Com qual distro você iniciou no mundo Linux?

Em 2006, fazendo um curso de montagem e manutenção, depois de fazer muita propaganda do Kurumin para o professor, ele acabou pedindo para que eu demonstrasse como era a inicialização do Kurumin pelo CD, fiquei a aula toda mostrando como personalizar e como podiam usar os Ícones Mágicos.

1 Curtida

A minha foi o Ubuntu 7.04 (Feisty Fawn), pouco depois do lançamento, por volta de Junho de 2007. E lá se vão quase 12 anos.

4 Curtidas

Boa Noite a todos,

Minha primeira distro foi um Slackware Deus sabe qual versão, faz tanto tempo, foi lá pelos anos 2000. Desde lá já testei varias distros, não gostava pela complicação do sistema para coisas simples que existiam no Rwindows, mas agora com o mint estou sossegado.

2 Curtidas

Kurumin, minha ultima distro por muito tempo.

1 Curtida

Linux mint Cinnamon 17.1, em um notebook que reciclei para usar somente para navegação em casa, acabei gostando e estou a mais de 3 anos usando como Sistema Operacional Principal.

2 Curtidas

A culpa é toda do Diolinux comecei com o Mint Cinnamon 19.1 ano passado e não demorou 4 meses para migrar por completo

2 Curtidas

Comecei minhas aventuras no Kurumin. :slight_smile:

3 Curtidas

Debian 7, indicado por um colega; e eu, noob sem experiência alguma, não sabia como respirar na frente dele, muito difícil no início. Mas, conheci depois o Ubuntu 13.04, bem + fácil.

2 Curtidas

Comecei com elementary OS , depois passei pro ubuntu 15.04 , xubuntu 16.04 e hoje estou no Linux mint 19.1.

2 Curtidas

Comecei c/ Ubuntu 16.04 gnome e depois utilizei o Mint 17, testei o Deepin 14 mas não me adaptei muito bem. Agora estou testando algumas distros: Solus OS Gnome, Mint Cinnamon 19.1 Manjaro XFCE, Ubuntu 18.04 LTS, 1904 e 1910 e Ubuntu Studio 19.04.

3 Curtidas

hehehe Cuidado para não matar o HD :rofl:

1 Curtida

Iniciei com o SuSE 9.2. Bins tempos onde era preciso compilar o driver de modem discado para usar a internet no fim de semana! Comprei o DvD de instalação na banca de jornal.

4 Curtidas

Olá Pessoal

Sou iniciante no mundo Linux há um ano e meio, e a minha primeira distro foi o Ubuntu 16.04 LTS. Com o passar do tempo e um pouquinho mais de conhecimento, cheguei ao Manjaro 18.04 com Deepin 15.10 release que está sensacional. (!)

Serial . com

5 Curtidas

instalei em 2 SSDs de 120 GB c/ partições de ±30 GB cada e a home separada em HD de 500GB. Agora estou pensando em testar tbm o POP_OS 19.04. Kkkk

2 Curtidas

Foi o Kurumin se não estou enganado… Foi lá em 2006, na faculdade… Até então eu nunca tinha ouvido falar desse tal de Linux… mas lembro q não tive grandes dificuldades para manuseá-lo.

4 Curtidas

Entrei no mundo Linux pelo Ubuntu, na época instalei o Ubuntu Gamer Edition, que eu achava ser o Ubuntu normal, acabou que na hora de instalar apaguei meu HD inteiro e perdi tudo, semanas depois fui para o Ubuntu normal e fiquei no Dual Boot entre Windows e Ubuntu por muito tempo, agora estou entre o Linux Mint e o Deepin.

5 Curtidas

Uma Pena eu não ter guardado as mídias de Linux que tive na época, recebi um DVD do ubuntu em casa, tinha o Kurimin, DVDs do Debian 5, e o primeiro Linux que realmente conheci, nem sei o nome se quer, era uma distro indiana com golfinhos, levo um tempo pra finalmente conseguir instalar, parecia que tinha descobero o 5º graal ver uma SO diferente.

Suar Linux efetivamente como SO padrão só agora mesmo.

3 Curtidas

@Robson, agora BeOS tornou-se Haiku hoje.

Minha história

Eu era um filho pródigo naquela época, porque eu sou surdo de nascimento e tinha apenas 9 anos (em 1998) para explorar o mundo de informática num computador do meu tio A, que vinha com Windows 95 e aprendi tudo, de forma autodidata, sem precisar fazer curso pago de informática. Com isto, aprendi alemão, espanhol, francês, inglês e italiano, ainda aos 9 anos, de forma autodidata. Mas ainda não ouvi do Linux, até que meu tio A adquiriu um computador que vinha com Kurumin, em 2001 (eu tinha 12 anos), para meus avós, aí eu me interessei no Kurumin e queria explorá-lo, ironicamente ainda aos 12 anos. Mas meu tio B tinha muito preconceito com Linux e colocou o Windows pirata nele.

