Como distribuições Linux lucram?

Como distribuições linux lucram se o SO é grátis?

1 Curtida

Doações, patrocínios, merchandise, suporte técnico, suporte especializado para grandes empresas, venda de computadores com software embutido, parcerias com empresas, …

Alguns exemplos:
O Mint posta todo mês o andamento do desenvolvimento e sempre inclui nos posts uma lista de patrocinadores e de doações, que no mês de maio/2020 foi de $14.879 via doações e $2.561 via Patreon (fonte: Monthly News – June 2020 – The Linux Mint Blog). O Mint também tem uma parceria com uma empresa de hardware para produzir e vender as MintBox, que são mini-computadores pré-equipados com o Mint..

O Ubuntu - na verdade a Canonical que é a empresa que desenvolve o Ubuntu - não posta uma lista de patrocinadores, mas tem uma área do site exclusiva para softwares feitos especialmente para grandes empresas. Além disso, oferece suporte especializado para servidores na nuvem e para empresas no geral, faz certificação de hardware e também pede por doações em sua página de download.

O Fedora a primeira vista não tem muito apelo comercial, mas é só lembrar que é o “campo de testes” para o Red Hat Enterprise Linux (RHEL), que é um Linux pago e feito exclusivamente para empresas.

A System76, desenvolvedora do Pop!_OS, tem como objetivo principal vender desktops e notebooks, tanto que na página principal tem várias propagandas de computadores e no final o banner da distribuição.

A Linux Foundation recebe literalmente bilhões de dólares de várias empresas gigantescas, incluindo a Microsoft, e tem parceria com outros projetos. Também vende cursos e certificações.

Fora isso tem a venda de camisetas, adesivos, merchandise … O Debian é o que eu vejo que mais faz isso, e em toda conferência Linux eles estão lá vendendo. Inclusive eu tenho uma camisa do Debian, e acredito que várias outras pessoas aqui do fórum também!! haha


Adendo:
É claro que, até mesmo pela quantidade de distribuições existentes, nem todas conseguem captar dinheiro, vivendo apenas da vontade dos seus desenvolvedores.

14 Curtidas

Lucrar é uma palavra muito forte. Muitas distribuições sequer lucram pois são fundações, que por definição não visam o lucro.

Essas fundações são financiadas como o Bruno falou. Nelas não é gerado lucro, apenas o trabalho das pessoas é remunerado quando estão ligadas diretamente às fundações. Centenas de programadores pelo mundo também participam de livre vontade criando novos programas, resolvendo bugs ou apenas testando os sistemas.

Há também empresas estabelecidas que visam o lucro, como a Canonical. Porém, devido a todo conteúdo opensource e troca de informação entre as distribuições, ela tem um quadro com 443 empregados (segundo wikipedia), enquanto a microsoft tem 144 mil! Por isso são empresas bem menores e que necessitam de bem menos dinheiro para seguirem no mercado. Elas também são financiadas conforme o Bruno falou.

Não foi falado mas também há universidades de diversos países, tanto públicas quanto privadas, que ajudam no desenvolvimento e principalmente hospedando espelhos para diminuir custos de infra-estrutura de rede. Alunos também contribuem, divulgando trabalhos e lançando sementes de projetos para colaboração coletiva (principalmente com repositórios git). É tanto modo diferente que até eu já contribuí com bug-report, doação e algumas linhas de código!

As empresas e fundações geralmente tem sites, e nesses sites é possível encontrar essas informações. Acho interessante no Debian tem uma página com esses questionamentos: Debian -- About Debian

7 Curtidas

Sim, bem importante esse comentário do Deleterium. Mtas vezes esses “lucros” são convertidos em mais desenvolvedores contratados, para acelerar alguns projetos e não depender apenas da boa vontade dos colaboradores.

Eu também esqueci de citar a Gnome Foundation, a parceria que algumas distros fazem com buscadores como a Yahoo ou a Google - O Mint, por exemplo, é parceiro da Yahoo - e a ideia do ElementaryOS de permitir que pessoas paguem o que quiserem pelos programa instalados, repassando o dinheiro para os desenvolvedores do App. (Fontes: 1, 2)

Tudo isso permite que os líderes dos projetos tenham dedicação total e contratem mais gente para ajudá-los, o que facilita no cumprimento dos prazos e na qualidade geral do projeto, e algumas vezes esse dinheiro também é usado para financiar eventos, conferências, maratonas e sprints de desenvolvimento, … Mas como o Deleterium apontou muito bem, a ideia não é lucrar para enriquecer.

5 Curtidas

@Deleterium @brunonzanette Muito Obrigado por responder esse dúvida. Eu estava pesquisando sobre, mas não consegui encontrar muita coisa. Agora com base no que falaram tenho mais perceptiva para mais pesquisas.

3 Curtidas

Elas não lucram, no máximo são patrocinadas, as vezes fazem parte de outros serviços que rendem lucro ou recebem doações. As distros não são um “produto” (algumas podem parecer)

2 Curtidas