Aproveitamento do hardware

Boa tarde a todos,

Sou usuário de Linux desde a versão 16 (Petra do Linux mint), já havia tentado utilizar o Ubuntu 12.04, mas desisti e retornei um tempo depois nessa versão do Mint. Daí pra frente resolvi adotar a distro como principal e vim nessa caminhada. Utilizava o Linux em um notebook Dell, i5 3ª geração, com 8Gb de Ram, placa de vídeo AMD 2Gb, SSD 128Gb e um HD de 750 Mb. Tudo tranquilo, ajustei meus costumes, aprendi a contornar as diferenças, nunca fui muito de ficar otimizando, mudando tudo, inserindo isso ou aquilo, por isso, não tenho muitas experiências como “quebra de sistemas”, Kernel panic e outros problemas que vejo aos montes nos fóruns da vida. Nessa caminhada testei boa parte das distros relacionadas para usuário final.

Utilizei meu notebook descrito acima até o final de novembro de 2019, quando resolvi abrir mão dele, como distro principal, estava com Mint 18.03, testei o Ubuntu 19.04, Fedora 31, Kde Neon 5.16, Zorin 15, mas já não estava mais tão responsivo, principalmente nas que distros que utilizam o ambiente Gnome. Foi aí que resolvi pegar outra máquina, mais “parruda”, que atendesse o Ubuntu 20.04 pelo menos. Hoje estou com um Dell i5 9ª geração, com 16 Gb de Ram, placa de vídeo Nvidea MX150 2Gb, SSD M2 256 e 1TB de HD.

No final do ano, quando chegou, não pensei duas vezes, só liguei e formatei, instalei o Linux mint 19.3, e deixei prontinho, como estou acostumado a utilizar, particionado, e todos os softwares que me tornam produtivo. A primeira coisa que notei, foi um relativo aquecimento, que não estava acostumado, notei também um delay para abrir alguns programas e que a bateria durava pouco mais de uma hora, mas nunca chegava aos 100%, sempre parava nos 99%. Pouco tempo depois, fiz um becape e instalei o Ubuntu 18.04, que até estava bom, o note estava redondinho, mas aí comecei a ler sobre a versão 19.10, todo mundo rasgando elogios, e o “bichinho” da formatação coçando, mais uma vez alterei para a versão mais nova e realmente, muito boa, mas ainda assim, a bateria durava em torno de 1:00, 1:10 no máximo. E aqui no fórum mesmo, vi uma postagem onde alguém comentava sobre a diferença da bateria do notebook com Linux e com Windows.

Como estamos próximo de uma versão LTS do Ubuntu “saindo do forno”, fiz um becape completo e resolvi deixar pronto para mais uma vez fazer uma formatação limpa. Até abril, decidi começar a testar distros e interfaces para ver as mudanças ocorridas atualmente. Linux mint, me desacostumei completamente com a interface Cinnamon, KDE neon muito bom, mas não entendo porque não consigo usá-lo, o Fedora, em diversos fóruns apontam dificuldade para instalação dos drivers de vídeo, aí resolvi fazer o teste da bateria e instalei o W10 pro que veio nele.

Para minha “decepção”, a bateria segura o sistema por mais de 3:00 sendo usada, o notebook, é super responsivo, a impressão que tenho é que os drivers instalados pelo Windows são diferentes dos instalados pelo Linux, até a quantidade do FPS da placa de vídeo em um teste de estresse é superior, dando a impressão que o Linux não aproveita tudo que o hardware pode oferecer, ao contrário do Windows. Ou eu sempre instalei as coisas de forma errada ou isso é coisa da minha cabeça? Alguém já passou por isso? :thinking:

Sem dúvida os drivers não são os mesmos.
Assim como você eu tive diversos problemas com o Linux e por isso que estou usando o Windows 10 no momento mas eu estou de olho no Pop OS e só não estou usando ele ainda pois quero espera sai a nova LTS (20.04) mas mesmo assim eu afirmo com toda certeza que mesmo com as novas LTS’s do ubuntu não vai chega nem perto do Windows 10, então se quiser um melhor aproveitamento do seu hardware a melhor opção é o Windows mesmo.

2 curtidas

Eu fico meio decepcionado porque é uma situação complicada, devido ao investimento, eu quero aproveitar o que o hardware pode me oferecer. eu contestava quando lia em diversas matérias dizendo que o Linux é para hardwares antigos, mas agora vejo que estou errado.

