Acham errado se manter na mesma distro?

Gente, acabei de mergulhar no mundo Linux através do Ubuntu. Andei olhando outras distros (SUSE e Mint) mas continuo gostando do Ubuntu, pois ele é diferente graficamente do Windows, justamente o que eu buscava.
Isso posto, vocês acham “errado” (ou idiotice) alguém se manter na mesma distribuição?

2 Curtidas

Só acho errado insistir em uma distro no caso dela apresentar problemas, sejam eles relacionados a bugs ou segurança.

5 Curtidas

Obviamente, mas digo fora isso. Num contexto normal

1 Curtida

com certeza não se serve pra você então pra que trocar de distro… eu msm até hoje só uso ubuntu ou base ubuntu sinceramente ainda não testei manjaro ou qualquer arch linux, gentoo etc pra mim errado é que outros obriguem você a usar não quer já vi muitos usuários de Linux assim

3 Curtidas

Fora isso creio que não, mas acho que vale a pena pelo menos conhecer outros DEs.

4 Curtidas

Não, só mude de distro se tiver algo te incomodando. Ubuntu é ótimo, como você é iniciante acredito que é melhor usar apenas uma distro e se aprofundar nela e aprofundar em seu conhecimento de linux, do que ficar instalando uma distro por semana.

5 Curtidas

Não tem problema nenhum. O pessoal que já está acostumado com linux, fica mudando de distro toda hora porque, como diria minha mãe: “tem fogo no rabo”. Mudam de distro só para ver como são as outras, na maior parte do tempo, nem problemas com a distro atual o pessoal tem :grin:. Eu mesmo, costumava mudar de distro de tempos em tempos (não tão frenético como algumas pessoas que vejo por ai, mudava a cada 4 ou 6 meses). Agora, se você está começando, é legal ficar na mesma distro, assim você se adapta mais rapidamente e fica mais fácil entender como o linux funciona.

Em relação a aparência, é apenas o ambiente gráfico. Existem vários ambientes gráficos, gerenciadores de janelas etc. Se tiver curiosidade, pesquise sobre isso. Mas, de fato, alguns tem algum ponto que pode se assemelhar ao Win, por causa, principalmente do menu. Como o KDE Plasma, um pouco o Xfce e o Cinnamon, só para citar alguns.

Alias, para ser sincero, em relação a sua última frase, acho mesmo é sensato ficar na mesma distro. Se você se adaptou e gostou de uma distro, fique com ela e seja feliz. Eu só trocaria em caso de algum problema mais sério ou alguma coisa que você não está se adaptando ou conseguindo resolver.

3 Curtidas

Eu, no momento, estou felicíssimo aprendendo a usar esse simpático sistema :slight_smile:

1 Curtida

Não vejo nada de errado em se manter na mesma distro se você está feliz com ela. O problema é a pessoa fazer muito “distrohoping”, mudando de sistema operacional a cada dia.

2 Curtidas

Cara o pc e seu você faz o que quiser e der na telha com ele kkkk assim faço com os meus. Uso fedora 30 e debian que atualizei pro 10 agora é uso Windows e uso macOS tb to pouco preocupado pro que os outros acham todas elas me atendem de uma forma ou de outra.Ubuntu é uma boa distro você se sente confortável com ela então relaxa.

2 Curtidas

Cara, se o suporte é bom e se você gosta, eu não vejo motivos para ficar mudando, acredito que vocẽ já esteja familiarizado com o Ubuntu, e ela é excelente para o usuário iniciante.

1 Curtida

Chegará o momento que o desktop deixará de ser novidade, ou que dê algum bug chato, daí irá querer trocar, voltar para o Windows, depois voltará para o Linux, outra distro… esse é um ciclo comum até que amadureça sua afinidade com esse mundo sem alertas de pirataria.
Estive muitos anos no Ubuntu, hoje me agarrei no Deepin. Tenho rodado Fedora na VM pra me adaptar ao DNF/RPM, mas vivo no APT/DEB no dia a dia…
O Henrique/Dionatan falam sobre isto parcialmente neste vídeo YouTube

Eu vi esse vídeo já ontem. Mas duvido que eu vá querer voltar a usar um sistema que literalmente apagou meu HD por uma atualização equivocada…

Só uma observação, o Linux Mint essencialmente é o Ubuntu LTS com algumas mudanças. Então quem usa Ubuntu 18.04 e quem usa Linux Mint praticamente usam a mesma distribuição.

