Avaliação de navegadores

Já existem vários tópicos sobre navegadores, mas não achei nenhum tópico central, então estou escrevendo aqui mesmo.
~
Navegores:
Google Chrome
Mozilla Firefox
Microsoft Edge (Chromuim-based)
Vivaldi
Brave
Opera
Palemoon

~

Google Chrome:
É o navegador proprietário da Google, tudo vai funcionar, é o navegador principal do mercado.

Prós: Tudo vai rodar nele, integração maravilhosa nos serviços da Google, desempenho.
Contras: Pesado e privacidade.

Mozilla Firefox:
É um navegador já com história, é open-source, não usa a engine blink e tem o melhor suporte a extensões e modificações.

Prós: É o navegador com a melhor suporte a extensões poderosas como NoScript e Ublock Origin por completo, suporta aceleração por hardware no xorg e wayland (linux), luta contra o monopólio nos motores de navegador, privacidade.
Contas: Pesado, lento, compatibilidade com os sites.

Microsoft Edge:
É o mais novo navegador da Microsoft desta vez baseado no Chromium.

Prós: Leve, integração ao mundo Windows, rápido e seguro.
Contras: Ainda sem versão para linux (AINDA), privacidade.

Vivaldi:
Ao Opera ser vendido para a China continental, Jon Stephenson von Tetzchner não ficou contente e decidiu sair do projeto e fundar um novo: o Vivaldi, com foco em personalização e tenta reviver a época de ouro do Opera 12.

Prós: É o navegador mais completo (com mais funcionalidades), privacidade.
Contras:

Brave:
Não gostando dos caminhos que a Mozilla estava levando, Brendan Eich (criador do javascript) fundou a Brave Software e começou a desenvolver o navegador Brave, com foco em retomar o controle e os rumos que a internet um dia já teve.

Prós: Rápido, privacidade, Adblock, Https Everywhere e Privacy Badger rodando nativamente no navegador, garantindo melhor desempenho; criptomoedas e modo privado com TOR.
Contras: O navegador foi pego completando links URL patrocinados automaticamente. (algo que já foi corrigido)

Opera:
O Opera já foi um bom navegador com engine própria, porém em 2016 foi vendida para a China continental.
Contras: China, VPN chinesa que na verdade é apenas proxy, China, privacidade, China.
Desinstale esse lixo caso esteja instalado.

Palemoon:
O palemoon é um navegador menos conhecido que usa o motor Goanna, uma fork do antigo gecko

Prós: Leve (e muito).
Contras: Alguns sites podem não funcionar corretamente, suporte a extensões.

Considerações finais: pessoalmente eu recomendo o novo Edge ou Firefox para Windows e Vivaldi, Brave ou Firefox para Linux

1 Curtida

Cara, eu já usei o Vivaldi, e eu tinha a impressão de que ele carregava as páginas rápido demais (o que é bom), mas ele fechava do nada em alguns momentos, tinha vezes que ele piscava na minha tela.

Era chato ter que abrir 3 ou mais vezes para fazer um navegador funcionar, e é o único que deu problema desse tipo pra mim.

@gu_1 A Opera não é da Noruega?

Se Firefox é pesado, o Chrome é o que? Rs

Você leu isso?
A opera que conhecíamos não existe mais, agora se chama Otello Corporation

Era sim, escritório e boa parte dos funcionários ainda são, mas estão debaixo das asas chinesas realmente.

Vivaldi é Norueguesa, várias cabeças do Opera estão lá.

comigo firefox é um lixo, abro 8 abas o ele fica morrendo engasgado e depois fecha e aparece a tela de enviar relatorio

Então eu acho que podemos considerar o Vivaldi sucessor do Opera…

Espiritualmente sim.

Passando aqui novamente…

Confesso que fiquei curioso para testar o Brave, e para minha surpresa ele é bastante rápido! Dá até para instalar os webapps, como já fiz um para esse fórum e outros sites que acesso bastante.

Parece que o Chrome perdeu o seu posto…

14 anos usando firefox como navegador padrão tive bons e maus momentos com ele mais segue firme e forte aqui, utilizava Opera como segunda navegador mais depois que caiu na mãos dos chineses eu abandonei, utilizei o Vivaldi por um tempo mais meu segundo navegador hj é o Chromium.

Microsoft Edge :
É o mais novo navegador da Microsoft …

Contras : Ainda sem versão para linux (AINDA).