1 curtida

É meio decepcionante, apesar de eu gosta de Linux no geral pra desktop eu não vejo nenhuma vantagem em usa ele pois tudo que eu faço no Linux eu faço no Windows e algumas coisas sai até melhor, então é difícil isso e no momento eu só to esperando uma melhora mas sei que não vai ser nada que vai possibilita o Linux a chega perto do que o Windows é hoje em dia.

3 curtidas

se tu roda teste que e opengl tas perdendo tempo, esquema é teste que usa vulkan, aqui tenho i7 3930k 4.3 + 4x4gb 2400mhz g-skill trident-x + gtx 1080 ftw2 + 3x ssd samsung e tenho mais desempenho por um todo q no windows

2 curtidas

No caso é a otimização da bateria, utilização do genymotion, alguns jogos como LOL, Dark souls, Grim dawn, o linux trava constantemente trava ao usa a swap já no Windows mesmo quando cai na swap você eu nem percebo e eu fiz esses teste no mesmo notebook e em todos esses casos o Windows 10 até o momento se saiu melhor.
Notebook que fiz o teste foi esse, não é lá aquelas coisas mas eu gosto dele:
i5 3337u 2.70GHz
8GB RAM
240GB SSD
Como eu disse antes to de olho no PopOS e assim que sai a 20.04 eu vou testa mas sem grandes expectativas de chega perto do Windows.

1 curtida

o q ele pode fazer é usar o indictator cpu freq para ter controle total de desempenho/consumo de energia ou usar o cpufrequtils e desativar o ondemand, alterar o governor para performance, porém ai teria maior consumo de bateria com ganho de rendimento em jogos.

1 curtida

Não necessariamente Linux é ruim em hardware novo. Meu hardware principal por exemplo não é muito antigo (i7 7700k, 2x16GB 2133 MHz , GTX 1080 2 SSDs, 1 NVMe e 3 HDDs).

Inevitavelmente alguns hardwares terão resultados melhores em um dos sistemas. Por exemplo, eu observei em testes que os processadores AMD da linha Threadripper tiveram um melhor resultado com Linux.

Agora… O tema polêmico…

Eu não conheço nenhuma estatística para embasar isso mas na minha percepção, acho que produtos para consumidor comum, linhas para mercado doméstico e com hardware mais exótico, 2 em 1, tem mais chance de ter algum problema com Linux.

De qualquer forma é difícil tirar alguma conclusão só com base em uma lista de hardware.

3 curtidas

Realmente, concordo com você. Tanto que ter uma máquina com Windows em casa, fazia muitos anos que não tinha, usava somente no trabalho, mas alguns detalhes como aquecimento, rendimento da bateria e performance me chamaram a atenção…

com relação ao consumo de bateria, de uma olhada no pacote TLP, quanto a performance, é difícil dizer qual pode ser o culpado no seu sistema, mas eu chutaria a MX150.

NVIDIA, principalmente mobile/hibridas costuma dar problemas, no mínimo não funcionando bem out of box, e eu recomendo distância se o objetivo não é CUDA ou jogos.

De qualquer forma, acho que é uma boa ideia verificar se está usando os drivers proprietários com ela, o comando glxinfo pode te ajudar com isso.

2 curtidas

Amigo, as distribuições Linux funcionam perfeitamente em hardwares novos, essa questão de só funcionar em hardwares antigos é devido a sobre vida dada aos hardwares que no Windows ficariam um “lixo”, é uma má interpretação relacionado a isso.

Como já mencionado, os mobiles “híbridos” ainda não tem um ótimo suporte, mas com alguns ajustes você consegue configurar, mas se for aquele tipo de usuário que não curte pesquisar, ai já complica um pouco.

Você nem sabe o real motivo do seu problema e já “afirma” que Linux é para hardwares antigos, para mim isso é apenas falta de configuração, pesquise e teste, muitas pessoas utilizam hardwares tão novos quanto ao seu e não tem problemas, ou melhor, pode ter tido, mas ajustou após pesquisar qual seria o problema.

Saudações.