Como ele o colocou nele, eu era muito frustrado e tinha muito enjoo do Windows porque eu era e sou perfeccionista e odiava a aparência do Windows à qual eu mal me adaptei. Só meu padrasto tinha conhecimento de Linux, mas não me contou.

O meu primeiro aplicativo de código aberto, aos 15 anos, em 2004, foi Stellarium, em inglês (pois eu já era fluente em inglês desde 9 anos), quando eu me interessei na astronomia e na engenharia aeroespacial após ter assistido um filme de ficção científica, que falava de galáxia. Explorei as constelações e as minhas primeiras foram Cisne (Cygnus) e Lira (Lyra). Mas ainda não ouvi de Linux até 2010. Com a extrema rigidez do meu padrasto e uma grande restrição imposta por ele, perdi o status de filho pródigo e o acesso ao conhecimento.

No início do ano 2010, na época da cerimónia de jogos olímpicos de inverno em Vancouver, o que me motivou a explorar o mundo de código aberto, e conheci GIMP e Inkscape, autorizados pelo junto com o mundo de linguagens de programação. Esses aplicativos quase me levaram diretamente aos sites de Linux, mas como meu padrasto era muito rígido, ele bloqueou o acesso aos sites de Linux e aos sites dos aplicativos de código aberto. Nos meados desse ano, descobri o CD de Ubuntu 9.04 no armário do meu padrasto, mas ele proibiu-me de tentar experimentar o sistema operativo. Como eu queria expandir o conhecimento e explorar outros mundos, eu tinha de deixar a casa da minha mãe e morar com outros parentes.

Em setembro desse ano, eu me mudei, obtendo a independência e a liberdade, e com meu dinheiro, comprei o primeiro computador portátil Dell Insprion 14, que vinha com Windows 7. Como eu vos disse que eu tinha enjoo do Windows e como eu me lembrei do CD de Ubuntu 9.04, fui transferir o ISO do Ubuntu 10.04 e queimou no CD, e instalei o Uuuntu 10.04. Como eu era perfeccionista e tinha perturbação de personalidade obsessivo-compulsiva, Linux permitiu-me reajustar a aparência, de forma fácil, do Ubuntu. Desde então, abandonei totalmente o Windows até hoje.

Já falei para o meu padrasto que ele não conseguiu impedir-me de utilizar o Linux no meu próprio computador.

Como eu fiquei dececionado com a Canonical por ela ter destruído o velho belo, charmoso e elegante ambiente gráfico do Ubuntu, substituindo pelo Unity, limitando e impassibilizando a aparência e a personalização, e prejudicando-me como um perfeccionista, migrei para Linux Mint.

Após, na repercussão, serem exibidos os escândalos da Microsoft em envolvimento com a CIA e a NSA, pela vigilância global, pela espionagem e pela venda de dados do utilizador, meu padrasto lembrou-se de eu utilizando Linux, baniu totalmente o Windows de todos seus computadores, inclusive o da minha irmã, e colocou o Ubuntu. Eu também bani totalmente o Windows pirata, colocado pelo meu tio B preconceituoso e odioso de Linux, de todos os computadores da minha família, exceto o do meu irmão.

Minha avó adaptou-se facilmente ao Linux e utilizou-o por muito tempo. Mas meu tio B preconceituoso e odioso de Linux estranhou muito o Linux e colocou de volta o Windows pirata. Contrariei-o e meu padrasto também se opus muito a ele, explicando à avó que era perigoso colocar um Windows pirata, porque como ele era pirata, ele podia deixar os malwares e outros vírus, e ainda danificar as peças do computador, além disto, ela podia ser rastrejado pela Microsoft por utilizar a pirataria. Ela não tinha condições de comprar o Windows original e decidiu que eu colocasse Ubuntu de volta nele.

Até hoje, minha família inteira, exceto meu irmão e meus tios, utiliza apenas Linux. Minha irmã utilizava Linux até que ela comprou o novo computador portátil que vinha com Windows 10, requerido pelo curso de Direito que ela fazia.

4 Curtidas

Slackware, v.3.0, 1995, Acho que uns 10 disquetes 1.44m! Um desafio! Quase nada funcionava. Tinha que ‘escovar bits’ pros programas rodarem !

2 Curtidas

#20 caracteres Kurumin

2 Curtidas