Coisinhas incomodando no Plasma do Gentoo

Olá, pessoas. Eu tava usando o Arch com o Plasma e quis voltar pro Gentoo (usei o Gentoo com DWM por pouco mais de um ano). Dessa vez, instalei o Plasma mesmo já que tava usando no Arch. Ao contrário do Arch que já está no 6, o Gentoo ainda está no Plasma 5. Enfim, os apps não estão bem integrados ao Plasma. Quando eu abro o Firefox, parece que estou no Gnome. A extensão “plasma-integration” não funciona, fica com um risco vermelho. No MPV (player de vídeo de uso), o cursor do mouse magicamente se torna o cursor GTK quando passo ele na frente de algum vídeo, o mesmo acontece no Spotify. No Arch isso acontecia no SDDM. Então, a questão é, existe alguma forma de integrar melhor os apps ao Plasma? Ou vaj da distro e o Gentoo é que não é muito bom nisso? Pacotes “plasma-browser-integration” e “plasma-integration” instalados. O Firefox que uso é o firefox-bin, e pra “poupar tempo”, eu cofigurei o sistema para ter pacotes binários. Eras wilson, até!

1 curtida

interessante ver comentarios sobre o Gentoo.

1 curtida

Pra cada problema é necessário analisar as use flags para os pacotes específicos. O ideal é manter o mais simples possível. Porém, quando se usam os pacotes binários, não se tem tanta flexibilidade, além de ser chato recompilar pacotes, e descobrir que não mudou nada e tentar mudar outra coisa e assim por diante.

O plasma integration aqui funciona legal.

Outro problema é que cada instalação do gentoo é única devido as escolhas de instalação. Deste modo, não tem como ajudar de forma genérica algo que é específico. É uma distribuição pra quem gosta de mexer e resolver os pepinos, que toma tempo até ficar bem configurada, mas que depois de configurada não costuma dar problemas.

1 curtida

Pois é, os binários não usam use flags e o plasma inteiro é binário seguindo essa nova proposta sugerida por eles. De repente eu refaço a instalação sem os binários pra testar.

Tentei o Redcore (um Gentoo “facilitado”), e a princípio pareceu funcionar muito melhor do que o Void – que não envolve compilação, nem essas complicações decorrentes (o Void).

A maior parte dos pacotes do Redcore já vêm em binário – e só uns 10% precisam ser compilados. – Uma “espécie de AUR”, onde você encontra aquilo que ainda não está disponível em binário.

  • Este é “o sonho”, “o paraíso”, que procuramos ansiosamente, em todas as distros! – Um “plus”, onde possamos encontrar tudo que os repositórios oficiais “ainda” não oferecem. – Afinal, sabemos que todas as distros sofrem de limitações. – Uma “espécie de AUR”, é o sonho dourado de todo usuário que experimenta uma nova distro, e outra, e mais outra… Admitimos que “a realidade” sofre de limitações. O sonho de “um AUR” (ou equivalente) é a utopia que nunca atingimos, mas cuja procura nos mantém sempre esperançosos, a tentar de novo, e de novo…

A única compilação que fiz (no Redcore / Gentoo), expressamente para o KDE, é que o Dolphin não vinha com a Flag ativada para lidar com Exif e coisas que tais. – Alterei aquela única Flag, mandei recompilar “o que fosse necessário” (morrendo de medo, de ficar 300 anos recompilando tudo… mas, felizmente, poucos pacotes) – e o Dolphin passou a lidar com aqueles dados das entranhas dos arquivos.

Não me perguntem detalhes. Fiz um registro, enquanto os detalhes ainda estavam claros na minha memória (e eu ainda sabia onde estavam as capturas de tela, as anotações) – e depois disso, mandei um “clear” na minha cabeça. – Zerei as lembranças dos detalhes. Tela em branco, para me dedicar a outras coisas.

Em resumo, adiei meu enfrentamento com o mundo Gentoo. – O Void é minha “fronteira”, por enquanto.

As Flags são um negócio fascinante, mas também, muito absorvente. – Você precisa ter muito tempo (e estar muito disposto) para mergulhar nisso, caso contrário não vai tirar muito proveito.

