu coloquei na resposta:

^^

Acho que ele não entendeu que ele queria fazer algo mais tryhard, e queria algo simples :sweat_smile:

1 curtida

O cidadão tem conta nova no fórum, minha suposição foi que é um usuário novato e, possivelmente, queira realizar uma operação mais tranquila…

Kkkkkkk, não julgue o livro só por que a capa é nova

o que eu entendi: ele quer remover pacotes que ele mesmo instalou mas ele não lembra quais são exatamente, sendo necessário olhar um por um, e ele quer algo mais automatizado.

1 curtida

Próxima vez eu meto o louco e sugiro testar o Debian então ou o Arch via archinstall ^^

1 curtida

Se for isso, o synaptic não seria o menos punk?

1 curtida

seria, mas mesmo assim demandaria um trabalhinho.

1 curtida

isso inclusive é uma coia que acho muito ruim do linux (nas distros mais comuns)
não existe uma separação, é todo mundo junto e misturado
coisa que por exemplo nos BSDs já é mais resolvido

1 curtida

Mas usar programas em snap, flatpak ou appimage não “resolveriam” isso? Tipo o Fedora Silver blue

1 curtida

quem sabe em um futuro próximo…
mas mesmo assim não resolvera o problema em si, só meio que vai torna-lo obsoleto.

2 curtidas

Vamos lá, com calma!

Primeiro, verifique quais programas estão instalados. Cada distro (e sua base) lida com pacotes e dependências de forma diferente. Duas distros instaladas com os mesmos programas podem ter número diferente de pacotes, já que lidam de forma diferente com as dependências.

Segundo, verifique se retirar programas pode acabar quebrando o sistema. Em alguns casos, isso pode acontecer e tornar o sistema inútil, ou acabar prejudicando-o seriamente - quem quer ficar sem gerenciador de arquivos (no caso do Zorin, o Nautilus)?

Terceiro, confie. Se vc olhou e viu que não tem nada anormal e ele te diz que tem 35 zilhões de pacotes, é pq eles são necessários. Quer mais controle sobre isso? Instale o Arch ou o Gentoo (e quebre a cabeça aprendendo como se faz). Ou relaxa. No Manjaro aqui tem um programa (e ainda vem em duplicata) que não uso e nem tenho ideia pro quê serve:

image

O que faço com isso? Nada, deixo-os lá, não os uso, não os tiro. Não me atrapalham, não interferem no uso e como não sei se são essenciais ou não, ficam ali. Pode parecer desleixo. Mas prefiro meu sistema funcionando. E como eu confio, acredito que eles estejam lá por alguma razão e que não vão servir pra me vigiar ou algo assim. Até pq empresas, governos etc. tem métodos ou sistemas mais eficientes e invasivos pra fazer isso. Basta fazer uma pesquisa no Google num celular Android e entrar no Facebook pra entender o que digo…

3 curtidas

eu sou uma pessoa que se incomoda com pacotes desnecessários
toda distro que instalo já chego: sudo #### remove cups* samba* libreoffice* vim* nfs* …
se quebrar depois eu ajeito
teve uma vez que eu removi o xorg…
e outra que removi a glibc, depois dessa parei com essa palhaçada.

2 curtidas

De facto meu bom, iria fazer algo mais hard só de teste e ver o sistema mais funcional possível. Vou testar uma iso do zorin para isso e fazer uma comparação e ver de facto o que pode ser removido e o que instalei e não tenho a ciência de lembrar de todos.

4 curtidas

Olá! Muito bem - vindo ao fórum @Agoth !

Não é um grande problema ao meu ver ter muitos pacotes.
Como ja disseram aqui, as vezes , aquele simples pacote que só “está lá por estar” a remoção pode causar danos que você não conhece. Uma das minhas primeiras vezes que eu estava usando linux, só aquele “pensamentozinho” de “meu sistema está lotado, vou passar a limpa” e assim ganhei meu primeiro crash. As vezes esses pacotes são uma “dependencia da dependencia que gera outra dependencia”. Mais caso você realmente queira correr o risco, o synaptic é provavelmente o ideal. Claro, existe a maneira “hacker-man” que é puxar uma lista de pacotes via apt para um .txt ( e variados ) e pesquisar na net um por um , para saber o que são e assim remover a medida o que você acha necessario.

Como também ja citaram , claro , você pode formatar , ou fazer o que você falou , conferir o que vem no zorin original , mas corre o risco de perder um app que você usa. Mais essas opções são meio esquisitas considerando que o sistema teoricamente está funcionando.

Mas agora uma pergunta , porque a preocupação? questão de ver “um numero teoricamente fora do normal” ou está ocorrendo travamentos? talvez o problema central para a motivação de querer limpar os pacotes possa ser outra. ​

Mas de qualquer forma, espero ter te ajudado!


Esses apps do manjaro , quando eu estava testando pela primeira vez , eu os removi… E em poucas atualizações meu sistema foi embora , to até hoje traumatizado com esses software token :sweat_smile:


Ok, o usuario pode não ser novo, mais é bem importante independente se é novato ou não, ir pelas opções mais fáceis. Não existe maneira de medir pelo grau do usuario, a maioria das vezes o importante é medir o grau do problema. Mas realmente, “não existe maneira de lidar com depedencia de forma facil”.


1 curtida

Tens um belo ponto.

1 curtida