.

Isso é perfeitamente alcançável em qualquer distribuição. Na verdade esse visual é dado pelo ambiente gráfico, os mais famosos são GNOME, KDE, XFCE, MATE e Cinnamon (há mais). Por exemplo: o KDE (assim como XFCE, MATE, etc) no Ubuntu será basicamente o mesmo no OpenSUSE, Manjaro ou Mageia.

Como você chamou sua distribuição apenas de “Ubuntu”, suponho que seja a versão principal que vem com GNOME, que seria seu ambiente gráfico. Eu uso o Kubuntu (um Ubuntu que vem com KDE) e o modifiquei para ficar do jeito que gosto:

Esse resultado pode ser alcançado em qualquer distribuição com KDE. É claro que outros ambientes gráficos são bem personalizáveis também.

.

Não, se lhe atente e não lhe dá problemas, não vejo motivos para mudar. Mas é claro que é bom testar distribuições com outros “conceitos” (com outra forma de atualização/manutenção de pacotes, como uma distribuição rolling release, ou com uma interface gráfica diferente, como o Elementary OS). Você não precisa formatar sua máquina para testar outras distribuições, basta fazer uso de uma máquina virtual; o VirtualBox é um bom programa para fazer isso.

A questão é que muitos usuários de Linux gostam de ficar trocando de distribuição (admito que realmente é gostoso formatar o computador e instalar um sistema operacional do zero, especialmente um sistema que seja diferente do anterior), mas eu pessoalmente prefiro focar em outras coisas no meu computador. O Kubuntu 18.04 me atente muito bem: nunca tive sérios problemas com ele; ele é estável e tem longo tempo de suporte; quando preciso de um programa mais novo eu faço uso de PPAs.

2 Curtidas

Não acho que todos devam pensar ou agir de acordo com o que eu vou comentar agora, isso é pessoal e debatível, mas é o que penso:

  • Prefiro me tornar especialista em um sistema, com capacidade de trabalhar com outros sim, mas prefiro ser muito bom em algo, do que ser “regular” em tudo. Como recursos são limitados (tempo, dinheiro, paciência…etc.), essa é uma escolha que se pode fazer.

Eu tenho em mente que todas as distros e sistemas apresentam “defeitos” ou problemas que devem ser contornados, quando você escolhe ficar com um sistema apenas e não foge de qualquer problema, você acaba se tornando um usuário mais competente e preciso, tecnicamente mais acurado para ir além do óbvio.

Geralmente eu vejo as pessoas testarem muitos sistemas até encontrarem um que gostam e chamam de “porto seguro”, onde sabem como fazer tudo funcionar como querem.

O mesmo vale para interfaces, obviamente é interessante testar até encontrar alguma que te agrade mais, mas no momento que você se identificar com alguma, foque em extrair tudo o que for possível dela.

Por mais que a gente goste de “perder tempo” falando sobre qual sistema você vai usar ou qual interface “é a melhor”, no fim das costas, tudo isso são apenas ferramentas para realizar algum tipo de atividade, que é o que é mais importante no fim das coisas. Abstraindo o gosto da pessoa, provavelmente hoje não é praticamente nada (como resultado de trabalho) que não possa ser feito em praticamente qualquer distro.

Abraços!

2 Curtidas

Bem vindo então definitivamente ao mundo linux!

1 Curtida

Se a pessoa está satisfeita com a distro, se não tá tendo problema com ela e não quer trocar, eu não vejo nada de mais nisso
“Errado” seria tentar usar um sistema operacional que desse sempre dor de cabeça e a pessoa não gostasse.
Isso vale não só para as distros, como também pra todos os sistemas operacionais :slight_smile:

2 Curtidas

Obrigado! Espero aprender bastante :smiley:

1 Curtida

Um dia você perceberá que não existem tantas diferenças entre todas essas distros, especialmente essas distros mais “just werks”. As únicas diferenças relevantes são os pacotes instalados (a maioria são coisas que você nunca usará na vida) e o gerenciador de pacotes (grande parte deles funcionam de maneira bastante parecida). Apenas use a distro que lhe der menos problemas e que lhe agradar mais.

2 Curtidas