4 curtidas

Obrigado pelo comentário. Quero que entendam que a real intenção não de ficar fazendo comparações. Só estranhei o que está acontecendo porque no hardware antigo nunca tive esses problemas, mas sim vou pesquisar o que for necessário. Estou aguardando a versão 20.04 LTS do Ubuntu e recomeçar a partir dela. :wink:

1 curtida

Por conta de inúmeros problemas de notebooks e linux que eu acabei retornando ao desktop. Outro fator importante foi que eu parei de viajar a serviço, então o notebook ficavas semanas parado em cima da mesa. Vários anos atrás era praticamente impossível um notebook zero bala rodar linux 100%, hoje já melhorou e tem vários que conesguem essa proeza. Geralmente são os sem placa de vídeo dedicada. Infelizmente ser usuário do linux ainda é ter grande trabalho de pesquisa sobre compatibilidade de hardware antes da compra, especialmente no mercado doméstico. Nem sempre dá pra comprar o que a gente quer, nem o que tem melhor preço. Tem que ir no que tem suporte e rezar pra que o preço esteja bom.

Já pra desktop a coisa muda de figura, hardware mais poderoso e melhor compatiblidade, ainda podendo decidir entre dezenas de modelos de placas de vídeo, sem se preocupar com o consumo de energia. Já pra notebook ainda continuo com meu podrinho, sem aceleração de vídeo, que quebra galho em qualquer eventualidade.

3 curtidas

O que vc quer dizer com “hardwares exóticos”?

Então, só para o básico com estudos e assistir alguns vídeos, NVIDIA não é recomendado?

Quero dizer exótico mesmo, aparelhos muito customizados pela fabricante, como os Surface da MS que usam chips e drivers especial para lock-screen e coisas similares. Aparelhos com leitor de biometria com chipset exótico, etc. As vezes um thinkpad linha média comum é mais certeza de paz.

Na minha opinião sim. E nem digo só pelo Linux, volta e meia essas GPUs dedicadas vem com métodos de soldagem questionáveis que futuramente dão problema e tal. Se você não planeja fazer nada que realmente demande GPU eu não vejo porque gastar com isso.

2 curtidas

As grandes vantagens das distros de Linux estão na liberdade e na transparência do código aberto, que nutrem todo um poder de inteligência coletiva e criatividade. Isso é o que torna as distros bem mais interessantes que o Windows.

Só que o sistema da Microsoft, de fato, se beneficia muito da condição de padrão de mercado. O desenvolvimento dos firmwares gira em torno do Windows.

As distros têm evoluído muito em compatibilidade com os equipamentos, mas ainda há umas “zonas de sombra”.

Pessoalmente, se conto com bom desempenho de meu computador sob um sistema Linux, prefiro utilizá-lo ao sistema proprietário.

De todo modo, são distros de Linux que, hoje, estão prolongando a vida útil do hardware antigo que tenho. São máquinas que vieram de fábrica com Windows XP e Windows Vista, e o Win10 não lhes cai bem — sem contar que ter o Win10 legalizado nelas me custaria uma boa grana com licenças…

3 curtidas

Exato, o Windows é ótimo, mas já tem uns anos que saiu da possibilidade de compra de grande parte do brasileiro, sem ter que vender a casa pra ativar o Windows, comprar planos do MSOffice, comprar hardware que aguente as últimas versões (:money_with_wings::money_with_wings::money_with_wings::money_with_wings:). Só de pensar nisso, é melhor ter um Linux mesmo. Eu fico pasma como alguns computadores baixam consideravelmente o preço se você optar por comprá-los com uma das distribuições Linux. Existem muitos aspectos das distros que ainda têm que evoluir, e espero que evoluam com o passar dos anos, mesmo que nunca se comparem totalmente ao Windows.

2 curtidas

Não é raro a gente conseguir computadores com o Windows por preço menor que o de seus similares com Linux. Aliás, num equipamento com o Windows vindo de fábrica, o valor da licença, embutido no preço de compra, é bem mais baixo que o da licença avulsa. E a Microsoft facilitou a vida de muita gente ao permitir que as licenças para o Win 7, o Win 8 e o Win 8.1 valessem para upgrade para o Win 10 (ou uma instalação limpa desse na mesma máquina).

Só que, além disso, no Brasil a pirataria é lugar-comum. Até em empresas, que são o objeto de muita fiscalização da parte da Microsoft e podem se dar MUITO mal tendo Windows pirateado em seus equipamentos. Só que os utilizadores domésticos vivem ao largo dessas fiscalizações…

1 curtida