Como eu, que fiz 1 experiência (e deu certo) – mas a verdade é que nem sequer arranhei a superfície do assunto.

Binários parecem uma ótima forma de “aproximação”: – Você instala primeiro – e começa a se aprofundar, depois.

Como as crianças, quando aprendem a falar. – Se precisassem, primeiro, fazer um pós-doutorado em filologia, sintaxe, declinações etc., nenhuma criança chegaria a falar nada! – Ficariam mudas, bloqueadas até o fim da vida, por um BTW do tamanho de um cometa.

BTW… acho que chegou a hora de deletar minha instalação do Redcore, que esta semana começou a mandar mensagens ainda piores, do que 1 ano atrás. – E também o Slackware, que de repente não se conecta mais à internet. Mas no caso do Slackware, posso fazer igual àquele boneco “João Teimoso”, que você derruba, e ele volta a ficar em pé. Basta instalar outro Slackware mais novo.

O Redcore (Gentoo), não. – Nunca encontrei (há anos!), sequer 1 postagem sobre aquele erro, referente ao Redcore ou ao Gentoo. – Só links referentes a… (um desses softwares do outro mundo).

1 curtida

Os binários tem sim as flags, só que se vc alterá-las (via /etc/portage/package.use), é bem provável que o pacote binário não esteja disponível. O portage vai então dar um aviso e agendar a compilação do código fonte.

Recompilar os pacotes com o código fonte, em teoria, não vai mudar nada. Se vc não alterar as flags, só vai ganhar a compilação específica para seu processador, caso tenha configurado isso no make.conf.

Algo que alguns pacotes tem (tipo o libreoffice) é que vc pode compilar com a use flat “qt” ou “gtk”. Se vc compilar como gtk no plasma, vai funcionar, mas vai pegar o tema do gtk. A mudança do cursor do mouse eu nunca vi, mesmo em pacotes que só usam gtk. Eu acredito que essa questão do mouse seja apenas configuração de temas. Talvez seja alguma configuração do tema que já estava na sua home de outras instalações?

1 curtida

Cara, tema do cursor eu não sei se é, eu uso o breeze padrãosão mesmo.

O Void tu usa com o Plasma? Como é a usabilidade? As iso só vêm com XFCE, né?

1 curtida

Olá Yuri @wk0v4ck5

participei de 3 ou 5 tópicos sobre o Void Linux, aqui no Fórum DIolinux – e criei pelo menos 1 ou 2 tópicos – e todos esses tópicos te dariam uma resposta muito ampla e abrangente, para a tua pergunta.

Tentei localizar os tópicos mais relevantes sobre o Void (na minha opinião), mas não consegui. – Em todo caso, tente ler tudo sobre o Void, que a pesquisa aqui do Fórum te indicar. – São poucos, e você não vai gastar tempo demais. – Vai gastar só o tempo “suficiente” para satisfazer qualquer curiosidade sobre o Void.

Em último caso, veja meu registro sobre a instalação, configuração e aprendizado do Void no meu PC atual. – Lá na página existe um link para outro registro, no meu PC antigo.

1 curtida

Obrigado, cara. Favoritei aqui o registro, de repente instalo ao lado desse Gentoo. Valeu!

1 curtida

Desculpe, só vi agora essa parte da sua pergunta:

Sim, na época não encontrei ISO com KDE – e há poucos dias alguém comentou por aqui que não existe ISO com Gnome.

Neste caso, a recomendação é instalar o Void pela ISO “mínima” (sem nenhum DE) – e instalar o KDE depois de instalar o Void mínimo na máquina. – Não lembro o motivo disso.

1 curtida

@wk0v4ck5 - encontrei.

Uma ótima postagem do @anon75331397 aqui no Fórum:

Conhecendo um pouco sobre o Void linux

Um resumo que fiz aqui no Fórum, da minha última instalação:

Void Linux + KDE Plasma

Uma conversa sobre espelhos (mirrors) do Void:

Void Linux agora tem um espelho no Brasil!

Um tópico sobre ativação de serviços, e sobre o Chromium:

Duvidas sobre o Void + Problema com Chromium

Uma pergunta interessante:

Usuários de Artix, por que não usam o Void?

Um debate / comparação:

Void Linux vs Arch Linux

1 curtida