Isso tbm é uma vantagem :rofl: :rofl:, desculpe não resisti

3 Curtidas

Questão interessante…
Eu uso o Firefox dado um mínimo respeito à privacidade. Para mim fica claro que ao utilizar um Chrome ou, pior, o Edge, sabe-se lá que dados e para onde estão indo, qual a utilização disto, e por algumas questões de carregamento que nem são tão relevantes. Boa parte do meu tempo estou em sistemas de trabalho, cujo lado do servidor tem um peso muito mais importante que o de usuário.
Venho já há algum tempo, e cada vez mais, adaptando à ideia de tentar depender do Google o mínimo possível. Tem serviços em que realmente ele ainda é referência, mas noutros mesmo que seja algo inferior, vale a pena por pensar em longo prazo.
Youtube para mim é uma plataforma que se degradou incrivelmente nos últimos anos, é praticamente a mesma experiência da TV aberta: merchandising, interrupção de propaganda, pedir inscriçaõ etc. Quando você vai ver o conteúdo mesmo, algo de 3 minutos vira 20 e não tem nenhum ganho. Muitas vezes (muitas mesmo) a propaganda é completamente inadequada, e acho que é quase para te forçar a pagar caro numa assinatura: você está vendo um vídeo de rock, passa uma publicidade de axé/funk/sertanejo universitário; você está num vídeo de ciências vem alguma besteira; tik e tok a toda hora.
Acredito que o Brave venha a se tornar uma alternativa interessante. Tem site que sei lá como consegue ter uma intervenção tão absurda que não é legível seu conteúdo, devido à publicidade e ao quase travamento de tantas camadas e divs de propaganda, e o adblock nativo parece legal. Vou testar.
O Vivaldi é aquela coisa meio submundo do opera… parece ser interessante, tem vários recursos legais e antecipa muita tendência… Mas peca na estabilidade e na compatibilidade.

1 Curtida

Eu sempre estou usando Adblock quando estou usando o computador, e quando estou no celular a coisa piora drasticamente, especialmente quando vou usar o app do YouTube.

Imagina que eu vou ver um vídeo do Dio, aparece uma propaganda da TIM que tem a Ludmila, ou até mesmo o Ifood com a Gretchen ou Fábio Porchat (Sei lá se escrevi certo). Tem vezes que as propagandas ficam se repetindo, me forçando a desistir ou reabrir o aplicativo.

Cara, dá uma testada no Brave, mas tenha um navegador reserva para salvar as suas senhas e tal, daí você importa com o mesmo.

Dá uma olhada no número de rastreadores e anúncios bloqueados em menos de 2 horas de navegação. É surreal o tanto de coisa que carrega em segundo plano.

Com isso eu consigo aproveitar mais a capacidade da minha internet, não que ela seja lá grandes coisas, mas qualquer ganho é lucro!

Quando eu abro o spotify web com o Ublock ativado, a contagem de anúncios e rastreadores bloqueados fica crescendo infinitamente

Acho díficil a Microsoft lançar ele pra Linux, já que o diferencial dele é a integração com o Windows

Ele é o Chromium da Microsoft, é uma maneira de matar esse trauma da microsoft

image

2 Curtidas

Estranho que nunca tive problema de estabilidade com o Vivaldi.

O novo Edge vai ter uma versão para Linux também https://diolinux.com.br/2019/11/esta-confirmado-microsoft-edge-vira-para-o-linux-ano-que-vem.html

1 Curtida

Sou um grande adepto a bloqueadores de anúncios a tempos, utilizo sem dó sem piedade exceto em alguns sites que são de confiança mas no geral impossível viver sem ele ainda mais se falando de Youtube (serviços google em geral ) utilizo o uBlock que é bem mais leve e eficiente que o Adblock é compatível com vários navegadores e tbm compatível com firefox mobile, sabendo disso eu desativei o youtube app no celular e só acesso o youtube pelo firefox e adeus anúncios sahshasa.

1 Curtida

Eu também sou, há muito tempo, e depois passei a usar “sem dó” quando tive um problema com uma plataforma de publicidade.
Embora houvesse motivo técnico claramente justificável, dada a natureza do serviço, fui banido de maneira perpétua sem direito à defesa, curiosamente, quando teria a maior parcela a receber (e nem era tanta coisa, não dava R$ 200,00).
De toda a forma, foi uma experiência para ver que este mercado não tem qualquer escrúpulo ou limite. Já vi péssimos conteúdos que eram claramente invasivos e de baixíssima acessibilidade mesmo para uma pessoa normal e que não sofrem qualquer sanção.