Bravo OS, remasterização brasileira baseada em PCLinuxOS

Pergunta: Por que o sistema tá metade português metade inglês?

1 curtida

Rapaz o pclinuxos tem causado algumas dessas, mas é fácil correção. No menu você vai encontrar a opção de configurar o addlocale para padrão pt-BR novamente.

Antes de qqr coisa atualize o sistema através do Synaptic, depois você faz a reconfiguração da linguagem.

O PCLinuxOS BR precisa de tradutores e de alguém que complete seu site.
O PCLinuxOS universal precisa de designers para “polir” seus ambientes gráficos. (Não só essa distro, que fique claro…)

Acabei de retornar ao PCLinuxOS, e fiquei curioso quanto ao andamento do Bravo OS.

A página no Weebly inicialmente indicada não está mais lá; tampouco o material inicialmente indicado no YouTube.

Vale dizer que o PCLinuxOS conta com um pequeno e ativo grupo de usuários brasileiros, e que alguns se dedicam a “montar” ISOs com versões locais do sistema, que têm algumas diferenças significativas em relação às do site original (norte-americano) da distro.

Testei uma ISO disponibilizada pelos brasileiros. Não vinha com o Pulse Audio e tinha algumas adaptações para substituir seus recursos.

1 curtida

Bom dia!

Embora PCLinuxOS seja incrível eu sai dele como base, faltam muitos pacotes, me sinto órfão da família do GNOME.

O PCLinuxOS precisa abraçar todos os ambientes graficos, deixam de fora o melhor do Linux, que é a familia GNOME.

Na verdade, não é o apt “do Debian”. – Trata-se do apt-rpm, que foi desenvolvido no Brasil, no âmbito da Conectiva – depois incorporada pelo Mandrake, que então mudou seu nome para Mandriva.

Como disse o @phsousa, o Synaptic também foi desenvolvido na Conectiva, como interface gráfica (GUI) de seu apt-rpm.

Depois, o Synaptic foi adaptado para o apt “do Debian”.

3 curtidas